Régis Pacheco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Régis Pacheco
Nascimento 25 de novembro de 1895
Salvador
Morte 17 de julho de 1987 (91 anos)
Cidadania Brasil
Ocupação político, médico
Empregador Universidade Federal da Bahia

Luís Régis Pacheco Pereira (Salvador, 25 de novembro de 1895 — Salvador, 17 de julho de 1987) foi um médico e político brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Régis Pacheco formou-se em medicina em 1919. Trabalhou como auxiliar no serviço de profilaxia da febre amarela e varíola, foi interno no Hospital Santa Isabel e professor de Histologia, na Faculdade de Medicina da Bahia.

De 1923 a 1937 permaneceu na oposição no estado, num grupamento chamado "Reação Republicana", depois "Autonomista" - tendo sido preso em 1932 por ser simpatizante dos constitucionalistas paulistas.

Em 1937, porém, foi nomeado pelo interventor getulista para ser prefeito da cidade baiana de Vitória da Conquista, cargo que ocupou até 1945.

Fundador, junto a Waldir Pires e outros, da secção baiana do PSD, foi por esta agremiação deputado federal constituinte em 1946, elegendo-se ainda para outras legislaturas.

Governo da Bahia[editar | editar código-fonte]

Assumiu a 31 de janeiro de 1951. Teve como principal realização de seu governo a construção da Hidrelétrica do Funil.

Curioso e engraçado episódio é narrado pelo cronista político Sebastião Nery, sobre fato ocorrido em seu governo:

"Jornalista, poeta, pintor, deputado federal classista da Bahia de 1935 a 37, constituinte estadual pelo PTB em 47 e deputado até 55, senador também pelo PTB de 55 a 63, presidente do Tribunal Superior do Trabalho, Lima Teixeira era presidente da Assembléia e substituto do governador Regis Pacheco, porque o Estado não tinha vice-governador.
Regis Pacheco viajou para o Rio, Lima Teixeira não esperou um minuto. Foi para o palácio Rio Branco e assumiu o governo. No dia seguinte, bem cedo, o governador voltou, Lima Teixeira saiu do palácio, foi para a Assembléia, direto para a tribuna, e começou um discurso assim: "No meu governo"…"
Precedido por
Octávio Mangabeira
Governador da Bahia
1951 — 1955
Sucedido por
Antônio Balbino