Ordem da Liberdade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ordem da Liberdade
Descrição
País Portugal Portugal
Outorgante Presidente da República
Criação 4 de outubro de 1976
Tipo Ordem Nacional
Elegibilidade Serviços relevantes prestados em defesa dos valores da Civilização, em prol da dignificação do Homem e à causa da Liberdade.
Estado Activa
Organização
Grão-Mestre Presidente Marcelo Rebelo de Sousa
Chanceler Manuela Ferreira Leite
Graus Grande-Colar (GColL)
Grã-Cruz (GCL)
Grande-Oficial (GOL)
Comendador (ComL)
Oficial (OL)
Cavaleiro (CvL)
Hierarquia
Inferior a Ordem do Infante D. Henrique
Superior a Ordem do Mérito
Fita PRT Order of Liberty - Knight BAR.png

A Ordem da Liberdade é uma ordem honorífica portuguesa, criada a 4 de outubro de 1976, que se destina a distinguir serviços relevantes prestados em defesa dos valores da civilização, em prol da dignificação do Homem e à causa da liberdade.[1]

Organização[editar | editar código-fonte]

A Ordem inclui seis graus, em ordem decrescente de preeminência:[2]

  • PRT Order of Liberty - Grand Cross BAR.png Grande-Colar (GColL)
  • PRT Order of Liberty - Grand Cross BAR.png Grã-Cruz (GCL)
  • PRT Order of Liberty - Grand Officer BAR.png Grande-Oficial (GOL)
  • PRT Order of Liberty - Commander BAR.png Comendador (ComL)[nota 1]
  • PRT Order of Liberty - Officer BAR.png Oficial (OL)
  • PRT Order of Liberty - Knight BAR.png Cavaleiro (CvL) / Dama (DmL)

Quando instituída, a Ordem incluía também duas medalhas relacionadas: a Medalha de Prata (MPL) e a Medalha de Ouro (MOL).[1] No entanto, em 2011, estas medalhas já não eram referenciadas.[2]

Tal como outras ordens portuguesas, o título de Membro-Honorário (MHL) pode ser atribuído a instituições e localidades.[4]

Para além dos cidadãos nacionais também os cidadão estrangeiros podem ser agraciados com esta Ordem.[5] [6]

Como Chanceler do Conselho das Ordens Nacionais, que inclui a Ordem da Liberdade, foi nomeada em 2011 Manuela Ferreira Leite.[7] [8] Substituiu no cargo Mota Amaral.[9]

Grandes-Colares[editar | editar código-fonte]

O Grande-Colar, geralmente reservado a Chefes de Estado, é o mais alto grau da Ordem da Liberdade.

Grandes-Colares Titulares[editar | editar código-fonte]

Grandes-Colares Honorários[editar | editar código-fonte]

Membros Titulares e Honorários[editar | editar código-fonte]

Membros desta Ordem na Wikipédia[nota 2] Para actualizar valores (clique aqui).
Categorias da Wikipédia Artigos
Grandes-Colares da Ordem da Liberdade‎
16
Grã-Cruzes da Ordem da Liberdade‎
69
Grandes-Oficiais da Ordem da Liberdade‎
41
Comendadores da Ordem da Liberdade‎
24
Oficiais da Ordem da Liberdade‎
17
Cavaleiros da Ordem da Liberdade‎‎‎
0
Medalhas de Ouro da Ordem da Liberdade‎
0
Medalhas de Prata da Ordem da Liberdade‎
0
Membros-Honorários da Ordem da Liberdade‎
27
Total de artigos
194

Entre 1976 e 2014, foram registados mais de 470 membros nesta Ordem.[5] [6] Entre os 430 membros de nacionalidade portuguesa há 2 Grandes-Colares (Soares e Sampaio), 105 Grã-Cruzes, 120 Grandes-Oficiais, 133 Comendadores, 28 Oficiais e 4 Cavaleiros ou Damas, para além de 38 entidades como Membros-Honorários.[5]

Entre os 43 agraciados estrangeiros encontramos 12 Grandes-Colares, 15 Grã-Cruzes, 6 Grandes-Oficiais, 1 Comendador, 8 Oficiais e nenhum Cavaleiro ou Dama, para além de uma entidade (Amnistia Internacional) como Membros-Honorários.[6]

Da lista de distinguidos podemos[5] [6] encontrar na Wikipédia alguns exemplos[nota 3] aqui inicialmente ordenados cronologicamente:

De salientar ainda o caso de Zeca Afonso que, em 1983, terá recusado a distinção.[carece de fontes?]

Notas

  1. No feminino "Comendadeira".[3] Também é aceite o termo "Comendadora".
  2. Actualize para obter valores mais recentes. Poderá haver na Wikipédia ainda mais distinguidos do que os incluídos nestas categorias. No entanto, nos seus artigos não estão colocadas as respectivas categorias.
  3. Exemplos mantidos porque estão devidamente referenciados nos respectivos artigos e por já se encontrarem interligados neste artigo. Eventuais acrescentos serão redundantes e desnecessários pois este artigo não é uma lista.

Referências

  1. a b «Decreto-Lei n.º 709-A/76. Cria a Ordem Nacional denominada "Ordem da Liberdade".» (pdf). Diário da República Electrónico, 1.ª série — N.º 233. 1976-10-04. pp. 2253–2254. Consultado em 2014-05-23. 
  2. a b «Lei n.º 5/2011 : Lei das Ordens Honoríficas Portuguesas.» (pdf). Diário da República Electrónico, 1.ª série — N.º 43. 2 de Março de 2011. pp. 1254–1255. Consultado em 2014-05-23. 
  3. A. Tavares Louro (24-11-2006). «Comendador, comendadeira». Ciberdúvidas. Arquivado desde o original em 2014-06-22. Consultado em 2014-06-22. 
  4. «Membros Honorários». Sítio oficial da Presidência da República Portuguesa. Consultado em 13 de Agosto de 2011. 
  5. a b c d «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado das buscas dos nomes indicados depois de seleccionada "Liberdade" na opção "Ordem". Sítio oficial da Presidência da República Portuguesa. Consultado em 2014-05-23. 
  6. a b c d «Cidadãos Estrangeiros Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado das buscas dos nomes indicados depois de seleccionada "Liberdade" na opção "Ordem". Sítio oficial da Presidência da República Portuguesa. Consultado em 2014-05-05. 
  7. Maria Luiza Rolim; Agência Lusa (18-07-2011). «Ferreira Leite nova chanceler do Conselho das Ordens Nacionais». Semanário Expresso. Arquivado desde o original em 20-06-2014. Consultado em 2014-06-20. 
  8. «Decreto do Presidente da República n.º 58/2011.» (pdf). Diário da República, 1.ª série — N.º 138. 20 de Julho de 2011. p. 4032. Consultado em 2014-05-23. 
  9. «Decreto do Presidente da República n.º 57/2011.» (pdf). Diário da República, 1.ª série — N.º 138. 20 de Julho de 2011. p. 4032. Consultado em 2014-05-23. 
  10. a b c d e f g h «Actualidade : Agraciamentos : Condecorações atribuídas pelo Presidente da República na Cerimónia Comemorativa do 25 de Abril». Sítio oficial da Presidência da República Portuguesa. 20-04-2011. Arquivado desde o original em 2012-09-05. Consultado em 2014-05-23. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]