Eliseu Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Eliseu Santos
Nascimento 8 de dezembro de 1946
Porto Alegre,  Rio Grande do Sul
Morte 26 de fevereiro de 2010 (63 anos)
Porto Alegre, Rio Grande do Sul Rio Grande do Sul

Eliseu Felippe dos Santos (Porto Alegre, 8 de dezembro de 1946 — Porto Alegre, 26 de fevereiro de 2010) foi um político brasileiro.

Foi vereador (eleito em 1992), deputado estadual (eleito em 1994, reeleito em 1998), vice-prefeito da cidade de Porto Alegre na gestão 2005—2008, eleito na chapa de José Fogaça em 2004. Pertencia ao PTB do Rio Grande do Sul.

Foi médico ortopedista, formado pela Faculdade de Medicina da UFRGS, na turma de 1973. Em 2007 assumiu a Secretaria da Saúde em Porto Alegre, e implementou uma agenda de mudanças no sistema de saúde porto-alegrense.[1]

Na noite de 26 de fevereiro de 2010 foi assassinado a tiros, no bairro Floresta, em Porto Alegre. Segundo testemunhas, homens teriam descido de um Vectra, se dirigindo ao secretário, e lhe desferido os tiros, sendo três à queima-roupa: um no coração e um na perna. Estava saindo de um culto evangélico, acompanhado da esposa Denise e da filha Mariana (7 anos). Eliseu, que portava uma pistola, reagiu ao ataque, mas não evitou sua morte. Tudo indica que a execução de Eliseu Santos esteja ligada ao escândalo envolvendo a empresa Reação, que oferecia propina em troca da manutenção de contratos com a secretaria da saúde de Porto Alegre.[2][3][4]

Referências

  1. Zero Hora (26 de fevereiro de 2010). «Trajetória de Eliseu Santos é marcada pelo foco na área de Saúde». Consultado em 27 de fevereiro de 2010 
  2. Zero Hora (26 de fevereiro de 2010). «Secretário da Saúde de Porto Alegre é assassinado na Capital». Consultado em 27 de fevereiro de 2010 
  3. Zero Hora (26 de fevereiro de 2010). «Delegado afirma que houve troca de tiros entre Eliseu Santos e criminosos». Consultado em 27 de fevereiro de 2010 
  4. www.novohamburgo.org (27 de fevereiro de 2010). «Secretário de Saúde de Porto Alegre é assassinado». Consultado em 27 de fevereiro de 2010