Clementino Fraga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Clementino Fraga
Fraga, Bahia Illustrada 1918.
Nascimento 15 de setembro de 1880
Muritiba, Bahia Bahia
Morte 8 de janeiro de 1971 (90 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Médico, escritor e político

Clementino da Rocha Fraga (Muritiba, 15 de setembro de 1880Rio de Janeiro, 8 de janeiro de 1971) foi um médico, escritor e político brasileiro.[1] Foi professor catedrático de Clínica Médica da Faculdade Nacional de Medicina, na cidade do Rio de Janeiro e membro da Academia Brasileira de Letras.

Chefiou a campanha contra a febre amarela no Rio de Janeiro, a então capital do país, convocado pelo presidente Washington Luís. Exerceu o cargo de secretário geral de saúde e assistência no então Distrito Federal entre 1937 e 1940.[1]

Acadêmico[editar | editar código-fonte]

Foi eleito para a cadeira 36 da Academia Brasileira de Letras em 1938, sucedendo Afonso Celso.

Pertenceu, em caráter honorífico, à Academia de Medicina de Paris, Academia de Medicina de Buenos Aires, Academia das Ciências de Lisboa e Academia Nacional de Medicina.

É patrono da cadeira 12 da Academia Brasileira de Médicos Escritores.[1]

O seu filho Clementino Fraga Filho também foi um médico destacado e deu nome ao Hospital Universitário Clementino Fraga Filho da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Ilha do Fundão, Zona Norte da cidade. Fraga filho também foi Membro da Academia Nacional de Medicina.[2]

Obras literárias[editar | editar código-fonte]

Medalha em homenagem a Fraga, 1928

Publicou as seguintes obras:[1]

  • Discursos e Conferências, 1912
  • Orações à Mocidade, 1923
  • A Febre Amarela no Brasil, 1929
  • Ceticismo em Medicina, 1930
  • Ensino Médico e Medicina Social, 1932
  • Orientação Profissional e Higiene Pública, 1934
  • Ciência e Arte em Medicina, 1938
  • Bovarismo antes e depois de Flaubert, 1939
  • Médicos educadores, 1940
  • Amores Crepusculares, 1941
  • A vocação de Xavier Marques, 1941
  • Medicina e Humanismo, 1942
  • Doença e Gênio Literário, 1943
  • Últimas Orações, 1944
  • Vida e obra de Teófilo Dias, 1946
  • A cadeira 36 da Academia Brasileira de Letras, 1946
  • Vocação liberal de Castro Alves, 1948
  • Rui Acadêmico, 1949
  • Medicina e médicos na vida de Rui Barbosa, 1949
  • Meditações, 1965
  • Reencontros imaginários, 1968
  • Vida e obra de Oswaldo Cruz, 1972.

Homenagens[editar | editar código-fonte]

O "Complexo Hospitalar Dr. Clementino Fraga", em João Pessoa na Paraíba, especializado no tratamento da AIDS, tem seu nome em homenagem ao médico baiano.[3]

Referências

  1. a b c d * BEGLIOMINI, Helio. Imortais da Abrames. São Paulo:Expressão e Arte Editora, 2010.
  2. «Perfil de Clementino Fraga Filho no sítio oficial da Academia Nacional de Medicina». http://www.anm.org.br/ 
  3. Institucional. «Complexo Hospitalar Dr. Clementino Fraga». Consultado em 1 de dezembro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Afonso Celso de Assis Figueiredo Júnior
(fundador)
Lorbeerkranz.png ABL - segundo acadêmico da cadeira 36
1939 — 1971
Sucedido por
Paulo Carneiro
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) médico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.