Luiz Fernando Furlan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Luiz Fernando Furlan
30.º Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil
Período 1º de janeiro de 2003
a 29 de março de 2007
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva
Antecessor(a) Sérgio Amaral
Sucessor(a) Miguel Jorge
1.º Presidente do Conselho de Ministros da Câmara de Comércio Exterior
Período 10 de junho de 2003
a 29 de março de 2007
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva
Sucessor(a) Miguel Jorge
Dados pessoais
Nascimento 29 de julho de 1946 (75 anos)
Concórdia, SC
Alma mater Universidade de São Paulo (USP)
Prêmio(s)
Ocupação administrador de empresas, empresário

Luiz Fernando Furlan GCMDGOMM (Concórdia, 29 de julho de 1946) é um administrador de empresas, engenheiro químico e empresário brasileiro. De 2003 a 2007 atuou como Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior durante o governo Lula.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formações acadêmicas[editar | editar código-fonte]

Graduado em engenharia química pela Faculdade de Engenharia Industrial (FEI) e em administração de empresas pela FEA/PUC-SP, Luiz é um especialista em administração financeira pela FGV e em aprimoramento empresarial pela Universidade de São Paulo.

Atuação como empresário e como administrador[editar | editar código-fonte]

Durante a sua vida empresarial, Luiz especializou-se em mercado de capitais bem como comércio exterior e agronegócio.

Até Luiz assumir o ministério, presidia desde 1993 o conselho de administração do grupo Sadia de cujo fundador Attilio Fontana é um neto e de cujo grupo é um acionista. Atuava no grupo desde 1976, tendo sido diretor de relações com investidores e também vice-presidente executivo.

O ingresso na vida pública como ministro de Estado[editar | editar código-fonte]

Em 1º de janeiro de 2003, Luiz foi nomeado Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do governo Lula.[3] Nessa posição, atuou também como Presidente do Conselho de Ministros da Câmara de Comércio Exterior a partir de sua criação em junho.[4] Em 2004, Furlan foi admitido pelo presidente Lula à Ordem do Mérito Militar já no grau de Grande-Oficial especial.[1] Em 2005, foi condecorado pelo mesmo com a mais alta dignidade da Ordem do Mérito da Defesa, a Grã-Cruz suplementar.[2] Permaneceu no cargo até 29 de março de 2007, quando foi substituído por Miguel Jorge em ambas as funções.[5]

Cargos não-públicos mais tarde[editar | editar código-fonte]

Na área ambiental[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2007, Luiz assumiu a presidência do Conselho de Administração da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), instituição fundada pelo Governo do Estado do Amazonas e pelo Bradesco com a missão de reduzir o desmatamento na Floresta Amazônica e melhorar as condições de vida das pessoas que vivem no estado.

Retorno aos negócios familiares[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 2008, seis anos após Luiz ter deixado a Sadia para comandar o ministério, reassumiu a presidência do conselho de administração da empresa. O seu retorno foi uma resposta às perdas de R$760 milhões com apostas equivocadas em derivativos anunciadas pela Sadia pouco tempo após o estouro da bolha do subprime americano, que deu início a uma crise econômica.[6]

Referências

Precedido por
Sérgio Amaral
Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil
20032007
Sucedido por
Miguel Jorge