Clóvis Carvalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Clóvis de Barros Carvalho GCIH (Franca, 1938) é um engenheiro e político brasileiro.

Engenheiro formado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (1968), trabalhou no Grupo Villares por dezessete anos, tendo ocupado diversos cargos de gerência e cargos executivos até o de vice-presidente. [1] Deixou a Villares em 28 de setembro de 1995.[2]

Foi secretário de Economia e Planejamento do Governo do Estado de São Paulo, no último ano do mandato do Governador Franco Montoro (1986), e atuou em postos de gerência e diretoria financeira de diversas empresas estaduais, como Metrô, Sabesp e Comgás.

Em 1988, foi um dos fundadores do PSDB.

Em 1993 passou a ocupar a secretária-executiva do Ministério da Fazenda e exerceu o cargo durante os dez meses em que Fernando Henrique Cardoso foi Ministro da Fazenda (maio de 1993 a março de 1994) do presidente Itamar Franco.[3] Embora não fosse economista, Clóvis Carvalho coordenava as reuniões da equipe econômica que elaborou o Plano Real e passou a ser uma espécie de gestor da equipe.[4]

Posteriormente, foi ministro da Casa Civil durante o primeiro governo Fernando Henrique Cardoso, de 1 de janeiro de 1995 a 1º de janeiro de 1999.[5]

A 16 de Dezembro de 1997 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal.[6]

Foi ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil no segundo governo Fernando Henrique Cardoso, de 19 de julho a 8 de setembro de 1999.

Em 2007, foi nomeado Secretário de Governo da Prefeitura de São Paulo, durante a administração do prefeito Gilberto Kassab.[1]

Atualmente é diretor-executivo da Poiesis - Associação dos Amigos da Casa das Rosas, da Língua e da Literatura, organização social contratada pelo Estado de São Paulo para gerir 21 oficinas culturais do Estado, quatro fábricas de cultura e dois espaços culturais: a Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura e o Museu Casa Guilherme de Almeida.[7]

Referências

  1. a b Prefeitura de São Paulo. Clóvis Carvalho. Secretário de Governo
  2. Chefe da Casa Civil de FHC deixou empresa privada há apenas um mês. Por Frederico Vasconcelos. Folha de S. Paulo, 5 de novembro de 1995
  3. Clóvis Carvalho vira alvo principal de ataques. Folha de S.Paulo, 10 de março de 1995.
  4. Chega ao fim a hegemonia da PUC . Por Ribamar Oliveira. Matéria publicada no jornal Valor de 20 de março de 2002.
  5. Presidência da República. Casa Civil. Clóvis de Barros Carvalho (1º de janeiro de 1995 a 1º de janeiro de 1999)
  6. «Cidadãos Estrangeiras Agraciados com Ordens Nacionais». Resultado da busca de "Clóvis de Barros Carvalho". Presidência da República Portuguesa (Ordens Honoríficas Portuguesas). Consultado em 1 de março de 2016 
  7. POIESIS – Instituto de Apoio à Cultura, à Língua e à Literatura
Precedido por
Henrique Hargreaves
Ministro chefe da Casa Civil do Brasil
1995 — 1999
Sucedido por
Pedro Parente
Precedido por
Celso Lafer
Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil
1999
Sucedido por
Alcides Lopes Tápias
Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.