Jardim do Salso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jardim do Salso
  Bairro do Brasil  
Jardim do salso porto alegre.JPG
Município Porto Alegre
Área
 - Total 93 hectares
População
 - Total 5,143 hab (2 000)
2,395 homens
2,748 mulheres
    • Densidade 55 hab/ha hab./km²
Taxa de crescimento (+) 1,6% (de 1991 a 2000)
Domicílios 1.881
Rendimento médio mensal 11,44 salários mínimos
Fonte: Não disponível

Jardim do Salso é um bairro da cidade brasileira de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul. Foi criado pela Lei 6594 de 31 de janeiro de 1990.

Localiza-se geograficamente na Zona Leste de Porto Alegre.

Características atuais[1][editar | editar código-fonte]

O Bairro Jardim do Salso é relativamente novo, com cerca de 30 anos de ocupação efetiva. Sua ocupação atual é dada por classes sociais distintas, mas principalmente pelas classes B e C. É basicamente um bairro residencial, com regiões de média densidade e regiões de baixa densidade.

O bairro possui três grandes parques com opções de lazer para crianças (com playground), adolescentes e adultos (com campos de futebol, basquete e vôlei, além de mesas para jogos) e de bancos para sentar e tomar o típico chimarrão.

As ruas do bairro são quase todas asfaltadas parcialmente ou totalmente (as que são parcialmente, mantem paralelepípedos como segunda pavimentação).

O bairro possui um supermercado, cerca de oito mercados/mini-mercados, duas locadoras de vídeo/dvd, um posto de gasolina, um colégio estadual de primeiro e segundo graus, duas padarias, duas farmácias e três restaurantes.

Contem como referências uma unidade do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC) da Polícia Civil, e a AACD Porto Alegre. Na Avenida Ipiranga, destaca comércio de móveis (como sofás e tapetes) e um bairro planejado chamado Residencial Parque - às vezes atribuído erroneamente ao Jardim Botânico.

Devido à proximidade ao violento bairro Bom Jesus, tem alta incidência de assaltos. A segurança carece de atenção das autoridades, por ser bairro residencial de pequeno porte.

Está localizado no bairro a casa de culto de religião de matriz africana, Centro Africano Ogun e Osalá, residente a rua Professor Abílio Azambuja, número 706. A casa trabalha com sessões quinzenais de Umbanda e Quimbanda.

Principais vias de acesso[editar | editar código-fonte]

As principais vias de acesso ao bairro são a Avenida Ipiranga e a Rua Professor Cristiano Fischer. Além disso, as avenidas Protásio Alves e Salvador França servem o bairro indiretamente.

Limites atuais[editar | editar código-fonte]

Avenida Ipiranga, da esquina com a Rua Professor Cristiano Fischer e nela até a Rua Palestina, seguindo-o até a Rua São Benedito; e, desta, até a Rua Professor Abílio Azambuja, percorrendo-a até a Rua Santa Isabel; e, por esta, até encontrar a avenida projetada de diretriz do Plano Diretor 2717, indo por esta até a Rua Aldo Menotti Sirângelo; por ela segue até a Rua A-N do Loteamento Jardim Guanabara, até a Rua A-P do mesmo loteamento; seguindo por ela e seu prolongamento até a rua projetada diretriz do Plano Diretor 2709; pela rua citada continua até encontrar a rua projetada, diretriz do plano Diretor 2705 e, por esta, continua até a Avenida Ipiranga, seguindo-a até a Rua Professor Cristiano Fischer.

Limita-se ao norte com o bairro Bom Jesus, a leste com o bairro Jardim Carvalho, ao noroeste com o bairro Petrópolis, a oeste com o bairro Jardim Botânico e ao sul com o bairro Partenon (ou Intercap).

Referências

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  • SANHUDO, Ary Veiga. Porto Alegre Crônicas da minha cidade. vol. 2. Porto Alegre. Ed. Movimento/ Instituto Estadual do Livro, 1975.
  • SOUZA, Célia Ferraz e MULLER, Maria Doris. Porto Alegre e sua Evolução Urbana. Editora da Universidade/UFRGS.
  • Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho

Ligações externas[editar | editar código-fonte]