Banco de sementes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sementes armazenadas

Um banco de sementes armazena sementes, de modo a evitar que certas culturas desapareçam, assim, no caso de uma cultura ser destruída em todos os outros lugares, ainda existirão sementes dessa cultura para plantio.[1] Os bancos de sementes também podem ser uma opção para agricultores familiares que desejam ser independentes em relação às empresas produtoras de sementes, produzindo suas próprias sementes de qualidade e conservando as sementes nativas, conhecidas como sementes crioulas.

Em Portugal[editar | editar código-fonte]

O maior e mais antigo banco de sementes de espécies autóctones em Portugal Continental está no Banco de Sementes A.L. Belo Correia, do Museu Nacional de História Natural e da Ciência de Lisboa, sendo composto por mais de 1200 espécies e subespécies de plantas.

Desafios[editar | editar código-fonte]

  • Espécimes armazenadas têm que ser regularmente replantadas quando elas começam a perder viabilidade.
  • É difícil ou impossível armazenar sementes recalcitrantes.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]