Mauro Borges Lemos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mauro Borges Lemos
Ex-ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Mauro Borges, em solenidade no Banco Central (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do  Brasil
Presidente Dilma Rousseff
Antecessor(a) Fernando Pimentel
Sucessor(a) Armando Monteiro
Dados pessoais
Nascimento 23 de abril de 1954 (63 anos)
Cássia
Profissão Economista
linkWP:PPO#Brasil

Mauro Borges Lemos (Cássia, 23 de abril de 1954)[1] é um economista brasileiro.

Doutorado em economia pela Universidade de Londres, fez pós-doutorado na Universidade de Illinois e na Universidade de Paris. Colaborou com entidades como Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), atuando como pesquisador e consultor técnico.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em 2011, assumiu a presidência da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). Na sua gestão, implantou o Plano Brasil Maior e o programa Inovar Auto, de incentivo à indústria automobilística.

Assumiu o comando do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) em 2014, substituindo o ministro Fernando Pimentel.[3][4]Permaneceu no cargo até o fim do primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff, sendo substituído em 2015 por Armando Monteiro.[5] Exerceu, até dezembro de 2016, o cargo de presidente da Companhia Energética de Minas Gerais (CEMIG), escolhido pelo governador do Estado, Fernando Pimentel.

Em maio de 2016, foi denunciado pelo Ministério Público Federal no âmbito da Operação Acrônimo, juntamente com o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, e os empresários Carlos Alberto de Oliveira Andrade e Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, o Bené, além de Otílio Prado, Fábio Mello e Antônio dos Santos Maciel Neto.[6]

Referências

  1. Mauro Borges Lemos. A Vanguarda, 23 de março de 2014
  2. Mauro Borges Lemos. Instituto Aço Brasil
  3. Planalto confirma saída de Fernando Pimentel do MDIC. Agência Brasil, 13 de fevereiro de 2014
  4. Planalto confirma que Mauro Borges será o novo ministro da Indústria e Comércio. Último Segundo, 13 de fevereiro de 2014
  5. «Dilma Rousseff anuncia Armando Monteiro para o Ministério do Desenvolvimento». Agência Brasil. 1 de dezembro de 2014 
  6. Carolina Oms (6 de maio de 2016). «Governador de Minas Gerais é denunciado por corrupção». Valor Econômico. Consultado em 11 de maio de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.