Olga Roriz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Olga Roriz
Nascimento 8 de agosto de 1955 (67 anos)
Viana do Castelo
Nacionalidade Portuguesa
Ocupação Coreógrafa e bailarina
Prémios Prémio Bordalo (1991) Bailado
Prémio Almada (2003) Dança
Prémio Autores 2018
Grande Oficial da Ordem INFANTE D. HENRIQUE

Olga Roriz GOIH (Viana do Castelo, 8 de Agosto de 1955) é uma coreógrafa e bailarina portuguesa. Entre vários galardões recebidos encontram-se o Prémio Bordalo (1991) e o Prémio Almada (2003). Foi nomeada Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique (2004).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Olga Roriz nasceu em 8 de Agosto de 1955, em Viana do Castelo.

Cedo foi para Lisboa onde iniciou os estudos de dança na Escola do Teatro Nacional de São Carlos, com Ana Ivanova. Com 18 anos de idade completou o curso da Escola de Dança do Conservatório Nacional de Lisboa. Em 1976 ingressou no elenco do Ballet Gulbenkian dirigido por Jorge Salavisa, onde permaneceu até 1992.

Iniciou o seu trabalho coreográfico nesta Companhia, para a qual criou mais de 20 obras, algumas das quais de reconhecido sucesso nacional e internacional, tanto pela crítica como pelo público. Internacionalmente os seus trabalhos têm sido apresentados nas mais importantes cidades, bem como em Nova Iorque, Brasil, Senegal e Egipto. Alguns deles foram gravados pela RTP.

Como coreógrafa[1] tem sido convidada a trabalhar com agrupamentos como a Companhia Nacional de Bailado, Dança Grupo e Companhia de Dança Contemporânea em Portugal; Ballet Teatro Guaira, no Brasil; Ballet de Monte Carlo, no Mónaco; Compañía Nacional de Danza, em Espanha; English National Ballet, no Reino Unido, Reportory American Ballet, nos EUA, e Maggio Danza di Firenze, em Itália.

Criou, ainda, 5 espectáculos a solo apresentados nos festivais Encontros ACARTE, Eurodanse, Mulhouse, Le Triangle, Rennes, e Danse à Aix.

Tem trabalhado regularmente em ópera e teatro, colaborando com encenadores como João Perry, Ricardo Pais, Claude Lulé, João Lourenço, Carlos Avilez, Silvio Porcaretti, Adriano Luz e Manuel Coelho.

Entre Maio de 1992 e Outubro de 1994 foi Directora Artística da Companhia de Dança de Lisboa.

Em Fevereiro de 1995 fundou a Companhia Olga Roriz.

Em 1997 encenou para o Teatro Nacional de São Carlos a ópera Perséphone de Igor Stravinsky, e em Janeiro de 1999, para o Teatro Plástico, estreou-se em encenação para teatro na peça Crimes Exemplares de Max Aub, onde assinou também a dramaturgia e uma nova versão do texto.

Em 15 de dezembro de 2017 recebeu o doutoramento honoris causa pela Universidade de Aveiro.

Distinções[editar | editar código-fonte]

  • 1982 - Prémio da melhor coreografia com Encontros, criada para o Ballet Gulbenkian
  • 1984 - Prémio de melhor coreografia com Três canções de Nina Hagen para o Ballet Gulbenkian
  • 1985 - Prémio de melhor coreografia com Terra do Norte para o Ballet Gulbenkian
  • 1986 - Prémio de melhor coreografia com Espaço Vazio para o Ballet Gulbenkian
  • 1987 - Prémio de melhor coreografia com Treze gestos de um corpo para o Ballet Gulbenkian
  • 1988 - Prémio de melhor coreografia com Presley ao Piano para o Ballet Gulbenkian
  • 1988 - 1.º Prémio do concurso de dança de Osaka-Japão, com After the Party
  • 1992 - É galardoada com o Prémio Bordalo (1991), na categoria de "Bailado", entregue pela Casa da Imprensa, juntamente com personalidades como Paula Rego (Artes Plásticas), José Saramago (Literatura), Maria João Pires (Música Erudita) ou Carlos Paredes (Consagração de Carreira).[2]

Obra[editar | editar código-fonte]

Peças[editar | editar código-fonte]

Coreografias para teatro e ópera[editar | editar código-fonte]

  • Teatro de Enormidades apenas criveis à luz eléctrica
  • Amor de Perdição
  • Horáceos e Coreáceos
  • Tu e Eu
  • Romeu e Julieta
  • Ópera dos Três Vinténs
  • Mãe Coragem
  • Hamlet
  • Ricardo II
  • O Crime da Aldeia Velha
  • Maçon
  • Cristopher Colombo
  • A Tempestade
  • Edmund
  • O Poder da Gorgone
  • Escadas Tortas Sem Corrimão
  • Abaixo da Cintura
  • O Merlim
  • Vertigem
  • Alma-Grande
  • Ana & Hanna

Referências

  1. Agência Lusa (21 de agosto de 2012). «Palácio Pancas é "nova esperança" de Olga Roriz para continuidade da companhia». Público. Consultado em 17 de setembro de 2012. Arquivado do original em 27 de agosto de 2012 
  2. «Prémios Bordalo». Sindicato dos Jornalistas. 22 de janeiro de 2002. Consultado em 24 de setembro de 2017 
  3. Agência Lusa (30 de janeiro de 2004). «Encenador Jorge Silva Melo recusa galardão do Instituto das Artes». Publico. Consultado em 23 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 23 de setembro de 2017 
  4. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Olga Roriz". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 6 de março de 2015 
  5. Agência Lusa (17 de maio de 2012). «Olga Roriz distinguida com o Prémio da Latinidade 2012». sicnoticias.sapo.pt. Consultado em 17 de setembro de 2012. Arquivado do original em 24 de julho de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.