Jair Soares

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jair Soares
Jair Soares em fevereiro de 2015.
29.º Governador do Rio Grande do Sul
Período 15 de março de 1983
até 14 de março de 1987
Antecessor(a) José Augusto Amaral de Souza
Sucessor(a) Pedro Simon
3.º Ministro da Previdência Social
Período 15 de março de 1979
até 7 de maio de 1982
Presidente João Figueiredo
Antecessor(a) Luís Gonzaga do Nascimento e Silva
Sucessor(a) Hélio Marcos Pena Beltrão
Dados pessoais
Nascimento 26 de novembro de 1933 (84 anos)
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Partido ARENA, PDS, PFL e PP
Profissão Cirurgião-dentista

Jair de Oliveira Soares (Porto Alegre, 26 de novembro de 1933) é um político gaúcho filiado ao PP. Foi governador do Rio Grande do Sul pelo PDS.

Cirurgião-dentista e bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, começou a vida pública como chefe de gabinete do então presidente da Assembléia Legislativa, deputado Gustavo Langsch, em 1960 - filiou-se ao PSD gaúcho; com a segunda vitória de Ildo Meneghetti ao governo em 1962, foi para a chefia de gabinete do Instituto Rio Grandense do Arroz e nos governos de Peracchi Barcelos e Euclides Triches foi, respectivamente, Secretário de Administração e Secretário de Saúde, mantido nesse último cargo por Sinval Guazzelli. Eleito deputado federal em 1978, pela ARENA, licenciou-se para assumir o Ministério da Previdência Social no governo João Figueiredo.

Em 1982, aconteceram as primeiras eleições diretas para governador no Brasil desde 1962. Durante o regime militar os governadores dos estados foram impostos pelo governo federal. Os candidatos eram: Pedro Simon pelo PMDB, Alceu Collares pelo PDT, Olívio Dutra pelo PT e Jair Soares pelo PDS, partido originário da ARENA, partido de apoio à ditadura militar. Dutra, Collares e Simon pertenciam a partidos originários da oposição. Tanto por dificuldade de acordos entre lideranças, como pela proibição às coligações para esta eleição, a oposição foi às urnas desunida.

Inicialmente, Jair Soares venceu a prévia do PDS, derrotando o então vice-governador José Otávio Germano e o deputado federal Nelson Marchesan, decidida pelos filiados do partido, numa escolha inédita, e derrotando concorrentes que eram mais cotados.

De igual forma, Soares surpreendeu na eleição para o governo; Soares e Simon eram os candidatos com maiores chances, entretanto, faltando seis horas para o fim da apuração, Simon admitiu a derrota, e Soares elegeu-se com pouco menos de 1% de vantagem, com pouco mais de 38% dos votos. Os três candidatos derrotados viriam a ser governadores em diferentes mandatos. Jair Soares foi o primeiro governador eleito pelo voto direto depois da redemocratização do país.

Após o mandato de governador, Soares não deixou a politica: foi vereador em Porto Alegre, novamente exerceu o mandato de deputado federal; Elegeu-se deputado estadual em 2002, com mais de 38 mil votos. Foi também candidato à prefeitura da capital gaúcha em 2004, foi derrotado por José Fogaça. Em 2006 não se reelegeu à assembleia gaúcha, porém ficou na segunda posição de suplência. Permanece no PP (Partido Progressista), sucessor do PDS, mas apenas como dirigente partidário.[carece de fontes?]


Precedido por
Luís Gonzaga do Nascimento e Silva
Ministro da Previdência Social do Brasil
1979–1982
Sucedido por
Hélio Beltrão
Precedido por
José Augusto Amaral de Souza
Governador do Rio Grande do Sul
1983–1987
Sucedido por
Pedro Simon


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.