Domício Proença Filho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Domício Proença Filho Academia Brasileira de Letras
Nascimento 25 de janeiro de 1936 (82 anos)
Rio de Janeiro, Bandeira do Distrito Federal (Brasil) (1891–1960).gif Distrito Federal
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Professor, poeta e pesquisador em língua portuguesa e literatura brasileira
Prêmios Troféu Raça Negra (2016)
Magnum opus Estilos de época na literatura

Domício Proença Filho (Rio de Janeiro, 25 de janeiro de 1936) é um professor e pesquisador em língua portuguesa e literatura brasileira.

É doutor em letras e livre-docente em literatura brasileira pela Universidade Federal de Santa Catarina e bacharel e licenciado em letras neolatinas pela antiga Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil. Com curso de especialização em Língua e Literatura Espanhola. Fez curso ginasial e curso clássico no Colégio Pedro II - Internato. Curso primário na Escola Joaquim Manuel de Macedo, na Ilha de Paquetá, onde viveu sua infância e adolescência.

É titular de Literatura Brasileira e professor emérito da Universidade Federal Fluminense, aposentado após 38 anos de trabalho docente nos cursos de graduação e de pós-graduação. Atuou em inúmeros outros estabelecimentos de ensino médio e superior no Brasil e no exterior.

Publicações[editar | editar código-fonte]

Obras didático-pedagógicas[editar | editar código-fonte]

  • Estilos de Época na Literatura. 20.ª ed. rev. São Paulo: Prumo, 2012.
  • A Linguagem Literária. 8.ª ed. rev. São Paulo: Ática, 2007.
  • Pós-Modernismo e Literatura. 3.ª ed. São Paulo: Ática, 1999. (Esgotado)
  • Língua Portuguesa, Literatura Nacional e a Reforma do Ensino. Rio de Janeiro: Liceu, 1974. Esgotado.
  • Um Romance de Adonias Filho (Uma leitura de Corpo vivo). Tese de Livre-Docência. Rio de Janeiro, 1974 (mimeo).
  • Manual de estilo da Enciclopédia Século XX (circulação interna), 1969.
  • Português e Literatura. Rio de Janeiro: Liceu, 1974. (Esgotado)
  • Comunicação em Português. São Paulo: Ática, 1979. 4 vols. (Esgotado)
  • Português. Rio de Janeiro: Liceu, 1969-70. 4 vols. (Esgotado)
  • Comunicação em Português. Livro do Professor. São Paulo: Ática, 1979. 4 vols. (Esgotado)
  • Noções de Gramática da Língua Portuguesa em tom de conversa. São Paulo: Editora do Brasil, 2003.
  • Por Dentro das Palavras da Nossa Língua Portuguesa. 1.ª e 2.ª ed. Rio de Janeiro: Record, 2003.
  • Língua Portuguesa, Comunicação, Cultura. 4 vols. São Paulo: Ed. do Brasil, 2004.
  • Roteiro de Dom Casmurro. Em fase de pré-publicação.
  • Nova Ortografia da Língua Portuguesa - Guia prático. Rio de Janeiro: Ed. Record, 2009.
  • Nova ortografia-Manual de consulta. Rio de Janeiro: Ed.Record, 2013.
  • Muitas línguas, uma língua − A trajetória do português brasileiro. Editora José Olympio, 2017.

Poesia[editar | editar código-fonte]

  • O Cerco Agreste. Belo Horizonte: Comunicação, 1979. (Esgotado)
  • Dionísio Esfacelado (Quilombo dos Palmares). Rio de Janeiro: Achiamé, 1984. (Esgotado)
  • Oratório dos Inconfidentes. 1.ª e 2.ª ed. Rio de Janeiro: Leo Christiano Ed. 1989. Ilustrado com inéditos de Portinari. (Esgotado)
  • O risco do jogo. São Paulo: Prumo, no prelo.

Vários poemas integrantes dessas obras, traduzidos para o italiano, figuram em antologia organizada por Sílvio de Castro.

Ficção[editar | editar código-fonte]

  • Breves estórias de Vera Cruz das Almas. Rio de Janeiro: Fractal, 1991. 1.º lugar no Concurso Literário da Secretaria de Cultura e da Fundação do Distrito Federal, 1990. Esgotado.
  • Estórias da Mitologia – O cotidiano dos deuses. Rio de Janeiro: Leviatã, 1995.Uma extravagância ficcional. Esgotado.
  • Capitu – Memórias Póstumas. Romance. Rio de Janeiro: Artium, 1998. 2.ª ed., outubro de 1999. 3.ª ed., 2005.
  • Eu, Zeus. Narrativa ficcional. São Paulo: Global, 2000. 2.ª ed. 2005.
  • Nós, as deusas do Olimpo. São Paulo: Global, 2000. 2.ª ed. 2005.
  • Os Deuses, menos o Pai. São Paulo: Global, 2000. 2.ª ed. 2005.
  • Capitù – Memorie postume. Cagliari: Fabula, 2006.Trad e Pref. de Guia Boni.
  • Capitu - Memórias Póstumas. Texto para Leitura dramatizada. 2008.

Cinema[editar | editar código-fonte]

  • Conceito e definição de conteúdo do filme "Português, a língua do Brasil", dirigido por Nelson Pereira dos Santos, produzido pela Moviarte.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Conceito, texto e a apresentação da Série de programas LER e RELER ,produzida pelo CIEE para a UTV. (20 programas) 2009.

Textos publicados em obras coletivas[editar | editar código-fonte]

  • Enciclopédia Século XX. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura / J. Olympio, 1971. Verbetes e monografias das áreas de Teoria Literária e de Literatura Brasileira.
  • CASTRO Sílvio, dir. História da Literatura Brasileira. Lisboa: Alfa, 1999, vol. 2. 5 capítulos: sobre Manuel Antônio de Almeida; Bernardo Guimarães; Visconde de Taunay; Aluísio Azevedo; Graça Aranha e a continuidade da prosa impressionista.
  • MOTA, Lourenço Dantas & ABDALLA JR., Benjamin, org. Personae – Grandes Personagens da Literatura Brasileira. São Paulo: Editora SENAC São Paulo, 2001: Capitu, a moça dos olhos de água.
  • SANT’ANNA, Afonso Romano de et al. Brasilianische Literatur: Einzgartig und umfassend – Brazilian Literature: Singular and Plural – Literatura Brasileira: Singular e Plural. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro, 1994. Panorama da Literatura Brasileira do Século XVI ao Século XX. 1994.

Alguns Ensaios[editar | editar código-fonte]

Domício Proença Filho e Nélida Piñon inauguram a exposição de caricaturas Patronos e Fundadores – 120 anos da Academia Brasileira de Letras
  • A participação da literatura no processo abolicionista. Revista Tempo Brasileiro. Rio de Janeiro, 92/93, pp. 9-32, jan/jun. 1998.
  • Permanência e atualidade de Machado de Assis. Letras e Artes. Ano III, n.º 4, pp. 3-4. Rio de Janeiro, ago. 1989.
  • Poesia brasileira contemporânea: percursos contemporâneos. Letras e Artes. Ano III, n.º 5, pp. 1-2. Rio de Janeiro, set. 1989.
  • Jorge Amado, do Brasil. Exu, n.º 16-17, jul.-ago.-set.-out., pp. 34-37. Casa de Jorge Amado, 1990.
  • Atualidade da ficção do brasileiro Machado de Assis. Rassegna Iberística, n.º 37, pp. 23-29, Milano: Cisalpino, 1990.
  • O estudo sócio-histórico do texto literário e a Literatura Brasileira. In: REIS, Roberto. Sociology and Criticism: Selected Procedures of the conference “Luso-Brazilian Literatures. A Social-Critical Approach”. Arizona State University. Center for Latin American Studies, 1991, pp. 1-20.
  • Uma leitura de “Graciliano Ramos”, o poema de João Cabral de Melo Neto. In: Range Rede. Revista de Literatura. Rio de Janeiro, Ano I, n.º 0, 1994.
  • La república de las letras de Nélida Piñon. In: El Urogallo. Revista literária y cultural. Madrid, n.º 110/111, jul.-ago. 1995, pp. 73-77.
  • Incursões para além da pele. Prefácio do livro de poemas Incursões sobre a Pele, de Nei Lopes. Rio de Janeiro: Artium, 1996.
  • Pioneirismo e sertão em D. Guidinha do poço. Estudo introdutório do romance do mesmo nome, de Manoel de Oliveira Paiva, edição Artium, 1997.
  • O Filho do Pescador – o primeiro romance brasileiro, estudo introdutório do romance de Teixeira e Sousa, edição Artium, 1997.
  • “Rubem Braga, Mestre da Crônica”. In: Um cartão de Paris. De Rubem Braga. 1999.
  • “Prefácio”. In: Aventuras, coletânea de crônicas de Rubem Braga. 2000.
  • Eduardo Portella, o humanizador das palavras. Revista Tempo Brasileiro, 151: 45/55, out/dez.2002.
  • Eduardo Portella – perfil biobibliográfico. In: Homenagem a Eduardo Portella. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2003. Coleção Austregésilo de Athayde, vol. 15, pp. 89-135.
  • A trajetória do negro na literatura brasileira. In: Estudos Avançados – Revista do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo. Vol. 18, n.º 50, jan.-abr. 2004.
  • Uma biografia romanceada. Prefácio. In: AMADO, Jorge. ABC de Castro Alves.São Paulo: Cia. Das Letras, [2010]
  • Ganga-Zumba: a saga dos quilombolas de Palmares. Prefácio. In: SANTOS, João Felício dos. Ganga- Zumba. Rio de Janeiro: J. Olympio [2009]
  • Pureza: estação de passagem. Prefácio. In: REGO, José Lins do. Pureza. Rio de Janeiro: J. Olympio [2010]
  • Um olhar agudo sobre arte e literatura. Resenha crítica do livro de Alberto da Costa e Silva, O quadrado amarelo.São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. In: Revista de Estudos Avançados da USP.

Obras organizadas[editar | editar código-fonte]

  • Os Melhores Contos de Machado de Assis. 13ª. ed. São Paulo: Global, 2001.
  • Ofícios Perigosos. Antologia de contos de Edilberto Coutinho. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1998. Esgotado.
  • A poesia dos Inconfidentes. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1996. 2ªª. ed. 2002. (Reúne, pela primeira vez num único volume, a obra completa de *Tomás Antônio Gonzaga, Cláudio Manuel da Costa e Alvarenga Peixoto.)
  • Pequena Antologia Didática de Rubem Braga. Rio de Janeiro: Record, 2.ª ed. 1997. 6.ª ed. 2001.
  • Um cartão de Paris. Rio de Janeiro: Record, 1997. (Último livro de crônicas de Rubem Braga.)
  • Aventuras, de Rubem Braga. Rio de Janeiro: Record, 2000.
  • O Livro do Seminário da 1.ª Bienal Nestlé de Literatura Brasileira. São Paulo, L/R Ed. 1982. Esgotado.
  • Literatura Brasileira: Ensaios I: crônica, teatro, crítica. São Paulo: Norte, 1986. Esgotado.
  • Literatura Brasileira: Ensaios II: romance, conto, poesia. São Paulo: Norte, 1986. Esgotado.
  • Novas Seletas. João Ubaldo Ribeiro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2004.
  • Concerto a Quatro vozes. Poemas de Adriano Espínola, Antonio Cícero, Marco Luchesi e Salgado Maranhão. Rio de Janeiro: Record, 2006.
  • Roteiros da poesia brasileira (org. Edla van Steen). O Arcadismo. São Paulo: Global, 2008.
  • Consultor editorial, organizou, para a Editora Artium, edições de romances, entre os quais: O Filho do Pescador, de Teixeira e Sousa; D. Guidinha do Poço, de Manoel de Oliveira Paiva; Bom-Crioulo e A normalista, de Adolfo Caminha; A Menina Morta e Repouso, de Cornélio Pena; Macário, de Álvares de Azevedo; Os Bruzundangas de Lima Barreto, obras lançadas em 1997/1998/1999, todos com estudo introdutório.

Pesquisas e projetos[editar | editar código-fonte]

  • “Gramática da língua portuguesa revisitada”. Concluído. Base do livro Noções de Gramática da Língua Portuguesa em Tom de Conversa, lançado em 2003.
  • “Língua portuguesa: usos e origens”. Base de livro em redação final.
  • “Pós-modernismo e Literatura”. Base do livro publicado com o mesmo título, pela Editora Ática, 1991, 3.ª ed. 1999.
  • “Manifestações da poesia brasileira contemporânea”. Iniciado em 1998. Resultados parciais: base do texto da exposição da Biblioteca Nacional na Feira Internacional do Livro de Frankfurt, 1995. Publicado; base do texto do livro Concerto a quatro vozes. Rio de Janeiro: Record, 2006.
  • "Os acordos ortográficos e a Academia Brasileira de Letras". 2008

Referências[editar | editar código-fonte]

  • BERND, Zilá. Negritude e Literatura na América Latina. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1987, pp. 112-118.
  • BERND, Zilá. Introdução à Literatura Negra. São Paulo, 1988, pp. 82-84.
  • BERND, Zilá, org. Poesia Negra Brasileira. Porto Alegre: AGE: IRL:IGEL, 1992, pp. 72-79.
  • COUTINHO, Afrânio, dir. A Literatura no Brasil. 2.ª ed. Rio de Janeiro: Editorial Sul-Americana, 1971. Vol. 6, p. 237.
  • COUTINHO, Afrânio & SOUSA, J. Galante. Enciclopédia de Literatura Brasileira. 2.ª ed. revista, ampliada, atualizada e ilustrada sob a coordenação de Graça Coutinho e Rita Moutinho. São Paulo: Global Editora; Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional / DNL : Academia Brasileira de Letras, 2001. Vol. 2, pp. 1316 e 428.
  • GRANDE ENCICLOPÉDIA DELTA-LAROUSSE. Rio de Janeiro, Delta, 1970.
  • LISBOA, Luís Carlos. Tudo o que você precisa saber para não ser um rato de biblioteca. São Paulo: MU, 1973, p. 241.
  • MARTINS, Wilson. De re poetica. Jornal do Brasil.
  • MARTINS, Wilson. A Crítica Literária no Brasil. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983. Vol. 2, p. 814.
  • NUNES, Benedito. “Dionísio esfacelado: Cancioneiro do Quilombo dos Palmares”. In: O Estado de S. Paulo. Ano IV, n. 223 (Cultura), 16.09.84, p. 10
  • PEIXOTO, Dinah Terra. Uma poesia negra no final do século XX. In: Caleidoscópio. Estudos literários. Faculdade de São Gonçalo. AOEC, n.º 5, 1985, pp. 103-26, e n.º 6, 1986, pp. 156-58.
  • PFROM NETO et al. O Livro na Educação. Rio de Janeiro: Primor/ INL, p. 203.
  • PUCHEU, Alberto & MEIRA, Caio, org. Guia Conciso de Autores Brasileiros [Brazilian Authors concise Guide]. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, Dep. Nacional do Livro; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 2002, pp. 131-32.
  • SENNA, Marta Rocha e Silva de. A Literatura no Segundo Grau hoje. Littera 8, maio/ago. 1973, p. 119.
  • UCHOA, Carlos Eduardo Cavalcanti. Língua Portuguesa, Literatura Nacional e a Reforma do Ensino. Recensão crítica. Littera 8, maio/ago. 1973, pp. 124-26.
  • DAMETTO, Nair, org. Academia Brasileira de Letras – Anuário 2002-2006. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2006, pp. 303-11.

Olivenkranz.pngAcademia Brasileira de Letras[editar | editar código-fonte]

É o quinto ocupante da cadeira 28 da Academia Brasileira de Letras, eleito em 23 de março de 2006 na sucessão do acadêmico Oscar Dias Correia, e recebido em 28 de julho de 2006 pelo acadêmico Evanildo Bechara, Presidente da ABL 2016-2017.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons


Precedido por
Oscar Dias Correia
Olivenkranz.png ABL - quinto acadêmico da cadeira 28
2006 – atualidade
Sucedido por


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.