Luís Augusto Lara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Luís Augusto Lara
Deputado Estadual do Rio Grande do Sul
Período 1º de fevereiro de 2007
até a atualidade
Presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul
Período 1º de fevereiro de 2019
1º de fevereiro de 2020
Secretário de Turismo, Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul
Período 2003
2008
Governador Germano Rigotto
Governadora Yeda Crusius
Vereador de Bagé
Período 1992
1º de fevereiro de 1999
Dados pessoais
Nascimento 19 de outubro de 1968 (52 anos)
Bagé
Nacionalidade  Brasileiro
Partido PDS (1990-1993)
PPR (1993-1995)
PPB (1995-1997)
PTB (1997-presente)
Ocupação Direito e política

Luís Augusto Barcellos Lara (Bagé, 19 de outubro de 1968) é um advogado e político brasileiro filiado ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Foi eleito vereador de Bagé em 1992 pelo Partido Democrático Social (PDS) e reeleito como vereador mais votado do município em 1996 pelo Partido Progressista Brasileiro (PPB). Saiu do partido em 1997 para fundar o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) em Bagé.[1][2]

Foi deputado estadual pelo Rio Grande do Sul na 52ª legislatura (2007 — 2011. Nas eleições de 2014, em 5 de outubro, foi eleito deputado estadual à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul na 54ª legislatura (2015 — 2019).[3] Assumiu o cargo em 1 de fevereiro de 2015, nas eleições de 2018, em 7 de outubro, foi reeleito deputado estadual com 56.396 mil votos, cujo mandato expira em 1 de fevereiro de 2023.[4] [5]

Durante o ano de 2019, atuou como presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul. A gestão de Lara foi marcada por iniciativas como o Cresce RS[6], a campanha Valores que Ficam [7] e a economia de quase 150 milhões de reais para os cofres públicos[carece de fontes?].

Cassação de mandato[editar | editar código-fonte]

No dia 21 de outubro de 2019, enquanto exercia o cargo de presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, Luís Augusto Lara foi cassado pelo pleno do Tribunal Regional do Rio Grande do Sul. Ao lado do irmão, Divaldo Lara (prefeito de Bagé), Lara foi condenado por abuso do poder econômico e político e uso indevido dos meios de comunicação nas eleições de 2018.[8] O parlamentar pode continuar no cargo até que o Tribunal Superior Eleitoral julgue o recurso da defesa.[9]

No dia 4 de maio de 2020, a Procuradoria-Geral Eleitoral recomendou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a cassação de Luís Augusto Lara e a anulação dos votos computados a ele no pleito de 2018. Com o novo cálculo do quociente eleitoral o PTB perderia uma das cadeiras da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul.[10]

Em 14 de abril de 2021, o TSE manteve a inelegibilidade de Luís Augusto e do irmão e a cassação do primeiro. Na decisão, o ministro Alexandre de Moraes sustentou que "não há dúvida de que os ilícitos foram praticados com o objetivo de interferir na normalidade das eleições, provocando inequívoco desequilíbrio mediante o apadrinhado empenho de bens e de servidores públicos em prol da reeleição de Luís Augusto de Barcelos Lara".[11]

Referências

  1. capa.tre-rs.jus.br http://capa.tre-rs.jus.br/eleicoes/1992/BAGE.htm. Consultado em 15 de março de 2021  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  2. LUTA, SINDPERS NA (4 de fevereiro de 2019). «Os incentivos fiscais têm que ser auditados, diz Lara». SINDPERS. Consultado em 15 de março de 2021 
  3. «Parlamento 2015 - Luís Augusto Lara (PTB)». Consultado em 7 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 7 de fevereiro de 2015 
  4. Empossados os novos deputados estaduais e instalada a 54ª Legislatura. Página da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul
  5. https://al-rs.jusbrasil.com.br/noticias/2471658/eleito-para-o-quarto-mandato-luis-augusto-lara-quer-comecar-tudo-do-zero
  6. «Movimento Cresce RS é lançado em ato no Palácio Piratini». Agência de Notícias ALRS. Consultado em 11 de março de 2020 
  7. «Valores que ficam | RS». valoresqueficam.al.rs.gov.br. Consultado em 11 de março de 2020 
  8. «Pleno do TRE-RS cassa o mandato de Luis Augusto Lara». www.tre-rs.jus.br. Consultado em 18 de fevereiro de 2020 
  9. Rivas, Lucas (22 de outubro de 2019). «Cassado pelo TRE, Lara segue na Presidência da AL até que TSE julgue o caso». Rádio Guaíba. Consultado em 18 de fevereiro de 2020 
  10. «Procuradoria recomenda ao TSE cassação de Lara e concessão de vaga ao PSOL na Assembleia». 4 de maio de 2020 
  11. «TSE mantém mandato cassado do deputado Luís Augusto Lara por abuso de poder». G1. Consultado em 15 de abril de 2021 
Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.