Padaria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde junho de 2012). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Massa de pão sendo amassada manualmente

Padaria ou panificadora é um comércio (geralmente também é indústria, salvo casos nos quais os proprietários vendem somente produtos terceirizados) de grande popularidade em vários países. Em sua grande maioria, são empresas de pequeno porte, mas vários empresários estão investindo, para poderem ser conhecidos como Grandes Casas.

O pão e demais produtos panificados são os principais produtos comercializados pelas padarias

Geralmente, as grandes padarias funcionam como ponto de encontro para vários empresários, vendedores, etc. Estas empresas vêm evoluindo ultimamente e oferecendo serviços como acesso à Wi-Fi, happy hour, entre outros.

História[editar | editar código-fonte]

A arte da panificação foi desenvolvida no início do Império Romano. Era uma arte altamente famosa como os cidadãos romanos amavam assados ​​e exigiam por eles frequentemente para ocasiões importantes como festas e casamentos etc. Devido à fama e desejo que a arte de assar recebeu, por volta de 300 a.C, a panificação foi introduzida como uma ocupação e profissão respeitável para os romanos. Os padeiros começaram a preparar pão em casa em um forno, usando moinhos para moer grãos na farinha para seus pães. A demanda que se aproximava por assados ​​vigorosamente continuou e a primeira guilda de padeiros foi estabelecida em 168 a.C., em Roma. Este apelo drástico para produtos de panificação promoveu o cozimento em toda a Europa e se expandiu para as partes orientais da Ásia. Os padeiros começaram a fazer pães e produtos em casa e vendê-los nas ruas.

Esta tendência tornou-se comum e, em breve, produtos de panificação foram vendidos nas ruas de Roma, Alemanha, Londres e muitos mais. Isso resultou em um sistema de entrega de mercadorias para as famílias, uma vez que a demanda por pães assados ​​e bens aumentou significativamente. Isso provocou que os padeiros estabelecessem um lugar onde as pessoas pudessem comprar assados ​​para si mesmos. Portanto, em Paris, a primeira padaria a céu aberto de produtos de panificação foi desenvolvida e, desde então, as padarias se tornaram um lugar comum para comprar produtos deliciosos e se reunir em todo o mundo. Na era colonial, as padarias eram comumente vistas como lugares para se reunir e socializar. [1]

Em 7 de julho de 1928, uma padaria em Chillicothe (Missouri), introduziu o pão pré-cortado usando a máquina automática de cortar pão, inventada por Otto Frederick Rohwedder. Enquanto o pão inicialmente não conseguiu vender, devido à sua estética "desleixada", e o fato de que ele ficou obsoleto mais rápido, [2] mais tarde se tornou popular. Na Segunda Guerra Mundial, as máquinas de cortar pão eram efetivamente proibidas, já que o metal nelas era necessário para uso em tempo de guerra. Quando foram requisitados, criando 100 toneladas de liga metálica, a decisão se mostrou muito impopular entre as donas de casa.[3]

A Segunda Guerra Mundial afetou diretamente as indústrias de pão no Reino Unido. As escolas de panificação fechavam durante esse período, de modo que, quando a guerra terminou, houve uma ausência de padeiros habilidosos. Isso resultou em novos métodos sendo desenvolvidos para satisfazer o desejo de pão do mundo. Métodos como: adicionar produtos químicos à massa, pré-misturas e maquinaria especializada. Esses métodos antigos de cozimento foram quase completamente erradicados quando esses novos métodos foram introduzidos e se industrializaram. Os métodos antigos eram vistos como desnecessários e financeiramente inseguros, durante esse período não restavam muitas padarias tradicionais.

Referências[editar | editar código-fonte]

Links externos[editar | editar código-fonte]

  • Media relacionados com Padaria no Wikimedia Commons