Paulo Souto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Paulo Souto
Paulo Souto
49.º Governador da Bahia Bahia
Período 1 de janeiro de 2003
1 de janeiro de 2007
Antecessor(a) Otto Alencar
Sucessor(a) Jaques Wagner
Senador pela Bahia Bahia
Período 1 de fevereiro de 1999
31 de dezembro de 2002
46.º Governador da Bahia Bahia
Período 1 de janeiro de 1995
1 de janeiro de 1999
Antecessor(a) Antônio Imbassahy
Sucessor(a) César Borges
Vida
Nascimento 19 de novembro de 1943 (72 anos)
Caetité, Estado da Bahia
 Brasil
Nacionalidade  brasileiro
Dados pessoais
Partido PFL (1986-2007)[1]
DEM (2007-presente)[2]
Profissão Geólogo

Paulo Ganem Souto (Caetité, 19 de novembro de 1943) é um geólogo e político brasileiro.

Biografia

Filho do dr. Antônio Carlos Souto, que foi juiz e intendente do município de Caetité, e de Adélia Ganem Souto. Muito jovem mudou-se para Caravelas e passou por outras cidades, acompanhando o pai nas comarcas em que este atuou.

Em Ilhéus passa parte da juventude, tendo estudado no colégio Eusínio Lavigne e iniciado como locutor e comentarista esportivo na Rádio Cultura da cidade.

Foi locutor esportivo em Salvador, formando-se ali em Geologia, pela Universidade Federal da Bahia. Assim que se formou, volta a Ilhéus, coordenando o setor de Geologia da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (CEPLAC) por três anos, período em que faz doutorado na Universidade de São Paulo (USP). Conclui o curso em 1971, ano em que se casa com Isabel Carolina Loureiro, com quem tem três filhos.

Leciona na Universidade Federal da Bahia até vir a ocupar o cargo de superintendente da SUDENE, em 1987.

Ocupou, ainda, diversos cargos na administração do Estado, no primeiro governo de ACM, e mesmo após este, de 1979 a 1986.

Em 1991 foi eleito vice-governador, no novo mandato de ACM, a quem sucedeu, no período de 1995 a 1998, quando se licencia para concorrer ao mandato de senador, para o qual foi eleito.

Eleito senador em 1998, Paulo Souto teve atuação de destaque no Congresso Nacional. Relator da CPI do Judiciário, foi ele o responsável pela obtenção de provas que levaram, pela primeira vez na história do Brasil, à prisão de um Juiz de Direito por crime de corrupção (Nicolau dos Santos Neto) e à cassação de um senador da República pelo mesmo tipo de crime (Luís Estevão-DF).

Disputa, em 2002, novamente, o cargo de governador da Bahia e vence, exercendo o mandato 2003-2006. A vitória, em 2002, foi em primeiro turno, derrotando o candidato do PT, Jaques Wagner por 52% a 38%.

Em 2006 tentou a reeleição; embora as pesquisas indicassem sua vitória, foi derrotado por Jaques Wagner do PT já no primeiro turno, nesta que foi considerada como a maior vitória daquele partido em governos estaduais até então.[3]

Em 2007 foi eleito presidente do Democratas da Bahia. Em 2010 voltou a se candidatar contra o mesmo Jaques Wagner, sendo derrotado já no primeiro turno novamente - apesar de as pesquisas eleitorais indicarem sua vitória.[3]

Foi candidato ao governo baiano nas eleições de 5 de outubro de 2014, obtendo 37,39 % dos votos válidos contra 54,53 % do seu principal adversário, Rui Costa, eleito no 1º turno.[4] Souto era líder em todas as pesquisas, à exceção da realizada pelo IBOPE no dia 4 de outubro, segundo a qual Rui Costa e Paulo Souto estavam empatados com 46% das intenções de votos.[5]

Governos da Bahia

Realizações

Em 1994, foi eleito governador pela primeira vez, com 58,64% dos votos válidos. Sua primeira gestão à frente do Estado foi marcada por grandes programas, como o Bahia Azul, que aumentou de 25% para 80% a cobertura da rede de esgoto residencial de Salvador e foi renomeado pelo atual governo. Além do Bahia Azul, Souto implantou programas sociais como Viver Melhor, Cabra Forte e Pró Gavião.

Em 1998, se elegeu senador da República para o período de 1999 a 2007, com 2.583.185 votos (73,24%). No Senado, foi relator da CPI do Judiciário e membro titular das comissões de Assuntos econômicos, de Infra-estrutura e da Comissão de Ética, além de ter sido relator da Comissão Especial Mista da Crise Energética.

Em 2002, foi eleito novamente governador, com 53,69% dos votos válidos. Neste segundo mandato, iniciado em 1º de janeiro de 2003, Souto destacou seu trabalho neste mandato para o turismo e consolidou a Bahia como uma das principais economias do país com seu governo voltado ao desenvolvimento.

Citações

Trechos da Mensagem proferida por Paulo Souto à Assembleia Legislativa, em 15 de fevereiro de 2006:

"Nesses três anos, nos lançamos, sem arrefecer um só instante, num esforço obstinado para inserir a Bahia num novo patamar histórico de desenvolvimento. Essa jornada foi balizada, sempre, pelo propósito de promover o desenvolvimento humano, mediante a conjugação do crescimento econômico com a justiça social. Para nós, não se trata, tão somente, de buscar o crescimento, mas também a qualificação desse crescimento. Crescer com qualidade é a "regra de ouro" desse Governo.
Portal Bahia.svg A Wikipédia possui o Portal da Bahia. Artigos sobre história, cultura, personalidades e geografia.
"No nosso Governo, atribuímos prioridade absoluta à educação. A nossa visão de futuro parte da constatação de que a educação está no âmago das transformações desse novo milênio: é imperativo econômico da sociedade do conhecimento e alicerce para as políticas de redução das desigualdades, constituindo-se, ainda, num importante referencial do grau de democracia e justiça de uma sociedade."

Referências

  1. "Relação de Filiados ao [[DEM]] do [[Estado da Bahia]]." (ZIP). Tribunal Superior Eleitoral. Consult. 22 de Janeiro de 2014.  Ligação wiki dentro do título da URL (Ajuda)
  2. "Relação de Filiados ao [[DEM]] do [[Estado da Bahia]]." (ZIP). Tribunal Superior Eleitoral. Consult. 22 de Jaineiro de 2014.  Ligação wiki dentro do título da URL (Ajuda)
  3. a b Larissa Morais (10/11/2010). "Campanha Presidencial". Eleições UOL. Consult. 28/10/2014. 
  4. "Apuração de votos para governador na Bahia". G1. 05/10/2014. Consult. 05/10/2014. 
  5. "Apuração de votos para governador na Bahia". Exame. 04/10/2014. Consult. 05/10/2014. 
Precedido por
Antônio Carlos Magalhães
Governador da Bahia
1994
Sucedido por
Ruy Trindade
Precedido por
Antônio Imbassahy
Governador da Bahia
1995 - 1998
Sucedido por
César Borges
Precedido por
César Borges
Governador da Bahia
2003 - 2007
Sucedido por
Jaques Wagner
Precedido por
Josaphat Marinho
Senador (Bahia)
1999 - 2003
Sucedido por
Rodolpho Tourinho