Sebastião Melo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sebastião Melo
Deputado estadual do Rio Grande do Sul
Período Eleito, ainda não assumiu
Vice-prefeito de Porto Alegre
Período 1 de janeiro de 2013

até 1 de janeiro de 2017

Prefeito José Fortunati
Antecessor José Fortunati
Sucessor Gustavo Paim
Vereador de Porto Alegre
Período de 2000

até 2012 (três legislaturas)

Dados pessoais
Nome completo Sebastião de Araujo Melo
Nascimento 24 de julho de 1958 (60 anos)
Piracanjuba, GO, Brasil
Partido MDB
Ocupação Advogado

Sebastião de Araújo Melo (Piracanjuba, 24 de julho de 1958) é um advogado e político brasileiro, filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Nas eleições de 2018, foi eleito deputado estadual no Rio Grande do Sul.[1] Anteriormente, foi vice-prefeito de Porto Alegre, sendo José Fortunati o titular da chapa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Vindo do interior de Goiás, chegou a Porto Alegre em fevereiro de 1978.[2]

Trajetória política[editar | editar código-fonte]

Câmara Municipal de Porto Alegre[editar | editar código-fonte]

Tornou-se vereador da cidade pela primeira vez em 2000. Foi reeleito em 2004 e 2008.

Em 2007, foi escolhido para presidir a Câmara Municipal de Porto Alegre.[3] Foi presidente da Câmara durante os anos de 2008 e 2009.

Recebeu título de Cidadão de Porto Alegre em 2016, por iniciativa da Câmara, quando já era vice-prefeito da cidade.[4]

Vice-prefeito de Porto Alegre[editar | editar código-fonte]

Sebastião Melo foi escolhido pelo diretório do MDB (então PMDB) para concorrer como vice do candidato José Fortunati, então no PDT, que concorria à reeleição ao cargo de prefeito de Porto Alegre, na eleição de 2012. Com a vitória de Fortunati logo no primeiro turno, Melo foi empossado como vice-prefeito em 1 de janeiro de 2013.[5].

Candidatura à prefeitura de Porto Alegre[editar | editar código-fonte]

Em 2016, lançou-se candidato a prefeito de Porto Alegre. Melo conseguiu chegar ao segundo turno, mas perdeu para Nelson Marchezan Júnior. No primeiro turno, obteve 185.655 votos (25.93%) 39.50%; e no segundo, 262,601 (39,50%)[6]

Morte durante campanha[editar | editar código-fonte]

Em 17 de outubro de 2016, o coordenador-executivo da campanha, Plínio Zalewski, foi encontrado morto na tarde desta segunda-feira, na sede do partido, no Centro Histórico de Porto Alegre. Era um dos principais articuladores da campanha do então vice-prefeito. Sobre a morte de Zalewski, Melo afirmou:[7]

Sua memória nunca será esquecida. Nunca teve uma pessoa que quisesse tanto que eu fosse candidato, como ele. Lamento profundamente, porque a política para mim sempre foi paz. E eu vou continuar nesse caminho


Foi enterrado no dia seguinte. A principal hipótese era suicídio com arma branca. No local da morte, foi encontrado um bilhete em tom de despedida.[8]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.