Maria Teresa de Luxemburgo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Maria Teresa
Grã-Duquesa Consorte de Luxemburgo
Reinado 7 de outubro de 2000 – presente
Antecessor(a) Josefina Carlota da Bélgica
 
Nascimento 22 de março de 1956 (66 anos)
  Havana,  Cuba
Cônjuge Henrique, Grão-Duque de Luxemburgo
Descendência Guilherme, Grão-Duque Herdeiro de Luxemburgo
Félix de Luxemburgo
Luís de Luxemburgo
Alexandra de Luxemburgo
Sebastião de Luxemburgo
Casa Nassau-Weilburg (por casamento)
Pai José Antônio Mestre
Mãe Maria Teresa Batista-Falla de Mestre

Maria Teresa de Luxemburgo (nascida María Teresa Mestre y Batista; Havana, 22 de março de 1956) é a consorte do grão-duque Henrique de Luxemburgo.[1]

Nascimento e família[editar | editar código-fonte]

Nasceu na cidade de Havana em Cuba no mar do Caribe, como filha de José Antônio Mestre e de María Teresa Batista-Falla de Mestre.

Educação[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 1959, durante a Revolução Cubana, deixou Cuba com os seus pais. A família partiu para a cidade de Nova Iorque nos Estados Unidos, onde ela estudou na Marymount School. Em 1961, continuou os seus estudos no Lycée Français. Em sua infância, fez cursos de balé e de canto. Praticava esqui, patinagem no gelo e natação. Sua família também viveu na cidade de Santander, na Espanha, e na cidade de Genebra, na Suíça.

Em 1980, graduou-se na Universidade de Genebra em ciência política, onde conheceu o então príncipe Henrique de Luxemburgo. Por quatro anos, tiveram estudos similares e trabalhavam, às vezes, nos mesmos grupos de estudo. Foi autora de um relatório que comparava a legislação voltada para as mulheres com a maternidade dentro da União Europeia.

Idiomas[editar | editar código-fonte]

Tem o espanhol como língua nativa, e também sabe falar francês, inglês, italiano, alemão e luxemburguês.

Interesses sociais e humanos[editar | editar código-fonte]

Durante o mesmo período, demonstrou grande interesse em problemas sociais e humanos, seguindo a tradição de sua família: seus avós tinham ido para Cuba para se devotarem ativamente à filantropia e a tarefas culturais. Foi membro de um grupo em Genebra que cuidava de pessoas idosas. Também ensinava crianças em uma sala de aula.

Como grã-duquesa, recebeu títulos da UNESCO e da UNICEF, entre outras instituições. Também viajou para países como o Nepal, Mali, Bangladesh, Tailândia, Bósnia e Herzegovina, Laos, Quênia e Burundi, onde advogou, principalmente, pelas crianças pobres. [2]

Em 2006, recebeu o Path to Peace Award da Fundação Santa Sé, por sua "rentável contribuição às causas humanitárias".

Casamento e família[editar | editar código-fonte]

Em 14 de fevereiro de 1981, casou-se com o então príncipe Henrique de Luxemburgo. O casal tive cinco filhos, quatro meninos e uma menina.

  • Guilherme , nascido em 11 de novembro de 1981
  • Félix, nascido em 3 de junho de 1984
  • Luís, nascido em 3 de agosto de 1986
  • Alexandra, nascida em 16 de fevereiro de 1991
  • Sebastião, nascido em 16 de abril de 1992

Têm cinco netos:

Bodas de coral de matrimônio[editar | editar código-fonte]

Em 14 de fevereiro de 2016, via Facebook oficial, a corte divulgou uma foto do casal em comemoração a sua Bodas de coral (35 anos) de casamento, com o texto: "Suas altezas reais o grão-duque e grã-duquesa estão comemorando seu aniversário de casamento neste domingo, 14 de fevereiro de 2016. Trinta e cinco anos de casamento celebrado no Dia de São Valentim!".[3]

Não houve outros festejos oficiais.

Controvérsias com a sogra[editar | editar código-fonte]

Em 2002, revelou à imprensa a que sua sogra, Josefina Carlota, por anos tramou a separação entre ela e Henrique porque não teria aceitado a sua condição de plebeia. As declarações quase chegaram a causar uma crise institucional e repercutiram na imprensa internacional.[4][5]

Deveres reais como grã-duquesa consorte[editar | editar código-fonte]

Ao lado do marido, realiza atividades oficiais em nome de Luxemburgo, visitando e servindo como anfitriã de chefes de estado e governantes. Também tem numerosos compromissos de âmbito social, humanitário e cultural.[6][1]

As instituições que ela está ligada:[1][7]

  • Presidente da Fundação do Grão-Duque e da Grã-Duquesa
  • Embaixador da Boa Vontade pela UNESCO (1997)
  • Doutora Honoris Causa pela Universidade de Seton Hall (New Jersey, EUA, 1999)
  • Doutora Honoris Causa pela Universidade de León (Nicarágua, 2003)
  • Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo (Portugal, 6 de maio de 2005)
  • Presidente de Honra da LuxFLAG (2006)
  • Prêmio Peace Award da Santa Sé (2006)
  • Defensora Eminente do UNICEF para as Crianças (2007)
  • Dama da Grande Cruz de Honra e Devoção da Ordem de Malta (Roma, 2008)
  • Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada (Portugal, 7 de setembro de 2010)
  • Prêmio Internacional de Solidariedade da Associação ELPIDA (2013)
  • Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique (Portugal, 23 de maio de 2017)
  • Presidente de Honra da Fondation Cancer
  • Presidente da Cruz Vermelha de Luxemburgo
  • Membro do Conselho Honorário do Comitê Paralímpico Internacional[8]
  • Grã-Cruz da Ordem de Camões (Portugal, 11 de maio de 2022)

A grã-duquesa também realiza com frequência viagens oficias ao exterior como representante de Luxemburgo.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Os seus títulos:

  • 22 de março de 1956 - 14 de fevereiro de 1981: Senhorita María Teresa Mestre y Batista
  • 14 de fevereiro de 1981 - presente: Sua Alteza Real a Grã-Duquesa Maria Teresa de Luxemburgo

Referências

  1. a b c «La Grande-Duchesse - Cour Grand-Ducale de Luxembourg - Famille grand-ducale». www.monarchie.lu. Consultado em 17 de fevereiro de 2016 
  2. «La Grande-Duchesse - Cour Grand-Ducale de Luxembourg - Famille grand-ducale». www.monarchie.lu. Consultado em 17 de fevereiro de 2016 
  3. «Fotos da Linha do Tempo - Cour Grand-Ducale | Facebook». www.facebook.com. Consultado em 17 de fevereiro de 2016 
  4. «Pelea entre nuera y suegra». www.elmundo.es. Consultado em 17 de fevereiro de 2016 
  5. «Folha Online - Mundo - Cubana fala sobre seu sofrimento na realeza de Luxemburgo - 24/06/2002». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 17 de fevereiro de 2016 
  6. «Activités du Couple grand-ducal - Cour Grand-Ducale de Luxembourg». www.monarchie.lu. Consultado em 17 de fevereiro de 2016 
  7. «Entidades Estrangeiras Agraciadas com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Grã-Duquesa Maria Teresa". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 21 de junho de 2022 
  8. «Honorary Board». International Paralympic Committee (em inglês). Consultado em 13 de fevereiro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Maria Teresa de Luxemburgo