Família grão-ducal luxemburguesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A família grão-ducal do Luxemburgo consiste na família do Grão-Duque do Luxemburgo e seu grupo de parentes próximos. Os membros possuem o título de príncipe ou princesa de Luxemburgo, exceto o herdeiro aparente que recebe o título de Grão-Duque Herdeiro, com o estilo de Sua Alteza Real.

A linha de sucessão ao trono luxemburguês acontece em questão de primogenitura absoluta. O Luxemburgo permaneceu uma possessão dos reis holandeses até a morte de Guilherme III em 1890, quando o grão-ducado passou para as mãos de Casa de Nassau-Weilburg, devido à lei sálica. Em um referendo realizado em 28 de setembro de 1919, 80,34 por cento votaram a favor da manutenção da monarquia.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1443 o último membro sênior da Casa de Luxemburgo, Isabel do Luxemburgo, vendeu o Ducado de Luxemburgo para Filipe III de Borgonha, um príncipe da Casa de Valois. Em 1477, o ducado passou por casamento para a neta de Filipe, Maria, Duquesa da Borgonha, com seu casamento com Maximiliano I do Sacro Império Romano-Germânico da Casa de Habsburgo. Luxemburgo foi um dos feudos da antiga Borgonha da Holanda quando o neto de Maximiliano e Maria, Carlos V do Sacro Império Romano-Germânico, combinou de integrar na união com as Dezessete Províncias, emitindo a Sessão Pragmática de 1549. A Holanda do Sul permaneceu parte do Império Habsburgo, primeiro organizada pelo ramo espanhol e depois pela linhagem austríaca, até que 1749 quando revolucionários franceses substituíram o domínio dos Habsburgos pela hegemonia francesa até a queda de Napoleão.

Territórios luxemburgueses, incluindo castelos ancestrais, foram tomados e ocupados por forças francesas nos primeiros estágios da queda de Napoleão. Alguns eventualmente foram cedidos para Guilherme IV, Príncipe de Nassau que foi declarado Príncipe Soberano pela Holanda em 1813, sendo primo de Frederico Guilherme III da Prússia que anexou outros territórios mantidos por diversos príncipes de vários ramos da Casa de Nassau.[1] As Grandes Potências determinaram no Congresso de Viena em 1815 em reconstituir e elevar o Luxemburgo para Grão-ducado, como hereditário de toda linha masculina da Casa de Nassau, começando pelo Príncipe de Orange, que foi simultaneamente, mas separadamente reconhecido como Rei da Holanda.

Assim Guilherme I dos Países Baixos subiu ao trono grão-ducal como o primeiro Grão-Duque do Luxemburgo. Quando a linha masculina da Casa de Orange-Nassau tornou-se extinta em 1890, a coroa da Holanda foi para sua descendente, Guilhermina dos Países Baixos, mas a coroa do Luxemburgo continuou na linha masculina, recaindo na cabeça do único ramo sobrevivente da Casa de Nassau, Adolfo, Grão-Duque de Luxemburgo. Seu filho, Guilherme IV, Grão-Duque de Luxemburgo que reinou entre 1905 e 1912 não deixou filhos e foi sucedido por suas filhas, Maria Adelaide, Grã-Duquesa de Luxemburgo e depois por Carlota, Grã-Duquesa de Luxemburgo. Seus descendentes (por seu casamento com Félix de Bourbon-Parma) compreendem a Casa Grã-Ducal no Século XXI.

Membros[editar | editar código-fonte]

O grão-duque Henrique, sua esposa a grã-duquesa Maria Teresa e o filho, Guilhreme, grã-duque herdeiro
Bandeira de carro
  • Princesa Maria Gabriela de Luxemburgo (tia do grão-duque)
  • Princesa Joan (viúva do príncipe Carlos, tio do grão-duque)
  • Princesa Charlotte
  • Príncipe Robert
    Princesa Julie
    • Princesa Charlotte
    • Príncipe Alexandre
    • Príncipe Frederik

Princesa-viúva Alice de Ligne (tia do grão-duque)

Membros colaterais[editar | editar código-fonte]

  • Arquiduque Carlos Cristiano da Áustria (marido de Maria Astrid)
    • Arquiduquesa Marie Christine, Condessa Rodolfo de Limburg-Stirum
      Conde Rodolfo de Limburg-Stirum
      • Conde Léopold de Limburg-Stirum
      • Conde Constantin de Limburg-Stirum
    • Arquiduque Imre da Áustria
      Arquiduquesa Kathleen da Áustria
      • Arquiduquesa Maria-Stella da Áustria
    • Arquiduque Christoph da Áustria
      Arquiduquesa Adélaide da Áustria
    • Arquiduque Alexander da Áustria
    • Arquiduquesa Gabriella da Áustria
  • Príncipe Nicolau de Liechtenstein (marido de Margarida)
    • Princesa Maria Anunciata de Liechtenstein
    • Princesa Maria Astrid de Liechtenstein
    • Príncipe José Emanuel de Liechtenstein
  • Príncipe Miguel de Ligne (filho mais velho de Alice)
    Princesa Eleonora (esposa de Michel)
  • Príncipe Walter de Ligne (segundo filho de Alice)
    Princesa Regina de Ligne (esposa de Walter)
    • Príncipe Felipe de Ligne
      Princesa Letícia de Ligne
      • Príncipe João Carlos de Ligne
    • Princesa Melanie Iolanda de Ligne
    • Princesa Isabel Eleonora, Baronesa Baudouin Gillès de Pelichy
      Barão Baudouin Gillès de Pelichy
  • Princesa Anne Marie, Sra. Mortgat (filha mais velha de Alice)
    Olivier Mortgat (marido de Anne Marie)
  • Princesa Cristina de Orléans e Bragança (segunda filha de Alice)
    Príncipe Antônio de Orléans e Bragança (marido de Cristina)
    • Princesa Amélia, Sra. Spearman
      Alexander James Spearman
    • Príncipe Rafael de Orléans e Bragança
    • Princesa Maria Gabriela Fernanda de Orléans e Bragança
  • Princesa Sophie, Condessa Felipe de Nicolay (terceira filha de Alice)
    Conde Felipe de Nicolay (marido de Sophie)
  • Príncipe Antônio de Ligne (filho mais novo de Alice)
    Princesa Jacqueline (esposa de Antônio)
    • Príncipe Louis
    • Princesa Marie
    • Princesa Florence
  • Princesa Iolanda, Sra. Townsend (filha mais nova de Alice)
    Hugo Townsend (marido de Iolanda)

Ex-membros[editar | editar código-fonte]

Família grão-ducal desde 1890[editar | editar código-fonte]

  • Grão-duque Adolfo (1817-1905)

Membros falecidos recentemente[editar | editar código-fonte]

  • Príncipe Antônio (marido de Alix, tia do grão-duque, morto em 2005);
  • Grã-duquesa Josefina Carlota (mãe de Henrique, morta em 2005);
  • Princesa Marie-Adélaide, Condessa Henckel de Donnersmarck (tia de Henrique, morta em 2007);
  • Princesa Isabel, Duquesa de Hohenberg (tia de Henrique, morta em 2011).
  • Grão-duque João (pai de Henrique, morto em 2019)

Referências

  1. HUMBERTY; GIRAUD (1989). L'Allemagne Dynastique Tome V: Hohenzollern-Waldeck. França: [s.n.] pp. 197–204