Álvaro Pereira de Sousa Lima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Álvaro Pereira de Souza Lima ComIH (Juiz de Fora, 23 de maio de 1890São Paulo, 5 de maio de 1968) foi um engenheiro e político brasileiro.

História[editar | editar código-fonte]

Filho de Víctor Manuel de Souza Lima e de Dalila Pereira de Souza Lima, estudou no Colégio São Luís, de Itu, tendo ingressado posteriormente na Escola Politécnica de São Paulo onde formou-se engenheiro civil elétrico e mecânico em 1914, sendo que após sua formação permaneceu alguns anos na Escola Politécnica como assistente da cadeira de máquinas e motores térmicos.

Em 1919 ingressou então na Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, onde passou pelos cargos de engenheiro - residente, engenheiro chefe de obras novas até chegar ao cargo de diretor. Na Noroeste, conheceu o engenheiro Arlindo Gomes Ribeiro da Luz, que o levou para assessorá-lo na direção da Estrada de Ferro Sorocabana em julho de 1924, onde permaneceu nessa função até o fim do mandato de Arlindo Luz na direção da Sorocabana três anos depois. De 1927 a 1934 permeneceu na estrada no cargo de engenheiro.

Em 1929 foi sócio fundador e presidente interino (1930-1931) do Instituto de Engenharia de São Paulo. Durante a Revolução Constitucionalista de 1932 integrou o corpo de engenheiros militares da Frente Norte do exército revolucionário com a patente de major. Nesta ocasião doou seu anel de engenheiro para a Campanha de arrecadação de peças de ouro "Pelo bem de São Paulo" e usou, até falecer, o anel (já desgastado pleo tempo)que o identificava como participante e apoiador da Revolução Constitucionalista de 1932. Em junho de 1934 deixa a Sorocabana para organizar e dirigir (até 1938) o recém criado Departamento de Estradas de Rodagem do estado de São Paulo.

Entre 1944 e 1947 foi chefe do setor de produção industrial da Coordenação da Mobilização Econômica (órgão do ministério do Trabalho, Indústria e Comércio). Em 1947, foi nomeado secretário de viação e obras públicas de São Paulo, por Ademar de Barros. Ficou pouco tempo no cargo até ser nomeado diretor da Estrada de Ferro Sorocabana, cargo que ocupou entre 7 de novembro de 1949 e 30 de janeiro de 1951. Durante seu mandato se destacou por ter iniciado em 1952 as obras de construção do Ramal de Jurubatuba concluídas posteriormente em 1957 (atualmente parte desse ramal faz parte da linha 9 da CPTM).

Devido ao seu magnifíco currículo foi nomeado Ministro da Viação e Obras Públicas por Getúlio Vargas cargo que ocupou entre 31 de janeiro de 1951 e 13 de junho de 1953.[1] Após deixar o ministério dirigiu por um ano e meio a Companhia Mogiana de Estradas de Ferro. Tentou retornar a Sorocabana em 1955, mas após o suicídio de Vargas, com o novo presidente, João Café Filho, foi nomeado presidente do Conselho Rodoviário Nacional, dirigindo também, a partir de março de 1955, o Departamento Nacional de Estradas de Rodagem, permaneceu em ambas funções até novembro de 1956.[2]

Em 1957 foi nomeado para o conselho de administração da Central Elétrica de Furnas, onde ficou até seu falecimento. Entre 1957 e 1959 foi nomeado diretor geral do Departamento de Águas e Energia Elétrica(DAEE) pelo governo de São Paulo. Nesse mesmo ano obtém sua aposentadoria compulsória.

Em 1961 foi um dos membros fundadores do Instituto Mauá de Tecnologia, sendo nomeado presidente do mesmo em 1968, cargo que não chegou a ocupar devido ao seu falecimento ocorrido em 5 de maio desse mesmo ano. [3]

Cargos ocupados[editar | editar código-fonte]

Álvaro Pereira de Souza Lima se destacou por ocupar os mais diversos cargos e funções técnicas de relevância em diversas áreas de atividades públicas e privadas:

Presidente[editar | editar código-fonte]

Diretor geral[editar | editar código-fonte]

  • Departamento das Municipalidades do Estado de São Paulo

Diretor técnico[editar | editar código-fonte]

  • Diretoria de Engenharia e Estatística do estado de São Paulo
  • Instituto de Economia Rural
  • Sociedade Rural Brasileira

Diretor[editar | editar código-fonte]

Chefe[editar | editar código-fonte]

Membro[editar | editar código-fonte]

  • Tribunal de Tarifas do estado de São Paulo

Homenagens e honrarias recebidas[editar | editar código-fonte]

Participou do quadro de honra e de militância das seguintes instituições:

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Galeria de Ministros». Ministério dos Transportes. 29 de outubro de 2014. Consultado em 20 de junho de 2018 
  2. «Breve Histórico do Rodoviarismo Federal no Brasil». DNIT. Consultado em 20 de junho de 2018  line feed character character in |título= at position 44 (ajuda)
  3. «Campus São Caetano do Sul: Biblioteca Eng. Álvaro de Souza Lima». Instituto Mauá de Tecnologia. Consultado em 20 de junho de 2018 
  4. Instituto de Engenharia de S. Paulo. «Ex Presidentes». Consultado em 12 de abril de 2011 
  5. «CIDADÃOS ESTRANGEIROS AGRACIADOS COM ORDENS PORTUGUESAS». Presidência da República Portuguesa. 2011. Consultado em 20 de junho de 2018 
  • FERROVIA PAULISTA SOCIEDADE ANÔNIMA; Dirigentes da Sorocabana e Fepasa;Gráfica Fepasa; Jundiaí; 1983

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Abeylard Netto Amarante
Dirigente da Estrada de Ferro Sorocabana
1949 — 1951
Sucedido por
Durval Martins Muylaert
Precedido por
João Valdetaro do Amorim e Melo
Ministro dos Transportes do Brasil
1951 — 1953
Sucedido por
Francisco Mendes