Floresta (Porto Alegre)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Floresta, veja Floresta (desambiguação).

Floresta
  Bairro do Brasil  
Floresta bairro Porto Alegre.JPG
Localização
Município Porto Alegre
Características geográficas
Área total 167 hectares
População total 11,596 hab (2 010)< hab.
Densidade 89 hab/ha hab./km²
Outras informações
Taxa de crescimento (-) 5,7% (de 1991 a 2000)
Domicílios 4.784
Rendimento médio mensal 12,39 salários mínimos
Fonte: Não disponível

Floresta é um bairro da cidade brasileira de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul. Foi criado pela lei 2.022 de 7 de dezembro de 1959 e alterado pela Lei 12.112 de 22 de agosto de 2016.

Localizado próximo ao centro de Porto Alegre, e sendo via principal do aeroporto para o centro, o bairro Floresta tem como principais avenidas a Farrapos, a Cristóvão Colombo e a Rua Voluntários da Pátria. Faz divisa, além do Centro, com os bairros Independência, Moinhos de Vento, Higienópolis e São Geraldo.

Histórico[1][editar | editar código-fonte]

O bairro teve início pela Estrada da Floresta (atual Avenida Cristóvão Colombo), que ligava o centro a um longínquo morro coberto de densa vegetação arbustiva, verdadeira mata virgem. Com o tempo, esta floresta proveu lenha para os fogões domésticos ou serviu de matéria-prima para madeireiras da região. Assim, à medida que morro foi sendo desflorestado e a estrada habitada, o bairro foi se desenvolvendo.

Em dezembro de 1849, no topo do morro ainda então bastante arborizado, foi inaugurado um hospital, a Casa de Saúde Bela Vista. Mais de cinquenta anos depois, em 1903, o hospital foi adquirido pelo Exército, tornando-se o atual Hospital Militar de Porto Alegre, mas que atualmente não pertence mais aos limites do bairro, pois está situado no vizinho bairro Auxiliadora.[2]

Em 1883 foi construído o prédio da Sociedade Florida na Rua Comendador Azevedo, 444.Pertenceu a antiga Sociedade com o mesmo nome da Praça e que comandava diversos eventos do bairro floresta. A Sociedade teve o seu apogeu na primeira metade do século passado, com campeonatos de “Bolão”, modalidade esportiva de origem germânica, muito aceita pelos gaúchos. Nos anos 50 e 60 a Sociedade formou apoiou equipes de vôlei e basquete. Hoje a Sociedade está totalmente desmobilizada e o prédio é utilizado por Lojas Maçônicas para os seus encontros semanais.[3]

Em 1888 foi fundada a Igreja de São Pedro, com cuja construção, em terreno doado por Dona Carmen, uma senhora muito religiosa, a urbanização da região tomou novo impulso. Em 2016, com a nova Lei de bairros, a Igreja passou a pertencer ao Bairro Moinhos de Vento.

Com o passar do tempo, observou-se a tendência industrial da região, abrigando, entre outras, as cervejarias Bopp, Sasse, Ritter e Cia. Ltda. e a Cervejaria Brahma. Nas redondezas das fábricas, os funcionários foram construindo suas casas, tendo como exemplo o prédio à Rua Comendador Coruja, que foi projetado pelo arquiteto teuto-brasileiro Theo Wiederspahn.

O Palacinho foi construído pelo engenheiro italiano Armando Boni. A construção do palacete, que destinava-se a hospedar o Conde Galezzo Ciano foi encomendada pelo comerciante Santo Meneghetti em 1926. Em janeiro de 1954 o imóvel foi desapropriado por decreto pelo Governador do Estado, para sediar o Departamento Estadual do Serviço Público. Mais tarde passou a ser a residência oficial do Vice-governador, sendo hoje conhecido como Palacinho.

Em 1939 começou a ser erguido o Moinhos Germani. Localizado na Rua 7 de Abril esquina com rua Emancipação. Empreendimento do italiano Aristides Germani, grande promotor do plantio de trigo no Brasil, líder comunitário e uma das personalidades da colônia italiana no Estado, na primeira metade do século passado. O prédio possui mais de quatro mil metros de área construída.[4] Atualmente, o prédio pertence à construtora Ivo Rizzo e encontra-se abandonado.

Prédio construído entre os anos de 1946 e 1949, a Paróquia Santa Teresinha está localizada na Rua Ramiro Barcelos esquina com a Rua São Carlos. A fachada é austera, quase sem decoração, mas, no seu interior, é uma das mais bonitas de Porto Alegre, com uma interpretação típica das igrejas renascentistas. A Paróquia apresenta uma série de murais (1952) criados por Aldo Locatelli e Emílio Sessa, italianos de Bérgamo, responsáveis por grandes obras em Igrejas e Espaços Públicos no Estado, no século passado.[5]

Características atuais[editar | editar código-fonte]

O bairro possui muitos prédios antigos, em sua maioria das décadas de 1950, 1960 e 1970, tendo os mesmos pouca ou, às vezes, nenhuma conservação. Atualmente, o Floresta conta com grande variedade comercial, preservando ainda algumas de suas indústrias, mas não deixou de ser residencial. Outras igrejas foram erguidas, tanto católicas como protestantes, respeitando a homogeneidade de seus moradores.

Em algumas ruas do bairro, próximas a Av. Farrapos, onde se localizam diversas boates, existe alto índice de prostituição, além da chamada "prostituição de rua", à noite.

Muitos empreendimentos de grande porte, como o Shopping Total[6] (com a nova Lei de bairros de 2016 o Shopping Total passou a pertencer ao bairro Independência) e o Shopping Floresta (em construção),[7] bem como a migração de muitas empresas de médio porte, estão contribuindo de forma significativa para o melhoramento do bairro.

No bairro também está localizada a Secretaria de Segurança Pública e encontra-se em construção o Centro Regional de Excelência em Pericias Criminais do Sul,  ao lado da Rodoviária.

Outro fator importante é a proximidade do bairro com o Centro da capital gaúcha, proporcionando às empresas e aos seus moradores facilidades no manejo e logística.

As praças do bairro são: Praça Bartolomeu de Gusmão[8] e Florida.

Quarto Distrito e a revitalização do bairro[editar | editar código-fonte]

O Bairro Floresta faz parte do chamado 4.º Distrito. Ainda que a atual divisão administrativa não delimite distritos, e exista divergências quanto a sua abrangência, o termo 4.º Distrito é usado para denominar a área compreendida pelos bairros Navegantes, São Geraldo, Floresta, Humaitá e Farrapos.

Como parte de uma série de medidas de revitalização do Quarto Distrito, há reduções de impostos municipais para empresas de base tecnológica, inovadoras e de economia criativa instaladas nesses bairros.

Destaca-se no bairro Floresta, como parte dos avanços de revitalização, o Vila Flores. O Vila Flores é um complexo arquitetônico formado por 3 edificações e um pátio listados no Inventário do Patrimônio Cultural de Bens Imóveis do Bairro Floresta, classificadas como imóveis de Estruturação e situadas em Área de Interesse Cultural de Porto Alegre.Atualmente, o espaço abriga diversas funções: local para a realização de atividades socioculturais (coordenadas pela Associação Cultural Vila Flores), espaço de trabalho de artistas e empreendedores criativos (os residentes) e ambiente de aprendizado.

Também merece destaque as ações do Projeto Distrito C. O Distrito C é Polo de Economia Criativa, Economia do Conhecimento e da Experiência, constituído no momento por 82 artistas, em sua maioria no bairro Floresta. Esse projeto de inovação social foi criado pela Urbs Nova Porto Alegre - Barcelona, que é uma agência de design social.

Pontos de referência[editar | editar código-fonte]

A Igreja de São Pedro, presente no Floresta desde 1888.
Religiosas
De ensino
  • Escola Estadual de Ensino Fundamental Camila Furtado Alves
Outros
Hotéis
  • Hotel ibis Styles Porto Alegre Centro
  • Porto Alegre Hostel Boutique
  • Ritter Hotel
  • Açores Premium Hotel
  • Continental Porto Alegre Hotel
  • Garibaldi Business Hotel
  • Minuano Hotel Home
  • Hotel Minuano Express
  • Hotel Express Rodoviária
  • Hotel Elevado
  • Umbu Hotel Porto Alegre

Limites atuais[editar | editar código-fonte]

Ponto inicial e final: encontro da Avenida Alberto Bins com a Avenida Cristóvão Colombo; desse ponto segue pela Avenida Cristóvão Colombo por essa até a Avenida Benjamin Constant, por essa até a Rua Olinda, por essa até a Avenida Pernambuco, por essa até a Rua Almirante Tamandaré, por essa até a Rua Conde de Porto Alegre, por essa até a Rua do Parque, por essa até a Rua Voluntários da Pátria, por essa até a Rua Consolação, por essa até a Avenida da Legalidade e da Democracia (antiga Avenida Presidente Castelo Branco), desse ponto segue por uma linha reta e imaginária até o Cais Marcílio Dias, junto à orla do Lago Guaíba, ponto de coordenadas E: 279.467; N: 1.678.736; segue pelo limite desse cais no sentido sul, até o limite do Cais Marcílio Dias com o Cais Mauá, ponto de coordenadas E: 278.878; N: 1.677.572; desse ponto segue por uma linha reta e imaginária até o encontro da Avenida da Legalidade e da Democracia com o Largo Vespasiano Júlio Veppo, ponto de coordenadas E: 278.979; N: 1.677.541, por esse até o Complexo Viário Conceição - túnel, elevadas, acessos e Rua da Conceição, por esse até a Avenida Alberto Bins, por essa até a Avenida Cristóvão Colombo, ponto inicia. Fonte: Lei 12.112 de 22 de agosto de 2016.

Referências

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Floresta (Porto Alegre)