Clóvis Carvalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Clóvis Carvalho
37.º Ministro-chefe da Casa Civil
Período 1 de janeiro de 1995 até
31 de dezembro de 1998
Presidente Fernando Henrique Cardoso
Antecessor(a) Henrique Hargreaves
Sucessor(a) Pedro Parente
Dados pessoais
Nascimento 15 de agosto de 1938 (79 anos)
Franca, São Paulo
Partido PSDB
Profissão engenheiro eletrônico

Clóvis de Barros Carvalho GCIH (Franca, 15 de agosto de 1938) é um engenheiro e político brasileiro.[1]

Engenheiro formado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (1968), trabalhou no Grupo Villares por dezessete anos, tendo ocupado diversos cargos de gerência e cargos executivos até o de vice-presidente. [2] Deixou a Villares em 28 de setembro de 1995.[3]

Foi secretário de Economia e Planejamento do Governo do Estado de São Paulo, no último ano do mandato do Governador Franco Montoro (1986), e atuou em postos de gerência e diretoria financeira de diversas empresas estaduais, como Metrô, Sabesp e Comgás.

Em 1988, foi um dos fundadores do PSDB.

Em 1993 passou a ocupar a secretária-executiva do Ministério da Fazenda e exerceu o cargo durante os dez meses em que Fernando Henrique Cardoso foi Ministro da Fazenda (maio de 1993 a março de 1994) do presidente Itamar Franco.[4] Embora não fosse economista, Clóvis Carvalho coordenava as reuniões da equipe econômica que elaborou o Plano Real e passou a ser uma espécie de gestor da equipe.[5]

Posteriormente, foi ministro da Casa Civil durante o primeiro governo Fernando Henrique Cardoso, de 1 de janeiro de 1995 a 1º de janeiro de 1999.[6]

A 16 de Dezembro de 1997 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal.[7]

Foi ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil no segundo governo Fernando Henrique Cardoso, de 19 de julho a 8 de setembro de 1999.

Em 2007, foi nomeado Secretário de Governo da Prefeitura de São Paulo, durante a administração do prefeito Gilberto Kassab.[2]

Atualmente é diretor-executivo da Poiesis - Associação dos Amigos da Casa das Rosas, da Língua e da Literatura, organização social contratada pelo Estado de São Paulo para gerir 21 oficinas culturais do Estado, quatro fábricas de cultura e dois espaços culturais: a Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura e o Museu Casa Guilherme de Almeida.[8]

Referências

  1. Biografia de Clóvis Carvalho. CPDPC/Fundação Getúlio Vargas
  2. a b Prefeitura de São Paulo. Clóvis Carvalho. Secretário de Governo
  3. Chefe da Casa Civil de FHC deixou empresa privada há apenas um mês. Por Frederico Vasconcelos. Folha de S. Paulo, 5 de novembro de 1995
  4. Clóvis Carvalho vira alvo principal de ataques. Folha de S.Paulo, 10 de março de 1995.
  5. Chega ao fim a hegemonia da PUC . Por Ribamar Oliveira. Matéria publicada no jornal Valor de 20 de março de 2002.
  6. Presidência da República. Casa Civil. Clóvis de Barros Carvalho (1º de janeiro de 1995 a 1º de janeiro de 1999)
  7. «Cidadãos Estrangeiras Agraciados com Ordens Nacionais». Resultado da busca de "Clóvis de Barros Carvalho". Presidência da República Portuguesa (Ordens Honoríficas Portuguesas). Consultado em 1 de março de 2016 
  8. POIESIS – Instituto de Apoio à Cultura, à Língua e à Literatura
Precedido por
Henrique Hargreaves
Ministro chefe da Casa Civil do Brasil
1995 — 1999
Sucedido por
Pedro Parente
Precedido por
Celso Lafer
Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil
1999
Sucedido por
Alcides Lopes Tápias