Ordem Real de Santa Isabel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Real Ordem de Santa Isabel
Descrição
País Reino de Portugal Portugal
Outorgante Duquesa de Bragança
Criação 4 de Novembro de 1801
Tipo Ordem dinástica
Motto Pauperum Solatio (Conforto dos pobres)
Elegibilidade Senhoras Católicas por serviços à Coroa e a obras de Beneficência ou de Solidariedade Social no espírito da Rainha Santa.
Estado Activa
Organização
Grão-Mestre Isabel de Herédia (a mero título de pretensão)
Graus Dama Grã-Cruz (GCSI)
Dama de 1ª Classe (DPSI)
Dama de 2ª Classe (DSSI)
Hierarquia
Inferior a Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa
Superior a Ordem de São Miguel da Ala
Fita Ordine di Santa Isabella.png

A Ordem Real de Santa Isabel ou Real Ordem de Santa Isabel, também conhecida por Ordem da Rainha Santa Isabel ou Ordem da Rainha Santa[1] é uma ordem dinástica portuguesa, sob a protecção da Rainha Santa Isabel de Portugal, cuja título de grã-mestra foi reivindicado por D. Maria Pia de Saxe-Coburgo e Bragança e, mais tarde, por Isabel de Herédia, a esposa do pretendente do ramo miguelista Duarte Pio de Bragança.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Esta, sob a designação de Ordem das Damas Nobres de Santa Isabel ou Real Ordem das Damas Nobres de Santa Isabel, foi uma ordem honorífica e feminina, exclusivamente destinada a senhoras da nobreza, instituída pela princesa D. Carlota Joaquina de Bourbon, com a autorização do Príncipe Regente D. João de Bragança, seu marido, por decreto de 4 de Novembro de 1801, cujos estatutos foram confirmados pelo alvará de 25 de Abril de 1804.[3][4]

Com a proclamação da República Portuguesa, em 1910, a ordem foi extinta pelo Governo Provisório. A rainha D. Augusta Vitória, esposa do rei D. Manuel II, ainda que no exílio, utilizou a insígnia de Grã-Mestra. A partir da sua morte, a Ordem de Santa Isabel passou novamente a ser conferida como um título honorífico conferido por D. Maria Pia de Saxe-Coburgo e Bragança a várias senhoras que se tinham distinguido pelos seus serviços em prol das comunidades portuguesas. Em 1995, Isabel de Herédia, após o seu casamento com Duarte Pio, passou a arrogar-se presuntivamente como a 9ª grã-mestra, costumando agraciar novas Damas da Ordem na Festa da Rainha Santa Isabel (no dia 4 de julho dos anos pares), em Coimbra.[5]

Insígnia[editar | editar código-fonte]

A insígnia desta ordem, (com banda de cor-de-rosa com lista branca ao centro) é um medalhão coroado, com a figura de Santa Isabel de Portugal num acto de Caridade, dando esmola a um mendigo, sobrepujando a legenda latina Pauperum Solatio[6].

Agraciadas[editar | editar código-fonte]

Notas

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]