Alfredo Pujol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Alfredo Pujol Academia Brasileira de Letras
Nascimento 20 de março de 1865
São João Marcos,  Rio de Janeiro
Morte 20 de maio de 1930 (65 anos)
São Paulo,  São Paulo
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Advogado, jornalista

Alfredo Gustavo Pujol (São João Marcos, 20 de março de 1865São Paulo, 20 de maio de 1930) foi um advogado, jornalista, crítico literário, político e orador brasileiro.

Filho do educador e tradutor Hippolyte Gustave Pujol e de Maria Castro Pujol.

Formou-se na Faculdade de Direito de São Paulo e desde jovem abraçou a causa republicana. Foi deputado estadual de 1898 a 1900, de 1901 a 1903, de 1907 a 1909 e de 1910 a 1912. Foi também deputado federal e secretário de governo do presidente de São Paulo Bernardino de Campos.

Participou de várias polêmicas intelectuais em seu tempo, entre elas a respeito do livro A Carne, de Júlio Ribeiro.

Foi homenageado com o nome de uma importante rua no bairro de Santana, da cidade de São Paulo.

Escreveu em jornais de São Paulo, como o Diário Mercantil e O Estado de S. Paulo, de Campinas e do Rio de Janeiro. Era membro da Academia Paulista de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Mocidade e poesia, s.d.;
  • Homenagem à memória de Sadi Carnot, 1894;
  • Floriano Peixoto, 1895;
  • O Direito na confederação, 1898;
  • Manual de audiências (em colaboração com Eugênio Egas), 1908;
  • Processos Criminais, 1908;
  • Machado de Assis, 1917;
  • Análise de "A carne", de Júlio Ribeiro.

Olivenkranz.png Academia Brasileira de Letras[editar | editar código-fonte]

Ocupou a cadeira 23 da Academia Brasileira de Letras, fundada por Machado de Assis.

Precedido por
Lafayette Rodrigues Pereira
Olivenkranz.png ABL - terceiro acadêmico da cadeira 23
1917 — 1930
Sucedido por
Otávio Mangabeira
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.