Walfrido dos Mares Guia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Walfrido dos Mares Guia
Walfrido dos Mares Guia e Nelson Jobim em 2007.
3.º Ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais do Brasil
Período 23 de março de 2007
a 26 de novembro de 2007
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva
Antecessor(a) Tarso Genro
Sucessor(a) Alexandre Padilha
10.º Ministro do Turismo do Brasil
Período 1º de janeiro de 2003
a 22 de março de 2007
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva
Antecessor(a) Caio Cibella de Carvalho
Sucessor(a) Marta Suplicy
Vice-Governador de Minas Gerais
Período 1º de janeiro de 1995
a 1 de janeiro de 1999
Governador Eduardo Azeredo
Antecessor(a) Arlindo Porto
Sucessor(a) Newton Cardoso
Deputado federal por Minas Gerais
Período 1º de fevereiro de 1999
a 1º de fevereiro de 2011
(3 mandatos consecutivos)
Dados pessoais
Nascimento 24 de novembro de 1942 (79 anos)
Santa Bárbara, MG
Alma mater Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Prêmio(s)
Partido PMDB (1980–1989)
PRN (1989–1994)
PTB (1994–presente)
Ocupação empresário, engenheiro químico

Walfrido Silvino dos Mares Guia Neto GCMDGOMM (Santa Bárbara, 24 de novembro de 1942) é um empresário e educador brasileiro filiado ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), residente no estado de Minas Gerais. Foi um dos fundadores do pré-vestibular Pitágoras, que posteriormente transformou-se no Sistema Pitágoras de Ensino,[3] nas Faculdades Pitágoras e no grupo Kroton Educacional (atual Cogna Educação), o maior do mundo no setor e com forte presença na modalidade de educação a distância. Também foi um dos fundadores da Biobrás, empresa de insulina sediada em Montes Claros, MG.[4] É graduado em engenharia química pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Em 1994, foi eleito vice-governador de Minas Gerais. Durante o mandato, acumulou a Secretaria Estadual de Planejamento e Coordenação Geral. Foi, também, secretário de Estado da Educação de Minas Gerais, entre 1991 e 1994, promovendo uma série de mudanças na educação pública do estado. Foi responsável pela autonomia das escolas em relação ao Estado. Introduziu na rede pública as eleições diretas para diretores, a formação dos colegiados escolares e um sistema de avaliação de ensino, iniciativas inéditas no País. Em 1998, foi eleito deputado federal pelo PTB.

Atuou como coordenador de campanha de Ciro Gomes no primeiro turno das eleições presidenciais de 2002. Com a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva no segundo turno e a aliança entre diversos partidos políticos, foi indicado para criar e estruturar o Ministério do Turismo, em 2003. Entre outras ações à frente da Pasta, foi responsável pelo lançamento do Plano Nacional de Turismo, pelo desenvolvimento dos destinos turísticos brasileiros e pela implantação de um sistema de dados, fatos e informações turísticas. Em 2004 e 2005, foi admitido pelo presidente Lula respectivamente à Ordem do Mérito Militar no grau de Grande-Oficial especial e à Ordem do Mérito da Defesa já em seu último grau, a Grã-Cruz suplementar.[1][2] Em 2006, no segundo mandato de Lula, passou a ocupar o cargo de ministro da Secretaria de Relações Institucionais (SRI).

Em 22 de novembro de 2007 foi acusado de ter participação no episódio conhecido como "mensalão mineiro". Renunciou ao cargo na SRI, sendo substituído pelo deputado federal José Múcio Monteiro, do PTB de Pernambuco, até então o líder do governo na Câmara. Em 24 de janeiro de 2014, sem que tenha sido julgado, a Justiça determinou a prescrição da pretensão punitiva do Estado contra o ex-ministro, conforme disposto no art. 115, do Código de Processo Penal (CPP).

Walfrido tem boas relações com o ex-presidente Lula, doando 600 mil ao Instituto Lula e emprestou uma aeronave para o Lula em duas ocasiões.[5][6]

Atualmente, Walfrido dos Mares Guia é acionista das empresas Biomm Technology e Kroton Educacional. A fábrica de insulina da Biomm fica localizada no município mineiro de Nova Lima e entrará em operação após autorização da Anvisa. Adotará a tecnologia conhecida como DNA recombinante, que consiste em modificar geneticamente a bactéria Escherichia coli, cultivada num meio especial, em que o microorganismo passa a produzir a insulina humana com 100% de pureza. Será uma das quatro empresas do mundo a produzir o medicamento, usado no tratamento da diabetes mellitus. Atualmente, cerca de 8% da população mundial sofre dessa doença. Também se dedicará à produção e comercialização de anticorpos monoclonais (MABs).

Referências

Precedido por
Caio Cibella de Carvalho
Ministro do Turismo do Brasil
2003 — 2007
Sucedido por
Marta Suplicy
Precedido por
Tarso Genro
Ministro das Relações Institucionais do Brasil
2007
Sucedido por
José Múcio Monteiro
Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.