Maria Gabriela de Luxemburgo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Maria Gabriela
Princesa de Luxemburgo
Princesa de Nassau
Princesa de Bourbon-Parma[nota 1]
Condessa viúva de Holstein-Ledreborg
Cônjuge Karl, 7.º Conde de Holstein-Ledreborg
Descendência Mônica, 8.ª Condessa de Holstein-Ledreborg
Lydia, Princesa Eric de Bourbon-Parma
Veronica, Sra. Pottère
Condessa Siliva, Sra. Munro
Camilla, Baronesa Eric Bertouch-Lehn til Højbygaard-Lungholm<br/Tatiana, Sra. Riedemann
Antonia
Casa Bourbon-Parma (por nascimento)
Nassau-Weilburg (por nascimento)
Holstein-Ledreborg (por casamento)
Nome completo
Marie Gabriele Aldegunde Wilhelmine Louise
Nascimento 2 de agosto de 1925 (93 anos)
  Castelo de Berg, Colmar-Berg, Luxemburgo
Pai Félix de Bourbon-Parma
Mãe Carlota de Luxemburgo
Religião Catolicismo romano
Brasão

Maria Gabriela Aldegonda Guilhermina Luísa de Luxemburgo (em francês: Marie-Gabrielle Aldegonde Wilhelmine Louise; 2 de agosto de 1925) é a segunda filha da grã-duquesa Carlota de Luxemburgo e seu marido o príncipe Félix de Bourbon-Parma. Ela é a irmã mais nova do ex-grão-duque João de Luxemburgo e tia paterna do grão-duque Henrique de Luxemburgo.

Casamento[editar | editar código-fonte]

Marie Gabriele casou com Knud de Holstein-Ledreborg (2 de outubro de 1919 - 25 de junho de 2001) no Castelo de Berg em 6 de novembro de 1951. Eles tiveram sete filhas:

  • Mônica de Holstein-Ledreborg, (29 de julho 1952) casou em 13 de setembro de 2003, com Henrique de Dompierre de Jonquières (28 de maio de 1950), sem descendência.
  • Lydia de Holstein-Ledreborg (22 de fevereiro 1955) casou em primeiro lugar no Ledreborg em 8 de agosto 1980 e se divorciou em 1999, de seu primo Eric de Bourbon-Parma (28 de agosto de 1953), com descendência. Casou em segundo lugar em 31 de janeiro de 2001, com Martin Bergsøe (b. 15 de dezembro de 1948), sem descendência.
  • Veronica de Holstein-Ledreborg (29 de janeiro 1956) casou-se em Ledreborg em 18 de agosto de 1979, com François Bruno de Pottère (1 de dezembro de 1949), com descendência.
  • Silvia de Holstein-Ledreborg (1 de janeiro de 1958), herdeira do castelo Ledreborg, casou em Ledreborg em 4 de agosto de 1979, com John Munro de Foulis, com descendência.
  • Camilla de Holstein-Ledreborg (26 de fevereiro de 1959 - 4 de julho de 2010) casou em Ledreborg em 11 de janeiro de 1986 e se divorciou em 1995, de Eric Bertouch-Lehn til Højbygaard-Lungholm (15 de novembro de 1956), com descendência.
  • Tatiana de Holstein-Ledreborg (25 de abril de 1961) casou em Ledreborg em 14 de agosto de 1999, com Mark von Riedemann (20 de outubro 1964), com descendência.
  • Antonia de Holstein-Ledreborg (19 de junho 1962) uma irmã consagrada da Comunidade Emanuel da Igreja Católica Apostólica Romana.

Títulos e estilos[editar | editar código-fonte]

  • 2 de agosto de 1925 - 6 de novembro de 1951: Sua Alteza Real a princesa Marie Gabriele do Luxemburgo, Princesa de Nassau, Princesa de Bourbon-Parma[nota 2]
  • 6 de novembro de 1951 - 25 de junho de 2001: Sua Alteza Real a princesa Marie Gabriele do Luxemburgo, Princesa de Nassau, Princesa de Bourbon-Parma, Condessa de Holstein-Ledreborg
  • 25 de junho de 2001 - presente: Sua Alteza Real a princesa Marie Gabriele do Luxemburgo, Princesa de Nassau, Princesa de Bourbon-Parma, Condessa viúva de Holstein-Ledreborg

Notas

  1. Em 5 de março de 1860 o Ducado de Parma e Placência passou, mediante plebiscito, ao Reino da Sardenha. Portanto pessoas nascidas a partir de 1860 não possuem formalmente títulos relacionados ao ducado. A constituição da República Italiana promulgada em 27 de dezembro de 1947 aboliu definitivamente todos os títulos de nobreza.[1]
  2. Em 5 de março de 1860 o Ducado de Parma e Placência passou, mediante plebiscito, ao Reino da Sardenha. Portanto pessoas nascidas a partir de 1860 não possuem formalmente títulos relacionados ao ducado. A constituição da República Italiana promulgada em 27 de dezembro de 1947 aboliu definitivamente todos os títulos de nobreza.[2]

Referências

  1. «La Costituzione della Repubblica Italiana - con note» (PDF). Presidenza della Repubblica (www.quirinale.it). 27 de dezembro de 1947. Consultado em 15 de janeiro de 2016.. I titoli nobiliari non sono riconosciuti. I predicati di quelli esistenti prima del 28 ottobre 1922 valgono come parte del nome. 
  2. «La Costituzione della Repubblica Italiana - con note» (PDF). Presidenza della Repubblica (www.quirinale.it). 27 de dezembro de 1947. Consultado em 15 de janeiro de 2016.. I titoli nobiliari non sono riconosciuti. I predicati di quelli esistenti prima del 28 ottobre 1922 valgono come parte del nome.