Luís Viana Filho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Luís Viana Filho
36.º Governador da Bahia Bahia
Antecessor(a) Lomanto Júnior
Sucessor(a) Antônio Carlos Magalhães
Dados pessoais
Nascimento 28 de março de 1908
Paris,  França
Morte 5 de junho de 1990 (82 anos)
São Paulo,  São Paulo
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Pai: Luís Viana
Filhos Luís Viana Neto
Profissão Advogado, professor, historiador e político

Luís Viana Filho (em grafia antiga Luiz Vianna Filho) GOTEGCIHGCMGCIP (Paris, 28 de março de 1908São Paulo, 5 de junho de 1990) foi um advogado, professor, historiador e político brasileiro, governou o estado da Bahia de 1967 a 1971.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Luís Viana Filho nasceu em Paris e seu assento de nascimento foi registrado em Salvador. Era filho do último governador da Bahia no século XIX, Luís Viana. Formou-se em Direito, em 1929, mas exerceu a profissão de jornalista, correspondendo para os jornais da capital baiana "Diário da Bahia" e "A Tarde".

Em 1934 ingressa na política, sendo eleito deputado federal, sendo afastado em razão do golpe do Estado Novo, o que o devolveu para o jornalismo. Um dos fundadores do PSD, reelege-se para o mesmo cargo, após o fim da Era Vargas, em 1945, em sucessivos mandatos até 1966, quando se desincompatibiliza para concorrer ao governo do Estado - numa eleição aos moldes do Regime Militar, cuja instalação no país apoiara - tendo sido desde 1964, Ministro Extraordinário para Assuntos do Gabinete Civil do regime de exceção.

Em 3 de setembro de 1966 foi eleito, por via indireta, pela Assembleia Legislativa, tomando posse no ano seguinte.

Professor de Direito Internacional Privado e de História do Brasil da Universidade Federal da Bahia. Como historiador, publicou alguns livros.

Foi membro do Instituto Histórico e Geográfico da Bahia; da Academia de Letras da Bahia; membro benemérito do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro; membro correspondente da Academia Internacional de Cultura Portuguesa, da Academia das Ciências de Lisboa e da Academia Portuguesa de História.

Após o período de governo, já pela Arena, foi eleito para o Senado, onde presidiu a Comissão de Relações Exteriores e o próprio Senado Federal, no biênio 1979-80. Morreu em 1990, quando exercia seu segundo mandato como senador, tendo integrado ainda o PDS e o PMDB.

Luís Viana Filho foi a única pessoa a integrar todas as três Assembleias Constituintes do Século XX (1934, 1946 e 1987-88).

Governo da Bahia[editar | editar código-fonte]

Integrando o período conhecido por "Milagre Brasileiro", marcado por forte industrialização e exacerbado endividamento externo, Luís Viana Filho dá início à construção do parque industrial da Bahia, em Aratu, girando em torno da petroquímica (CIA - Centro Industrial de Aratu).

No discurso de posse diz assentar seu governo no trinômio "Ordem, Trabalho e Moralidade". Promove algumas reformas no ensino mas, sempre voltadas à construção de salas de aula e não ao preparo efetivo do magistério, a partir de seu governo o Estado assistiu à decadência da qualidade da educação pública, um processo capitaneado pelo regime ao qual se filiara.

Em seu governo recebeu a visita da Rainha Elizabeth II do Reino Unido.

Lorbeerkranz.png Academia Brasileira de Letras[editar | editar código-fonte]

Foi eleito para a Academia em 8 de abril de 1954, terceiro membro da cadeira 22, cujo patrono é José Bonifácio. Tomou posse a 15 de abril do ano seguinte, recebido por Menotti Del Picchia.

Obras[editar | editar código-fonte]

Versando sobre política (em especial o período da ditadura militar de 1964 à qual serviu), sua visão da História, e principalmente as biografias (de Rui Barbosa a Anísio Teixeira - este na sua última obra) os livros publicados por Luís Viana Filho foram:

  • 1932: O Direito dos Empregados no Comércio. Bahia : Almeida, 1932. 241 p
  • 1936: A Língua do Brasil. Bahia : A Gráfica, 1936. 70 p
  • 1938: A Sabinada. A República Baiana de 1837. Rio de Janeiro : J. Olympio, 1938. 210 p.
  • 1941: A Vida de Rui Barbosa. São Paulo : Companhia Editora Nacional, 1941. 301 p.
  • 1945: A Verdade na Biografia. Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1945. 171 p.
  • 1946: O Negro na Bahia. Rio de Janeiro : J. Olympio, 1946. 167 p.
  • 1949: Rui e Nabuco. Rio de Janeiro : J. Olympio, 1949. 230 p
  • 1952: A Vida de Joaquim Nabuco. São Paulo : Companhia Editora Nacional, 1952. 355 p.
  • 1954: Antologia de Rui Barbosa. Rio de Janeiro : Casa de Rui Barbosa, 1954. 250 p.
  • 1956: Miguel Osório. Rio de Janeiro : Simões, 1956. 76 p.
  • 1958: A Bahia Espoliada. Rio de Janeiro : Departamento de Imprensa Nacional, 1958. 16 p.
  • 1959: A Vida do Barão do Rio Branco. Rio de Janeiro : J. Olympio, 1959. 458 p
Da Nacionalidade das Sociedades. Salvador : Artes Gráficas, 1959. 83 p
  • 1963: Afrânio Peixoto. Rio de Janeiro : Agir, 1963. 118 p
  • 1965: A Vida de Machado de Assis. São Paulo : Martins, 1965. 289 p.
  • 1966: Centenário de Aloysio de Carvalho. Salvador : Academia de Letras da Bahia, 1966. 33 p.
  • 1968: Rui Barbosa e os Militares. Salvador : Imprensa Oficial da Bahia, 1968. 7 p.
  • 1972: O Último Ano de Rui na Bahia. Salvador : Imprensa Oficial da Bahia, 1972. 11 p.
  • 1974: Elogio de Antonio da Silva Melo. Rio de Janeiro : Academia Brasileira de Letras, 1974. 49 p.
  • 1975: Em favor do Nordeste. Brasília : Senado Federal, 1975. 37 p.
O Salário dos Professores e a Educação Nacional. Brasília : Senado Federal, 1975. 24 p.
O Governo Castello Branco. Rio de Janeiro : J.Olympio, 1975. 571 p
Homenagem ao Marechal Juarez Távora. Brasília : Senado Federal, 1975. 15 p.
Em favor do Nordeste. Brasília : Senado Federal, 1975. 37 p.
Onze anos de renovação e progresso. Brasília : Senado Federal, 1975. 12 p.
  • 1976: Bahia: O caminho do desenvolvimento. Brasília : Senado Federal, 1976. 16 p.
  • 1977: Ação da palavra. Brasília : Senado Federal, 1977. 146 p
O momento politico. Brasília : Senado Federal, 1977. 15 p.
As memórias do Senador Daniel Krieger. Brasília : Senado Federal, 1977. 7 p.
Rui Barbosa : seis conferências. Rio de Janeiro : Casa de Rui Barbosa, 1977. 74 p.
  • 1979: A nova fase da Republica. Brasília : Senado Federal, Centro Grafico, 1979. 10 p.
A educação e o Nordeste. Brasília : Senado Federal, Centro Grafico, 1979. 15 p.
A Vida de José de Alencar. Rio de Janeiro : J. Olympio, 1979. 311 p.
  • 1980: Um novo congresso. Brasília : 1980. 6 p.
Sub lege libertas. Brasília : Senado Federal, 1980. 8 p.
  • 1981: Embaixador Oscar Camilion. Brasília : Senado Federal, 1981. 9 p
A verdade sobre a CEPLAC. Brasília : Senado Federal, Centro Grafico, 1981. 11 p.
Problemática da educação no Nordeste. Brasília : Senado Federal, Centro Grafico, 1981. 14 p.
João Mangabeira: O homem e o politico. Brasília : Senado Federal, Centro Grafico, 1981. 19 p.
Três estadistas: Rui, Nabuco, Rio Branco. Rio de Janeiro : J. Olympio ; Brasília : INL, 1981. 1.218 p.
  • 1982: Luís Viana Filho, Um historiador na Academia Brasiliense de Letras. Brasília : Senado Federal, Centro Grafico, 1982. 23 p.
Educação no Norte e no Nordeste. Brasília : Senado Federal, Centro Grafico, 1982. 14 p.
  • 1983: Sessão solene em homenagem a suas majestades os reis de Espanha, D. Juan Carlos I e D. Sofia. Brasília : Senado Federal, Centro Grafico, 1983. 26 p.
Senador Nilo Coelho. Brasília : Senado Federal, Centro Gráfico 1983. 10 p.
As sucessões presidenciais. Brasília : Senado Federal, 1983. 24 p.
A Vida de Eça de Queiroz. Porto : Lello, 1983. 320 p.
  • 1984: Petroquímica e industrialização da Bahia : 1967-1971. Brasília : Senado Federal, 1984. 153 p.
  • 1986: Octavio Mangabeira: Um homem na tempestade. Brasília : Senado Federal, Centro Grafico, 1986. 57 p.
Castelo Branco: Testemunhos de uma época. Brasília : Senado Federal, 1986. 116p.
Dias que mudaram o Brasil. Brasília : Senado Federal, 1986. 14 p.
  • 1987: Inauguração da Biblioteca Álvaro Nascimento. Salvador : Academia de Letras da Bahia, 1987. 17 p.
  • 1988: Deus ajude o Brasil. Brasília : Senado Federal, Centro Grafico, 1988. 30 p.
Homenagem a Rômulo de Almeida. Brasília : Senado Federal, 1988. 32 p.
  • 1990: Centenario de Wanderley Pinho. Brasília : Senado Federal, Centro Grafico, 1990. 17 p.
Anísio Teixeira : a polêmica da educação. Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1990. 210 p.

Condecorações[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Biografia de Luiz Viana (Senadores Constituintes - L)». Secção "Condecoraçõoes". Sítio oficial da Câmara dos Deputados do Brasil. Consultado em 5 de janeiro de 2013 
  2. a b c d e «Cidadãos Estrangeiros Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Luis Vianna Filho". Sítio oficial da Presidência da República Portuguesa. Consultado em 5 de janeiro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Miguel Osório de Almeida
Lorbeerkranz.png ABL - terceiro acadêmico da cadeira 22
1954 — 1990
Sucedido por
Ivo Pitanguy
Precedido por
Getúlio Barbosa de Moura
Ministro chefe do Gabinete Civil
1964 — 1966
Sucedido por
Luís Augusto Fraga Navarro de Brito
Precedido por
Milton Campos
Ministro da Justiça
e
Negócios Interiores do Brasil

1965 — 1966
Sucedido por
Juracy Magalhães
Precedido por
Mem de Azambuja Sá
Ministro da Justiça
e
Negócios Interiores do Brasil

1966
Sucedido por
Carlos Medeiros Silva
Precedido por
Lomanto Júnior
Governador da Bahia
1967 — 1971
Sucedido por
Antônio Carlos Magalhães
Precedido por
Petrônio Portela Nunes
Presidente do Senado Federal do Brasil
1979 — 1981
Sucedido por
Jarbas Passarinho