Jorge Silva Melo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jorge Silva Melo
Jorge Silva Melo 2009.
Nascimento 7 de Agosto de 1948
Lisboa,  Portugal
Ocupação Encenador, ator, cineasta, dramaturgo e crítico
IMDb: (inglês)

Jorge Silva Melo (Lisboa, 7 de Agosto de 1948) é um encenador, ator, cineasta, dramaturgo e crítico português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Passou a infância na antiga cidade de Silva Porto, em Angola, voltando a Lisboa com a família no início da adolescência.

Frequentou o Externato Marista de Lisboa e foi completar os estudos secundários no Liceu Camões. A seguir, ingressou na licenciatura em Filologia Românica, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde integrou o Grupo de Teatro de Letras. Em 1969, porém, decidiu abandonar esses estudos, partindo para o Reino Unido. Com uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian frequentou a London Film School, onde obteve um diploma em Realização.

Em 1972 fundou o Teatro da Cornucópia, com Luís Miguel Cintra, que integrou até 1979.

Afastado da Cornucópia, voltou a sair do país, na qualidade de bolseiro da Gulbenkian, estagiando em Berlim, junto de Peter Stein, e em Milão, junto de Giorgio Strehler.

Em 1995 fundou a Artistas Unidos, companhia que dirige e na qual se centra a sua actividade como encenador. Enquanto realizador de cinema assinou nove películas, tendo participado na cooperativa de cinema Grupo Zero, entre 1975 e 1979. Foi também professor na Escola Superior de Teatro e Cinema.

É autor das peças de teatro Seis Rapazes Três Raparigas, António, Um Rapaz de Lisboa, O Fim ou Tende Misericórdia de Nós, Prometeu, Num País Onde Não Querem Defender os Meus Direitos, Eu Não Quero Viver, baseado em Kleist, de Não Sei (em colaboração com Miguel Borges) e O Navio dos Negros, e ainda do libreto de Le Château dês Carpathes, de Philippe Hersant, baseado em Júlio Verne.

Traduziu obras de Carlo Goldoni, Luigi Pirandello, Oscar Wilde, Bertolt Brecht, Georg Büchner, Lovecraft, Michelangelo Antonioni, Pier Paolo Pasolini, Heiner Müller e Harold Pinter.

É cronista do Mil Folhas, suplemento do jornal Público.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Filmografia como realizador
  • Sofia Areal: Um Gabinete Anti-Dor (2016)
  • Álvaro Lapa: A Literatura (2008)
  • Conversas com Glícínia - documentário (2004);
  • António, Um Rapaz de Lisboa (2000);
  • Joaquim Bravo, Évora, 1935, etc, etc, Felicidades - documentário (1999);
  • A Entrada na Vida (1997)
  • Palolo, Ver o Pensamento a Correr - documentário (1995);
  • Coitado do Jorge (1993);
  • Agosto (1987);
  • Ninguém Duas Vezes (1985);
  • Passagem ou a Meio Caminho (1980).
Filmografia como actor
Filmografia como argumentista
  • Conversas com Glícínia, de Jorge Silva Melo - documentário (2004);
  • O Pedido de Emprego, de Pedro Caldas (2000);
  • António, Um Rapaz de Lisboa, de [Jorge Silva Melo (1999);
  • Longe Daqui, de João Guerra (1994);
  • Coitado do Jorge, de Jorge Silva Melo (1993);
  • Xavier, de Manuel Mozos (1992);
  • O Desejado, de Paulo Rocha (1988);
  • Agosto, de Jorge Silva Melo (1987);
Filmografia como assistente de realização
Filmografia como director de produção
Filmografia como Produtor
  • Ninguém Duas Vezes, de Jorge Silva Melo (1985)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]