César Borges

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
César Borges
César Borges
Ministro-Chefe da Secretaria Nacional de Portos do Brasil
Período 26 de junho de 2014
a 1º de janeiro de 2015
Presidente Dilma Rousseff
Antecessor(a) Antonio Henrique Pinheiro Silveira
Sucessor(a) Edson Coelho Araújo
103.º Ministro dos Transportes do Brasil
Período 2 de abril de 2013
a 26 de junho de 2014
Presidente Dilma Rousseff
Antecessor(a) Paulo Sérgio Passos
Sucessor(a) Paulo Sérgio Passos
Senador pela Bahia
Período 1º de fevereiro de 2003
a 1º de fevereiro de 2011
47.º Governador da Bahia
Período 4 de abril de 1998
a 6 de abril de 2002
Antecessor(a) Paulo Souto
Sucessor(a) Otto Alencar
10.º Vice-Governador da Bahia
Período 1º de janeiro de 1995
a 4 de abril de 1998
Governador Paulo Souto
Antecessor(a) Rosalvo Barbosa Romeo
Sucessor(a) Otto Alencar
Dados pessoais
Nome completo César Augusto Rabello Borges
Nascimento 21 de novembro de 1948 (73 anos)
Salvador, BA
Nacionalidade brasileiro
Alma mater Universidade Federal da Bahia (UFBA)
Prêmio(s) Ordem do Mérito Militar[1]
Partido PFL (1986–2007)
DEM (2007)
PR (2007–2014)
sem partido (2014–presente)
Profissão engenheiro civil, político

César Augusto Rabello Borges GOMM (Salvador, 21 de novembro de 1948) é um professor, engenheiro civil e político brasileiro atualmente sem partido. Foi ministro dos Transportes e ministro-chefe dos Portos durante o governo Dilma Rousseff. Pela Bahia, foi governador e senador.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Viveu a infância e a adolescência com a família na cidade de Jequié, de onde seu pai, Waldomiro Borges, foi líder político. É graduado em engenharia civil pela Universidade Federal da Bahia, onde também lecionou. Casado com Tércia Pimentel Borges, é pai de seis filhos.[2]

Seu primeiro cargo público foi presidente da Junta Comercial do Estado da Bahia, na gestão do governador João Durval.

Filiado ao PFL, elegeu-se deputado estadual por dois mandatos consecutivos. Durante a gestão de Antônio Carlos Magalhães a frente do governo da Bahia, ocupou o cargo de Secretário de Recursos Hídricos.[3]

Impulsionado por Antônio Carlos Magalhães, foi eleito em 1994, vice-governador de Paulo Souto e, em 1998, eleito governador da Bahia. Não concluiu o mandato, para em 2002 eleger-se senador.

Admitido à Ordem do Mérito Militar em março de 1998 no grau de Comendador especial pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, foi promovido pelo mesmo em março de 1999 ao grau de Grande-Oficial.[4][1]

Nas eleições municipais de 2004, disputou a prefeitura de Salvador e chegou a disputar o segundo turno com João Henrique, porém foi derrotado.

Em outubro de 2007, deixou o Democratas (DEM), partido criado com o fim do PFL, e filiou-se ao Partido da República (PR), o qual passou a presidir no estado.[5]

Tentou a reeleição ao Senado no pleito de 2010, mas alcançou somente o terceiro lugar, com 1.583.423 votos.[6]

A partir de maio de 2012 ocupou a vice-presidência do Banco do Brasil.[7]

Em 2 de abril de 2013, foi empossado no cargo de ministro dos Transportes do Governo Dilma Rousseff.[8] Deixou o ministério em 26 de junho de 2014, quando assumiu o cargo de ministro-chefe da Secretaria Nacional dos Portos.[9] No início de 2015, deixa a pasta, sendo substituído por Edinho Araújo.[10]

Em 6 de abril de 2015, o Banco do Brasil anuncia a sua volta à instituição ocupando o cargo de vice-presidente de serviços, infraestrutura e operações.[11]

Foi anunciado como novo presidente da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) no dia 1 de setembro de 2016.[12]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Paulo Souto
Vice-governador da Bahia
1995 – 1998
Sucedido por
Otto Alencar
Precedido por
Paulo Souto
Governador da Bahia
1999 – 2002
Sucedido por
Otto Alencar
Precedido por
Paulo Sérgio Passos
Ministro dos Transportes do Brasil
2013 – 2014
Sucedido por
Paulo Sérgio Passos
Precedido por
Antonio Henrique Pinheiro Silveira
Ministro-chefe da Secretaria Nacional de Portos do Brasil
2014
Sucedido por
Edson Coelho Araújo