Clóvis Pestana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Clóvis Pestana
Em 1961.
Ministro do Tribunal de Contas da União
Período 1969–1973
Presidente Artur da Costa e Silva
Ministro dos Transportes
Período outubro de 1946
a abril de 1950
Presidente Eurico Gaspar Dutra
Deputado federal pelo Rio Grande do Sul
Período 1950–1969
Dados pessoais
Nascimento 27 de novembro de 1904
Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
Morte 8 de maio de 2001 (96 anos)
Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Virgínia Fontoura Trindade Pestana
Pai: Augusto Pestana
Alma mater Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Cônjuge Maria Eloísa Degrazia Pestana (c. ?)
Profissão engenheiro, advogado, político, futebolista

Clóvis Pestana (Porto Alegre, 27 de novembro de 1904 – Porto Alegre, 8 de maio de 2001) foi um político brasileiro. Era filho do líder republicano Augusto Pestana e, por parte de mãe, bisneto do líder farrapo Vicente da Fontoura.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Estudou no Colégio Santo Antônio, em São João del-Rei e no Colégio Anchieta, em Nova Friburgo. Formou-se em Engenharia civil pela então Escola Politécnica do Rio de Janeiro, e em Direito pela Faculdade de Direito de Porto Alegre.[2][3]

Foi prefeito nomeado de Porto Alegre, sucedendo a Antônio Brochado da Rocha, entre maio e novembro 1945, no final do período do Estado Novo.

Comandou o Ministério dos Transportes entre 25 de outubro de 1946 e 30 de março de 1950, no governo de Eurico Gaspar Dutra, e entre 1 de fevereiro de 1961 e 27 de agosto de 1961, no governo de Jânio Quadros.

Clóvis Pestana foi uma das principais lideranças do extinto Partido Social Democrático (PSD). Elegeu-se deputado federal pelo Rio Grande do Sul em 1950, 1954, 1958, 1962 e 1966 - nesta última legislatura, pela ARENA.

Foi ainda diretor-técnico e diretor-geral do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem do Rio Grande do Sul (1938-1945), secretário de Estado dos Negócios das Obras Públicas do Rio Grande do Sul (1946) e ministro do Tribunal de Contas da União (1969-1973).

Na juventude, Clóvis Pestana foi também jogador de futebol. Disputou 20 partidas e marcou dois gols pelo time principal do Sport Club Internacional, entre abril de 1925 e novembro de 1926, quando tinha 20-21 anos.[4] Em 1929, já ex-atleta mas ainda ligado ao clube, adquiriu por 500 mil réis uma das primeiras cotas para a construção do Estádio dos Eucaliptos.[4]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Introdução ao planejamento nacional. (1962) Editora Globo.[5]
  • Pensamento e ação de Clóvis Pestana. (1965) Editora Globo.
  • Política de salvação nacional. (1965)
  • Problemas brasileiros. (1971) Editora Ebrasa.
  • E a luta continua. (1973) Editora Globo.

Referências

  1. ROCHA ALMEIDA, Antônio da. "Vultos da Pátria, volume I". Porto Alegre, Editora do Globo, 1961.
  2. «Principais dados biográficos retirados do portal da Câmara Federal». Consultado em 11 de agosto de 2011 
  3. «Min. Clóvis Pestana (1969-1973)». Portal do TCU. Consultado em 29 de novembro de 2022 
  4. a b «Sítio oficial do Sport Club Internacional». Consultado em 11 de novembro de 2011. Arquivado do original em 9 de abril de 2008 
  5. «Livros de Clóvis Pestana na Estante Virtual». Consultado em 11 de agosto de 2011 


Precedido por
Antônio Brochado da Rocha
Prefeito de Porto Alegre
1945
Sucedido por
Ivo Wolf
Precedido por
Luís Augusto da Silva Vieira
Ministro dos Transportes do Brasil
1946 — 1950
Sucedido por
João Valdetaro do Amorim e Melo
Precedido por
Ernani do Amaral Peixoto
Ministro dos Transportes do Brasil
1961
Sucedido por
Hélio Cruz de Oliveira