Eleições estaduais no Rio Grande do Sul em 2018

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
ballot box current
Este artigo ou seção é sobre uma eleição futura.
As informações apresentadas podem mudar rapidamente. Editado pela última vez em 13 de outubro de 2018.
Eleições estaduais no Rio Grande do Sul em 2018
  2014 ← Rio Grande do Sul → 2022
7 de outubro de 2018
(primeiro turno)
28 de outubro de 2018
(segundo turno)
(Candidatos mais bem posicionados nas pesquisas[1])
Ver lista completa dos candidatos
José Ivo Sartori em outubro de 2014-2.jpg Eduardo Leite em 11 de novembro de 2017.jpg
Candidato(a) José Ivo Sartori Eduardo Leite
Partido MDB PSDB
Vice José Paulo Cairoli
(PSD)
Ranolfo Vieira Júnior
(PTB)

O primeiro turno das eleições estaduais no Rio Grande do Sul em 2018 está previsto para ser realizado em 7 de outubro, como parte das eleições gerais no Brasil. Os eleitores aptos a votar elegerão um governador, um vice-governador, dois senadores, 30 deputados federais e 55 deputados estaduais. Caso nenhum candidato ao governo estadual obtenha 50 por cento + 1 dos votos válidos, um segundo turno entre os dois mais votados ocorrerá em 28 de outubro.

Para o governo estadual, oito candidatos registraram suas candidaturas. A disputa pelas duas vagas no Senado Federal contou com a participação de quinze candidatos.

Contexto[editar | editar código-fonte]

Nas eleições estaduais de 2014, José Ivo Sartori (PMDB), ex-prefeito de Caxias do Sul, derrotou o governador Tarso Genro (PT) no segundo turno com 61,21 por cento dos votos válidos, em uma diferença de 1,4 milhão de votos.[2] Desde que foi instituída a reeleição para cargos executivos em 1997, nenhum governador gaúcho foi reeleito.[3] Na mesma eleição, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), derrotado pela presidente Dilma Rousseff (PT-RS) a nível nacional, ganhou no Rio Grande do Sul com 53,52 por cento dos votos, cerca de 450 mil votos a mais que Dilma.[4]

Sartori, juntamente com seu vice José Paulo Cairoli (PSD), iniciou seu mandato como governador em 1º de janeiro de 2015, levando o PMDB ao comando do Rio Grande do Sul, o quinto estado mais populoso do país, depois de oito anos.[5][6] Sartori iniciou seu governo tendo o apoio da maioria dos deputados e partidos. No entanto, entre dezembro de 2017 e junho de 2018 quatro partidos (PSDB, PDT, PP e PPS) deixaram sua base de apoio para lançarem ou apoiarem outras candidaturas ao governo estadual.[7]

De acordo com um levantamento do instituto Paraná Pesquisas em junho de 2018, o governador possuía uma avaliação negativa de 55,8 por cento dos eleitores, enquanto que 39,6 por cento aprovavam sua gestão. A mesma pesquisa indicou Sartori na liderança de intenções de votos para o primeiro turno, com 28,3 por cento, seguido por Eduardo Leite (PSDB) com 10,8 por cento, Miguel Rossetto (PT) com 9,8 por cento, Jairo Jorge (PDT) com 8,2 por cento e Luis Carlos Heinze (PP) com 6 por cento. O governador, entretanto, possuía o maior nível de rejeição, pouco mais de 50 por cento.[8]

Composição das coligações[editar | editar código-fonte]

Embora não confirmasse publicamente, o governador Sartori atuou nos bastidores para viabilizar sua candidatura à reeleição.[9] Inicialmente, desejava liderar uma coligação, apelidada de "chapa dos sonhos", que tivesse Eduardo Leite como candidato a vice-governador, além de Ana Amélia Lemos (PP) e Beto Albuquerque (PSB) como candidatos ao Senado Federal.[9][10] No entanto, Leite preferiu concorrer a governador e o PP escolheu apresentar candidatura própria, a do deputado federal Luiz Carlos Heinze.[11][12] O diretório estadual do PSB aprovou apoio à reeleição de Sartori e escolheu Albuquerque como candidato ao Senado, em uma votação de 58 a 34 contra José Fortunati, ex-prefeito de Porto Alegre.[13][14] Sartori foi apoiado ainda pelo PSD, PR, PSC, PATRI, PTC, PMN e PRP, sendo assim a maior coligação no estado.[15][16][17] O PSD indicou Cairoli novamente como vice de Sartori e o PMDB escolheu o segundo candidato ao Senado pela coligação, o ex-senador e prefeito da capital José Fogaça.[18][19]

O PDT optou pela candidatura de Jairo Jorge a governador.[20] Jairo foi prefeito de Canoas de 2009 a 2017 e até novembro de 2016 era filiado ao PT.[21] A coligação, formada ainda por PV, SD, PODE, AVANTE, PPL e PMB, contou com o empresário Cláudio Bier (PV) como candidato a vice-governador.[22][23] Embora Jairo apoiou pessoalmente a candidatura de Ciro Gomes para presidente, ele permitiu que a coligação também apoiasse outros presidenciáveis como Alvaro Dias (PODE).[24]

Em convenção partidária realizada em novembro de 2017, o PSDB elegeu Leite presidente do partido no estado e anunciou sua pré-candidatura a governador.[25] Leite, ex-prefeito de Pelotas, garantiu o apoio do PTB, PP, PRB, PPS, REDE e PHS.[26] O delegado Ranolfo Vieira Júnior (PTB) foi o candidato a vice-governador e a coligação apresentou o nome de Mário Bernd (PPS) ao Senado.[27][28] Apesar da Rede ter se coligado com Leite, a presidenciável Marina Silva descartou apoiá-lo.[29]

Heinze teve sua candidatura oficializada pela convenção do PP após vencer por larga margem o candidato apoiado por Ana Amélia na pré-convenção do partido. Heinze e Ana Amélia também discordavam em relação a qual candidato a presidente apoiar: enquanto Heinze declarou apoio a Jair Bolsonaro, Ana Amélia defendia a escolha de um candidato mais moderado.[30][31] Além do PP, Heinze conseguiu o apoio de DEM, PROS e PSL.[32][33] No entanto, quando o presidenciável Geraldo Alckmin escolheu Ana Amélia como sua candidata a vice, a coligação se desfez: o PP passou a integrar a coligação de Leite, lançando Heinze ao Senado, enquanto os demais partidos não apoiaram nenhum candidato na eleição para governador e oficializaram a empresária Carmen Flores como candidata ao Senado, dando assim palanque para Bolsonaro.[34][35]

No final de 2017, o PT anunciou a escolha de Miguel Rossetto como o candidato do partido ao executivo gaúcho.[36] Os petistas tinham como prioridade a reeleição do senador Paulo Paim.[37] Inicialmente isolado, o PT conseguiu na véspera do término das convenções fechar uma aliança com o PCdoB, seu aliado histórico. O PCdoB retirou a candidatura de Abigail Pereira ao governo estadual e a oficializou como candidata ao Senado pela coligação de Rossetto.[38][39][40]

O PSOL e o PCB coligaram-se e escolheram Roberto Robaina, vereador de Porto Alegre, como candidato a governador, e a professora Camila Goulart como vice. Ambos os partidos indicaram candidatos ao Senado: o vereador Romer Guex (PSOL) e o servidor público Cleber Soares (PCB).[41] Outros dois partidos lançaram candidatos ao governo sem formarem coligações: o NOVO definiu Mateus Bandeira, ex-presidente do Banrisul e ex-CEO da Falconi; e o PSTU optou por Julio Flores, um candidato perene.[9]

Candidatos ao Governo[editar | editar código-fonte]

As seguintes candidaturas ao executivo gaúcho foram registradas perante o Tribunal Regional Eleitoral:

Candidato(a) a governador(a) e idade Último cargo que ocupou Partido e número Candidato a vice Coligação Tempo no
horário eleitoral[42]
Refs
Eduardo Leite (33) Eduardo Leite Prefeito de Pelotas
(2013–2017)
PSDB — 45 Ranolfo Vieira Júnior
(PTB)
Rio Grande da Gente
(PSDB, PTB, PP, PRB, PPS, REDE e PHS)
2 minutos e 45 segundos
Jairo Jorge (55) Jairo Jorge Prefeito de Canoas
(2009–2017)
PDT — 12 Cláudio Bier
(PV)
Frente o Rio Grande tem solução
(PDT, PV, SD, PODE, AVANTE, PPL e PMB)
56 segundos
José Ivo Sartori (70) José Ivo Sartori Governador
(2015–atualmente)
MDB — 15 José Paulo Cairoli
(PSD)
Rio Grande no rumo certo
(MDB, PSD, PR, PSB, PSC, PATRI, PTC, PMN e PRP)
3 minutos e 18 segundos
Júlio Flores (59) PSTU — 16 Ana Clécia
(PSTU)
Candidato não coligado 6 segundos
Mateus Bandeira (49) Mateus Bandeira Presidente do Banrisul
(2010-2011)
NOVO — 30 Bruno Miragem
(NOVO)
Candidato não coligado 6 segundos
Miguel Rossetto (58) Miguel Rossetto Ministro do Trabalho e Previdência Social
(2015-2016)
PT — 13 Ana Affonso
(PT)
Por um Rio Grande justo
PT e PCdoB
1 minuto e 27 segundos
Paulo de Oliveira Medeiros (62) PCO — 29 Jeferson Mendes
(PCO)
Candidato não coligado 6 segundos
Roberto Robaina (50) Roberto Robaina Vereador de
Porto Alegre
(2017-atualmente)
PSOL — 50 Professora Camila
PSOL
Independência e luta para mudar o Rio Grande
(PSOL e PCB)
11 segundos

Candidatos ao Senado Federal[editar | editar código-fonte]

As seguintes candidaturas ao Senado Federal foram registradas perante o Tribunal Regional Eleitoral:

Candidato(a) a senador(a) e idade Último cargo que ocupou Partido e número Candidatos a suplente Coligação Refs
Abigail Pereira (57) Abigail Pereira Secretária estadual de Turismo
(2011–2015)
PCdoB — 651 Everlei Martins (PCdoB)
João Camargo (PCdoB)
Por um Rio Grande justo
(PT e PCdoB)
Ana Varela (38) PODE — 190 Thiago Lamaison (PODE)
Jean Carissimi (PDT)
Frente o Rio Grande tem solução
(PDT, PV, SD, PODE, AVANTE, PPL e PMB)
Beto Albuquerque (55) Beto Albuquerque Deputado federal
(1999-2015)
PSB — 400 Adriane Cerine (PR)
Daiane Dias (PSB)
Rio Grande no rumo certo
(MDB, PSD, PR, PSB, PSC, DC, PATRI, PTC, PMN E PRP)
Carmen Flores (65) PSL — 170 Evandro Soares (DEM)
Jesse James (PROS)
Brasil acima de tudo
(PSL, DEM e PROS)
Cleber Soares (44) PCB — 212 John Elvis (PCB)
Leandro Gonçalves (PCB)
Independência e luta para mudar o Rio Grande
(PSOL e PCB)
Sandra Weber (57) SD — 777 Lando (PDT)
Carlos Varreira (SD)
Frente o Rio Grande tem solução
(PDT, PV, SD, PODE, AVANTE, PPL e PMB)
João Augusto (49) PSTU — 160 Luiz Fernando Kist (PSTU)
Denior (PSTU)
Candidato não coligado
José Fogaça (71) José Fogaça Deputado federal
(2015-atualmente)
MDB — 151 Pastor Pedro Oliveira (PSC)
Ana Oliveira (MDB)
Rio Grande no rumo certo
(MDB, PSD, PR, PSB, PSC, DC, PATRI, PTC, PMN E PRP)
Luis Carlos Heinze (67) Luis Carlos Heinze Deputado federal
(1999–atualmente)
PP — 111 Irineu Orth (PP)
Drica de Lucena (PP)
Rio Grande da gente
(PSDB, PTB, PP, PRB, PPS, REDE e PHS)
[43]
Luiz Delvair (52) PCO — 290 Emerson Brotto (PCO)
Oscar de Souza (PCO)
Candidato não coligado
Machado (63) DC — 273 Jomar (DC)
Getúlio Amaral (DC)
Candidato não coligado
Mário Bernd (67) Deputado estadual
(1999-2003)
PPS — 234 Micheli Petri (PSDB)
Marli Iglesias (PTB)
Rio Grande da gente
(PSDB, PTB, PP, PRB, PPS, REDE e PHS)
Marli Schaule (61) PSTU — 161 Roberto Rost (PSTU)
José Guilherme (PSTU)
Candidato não coligado
Paulo Paim (68) Paulo Paim Senador
(2003-atualmente)
PT — 131 Cleonice Back (PT)
Juçara Dutra (PT)
Por um Rio Grande justo
(PT e PCdoB)
Romer Guex (53) Romer Guex Vereador de Viamão
(1997-2013)
PSOL — 500 João Ezequiel (PSOL)
Osmar Tonini (PSOL)
Independência e luta para mudar o Rio Grande
(PSOL e PCB)

Pesquisas de opinião[editar | editar código-fonte]

Governador[editar | editar código-fonte]

Pré-campanha
Divulgação Instituto Margem
de erro
Candidato Branco / Nulo NS / NR
Abigail (PCdoB) Leite (PSDB) Jairo (PDT) Sartori (MDB) Flores (PSTU) Heinze (PP) Bandeira (NOVO) Rossetto (PT) Robaina (PSOL)
12/06/2018 Paraná Pesquisas[44] ±2,5% 3,1% 11,2% 8,4% 28,7% 6,2% 1,2% 10,1% 6,5%
28/06/2018 Instituto Methodus[45] ±3% 1,3% 8% 10% 17,5% 5,1% 2,1% 8,1% 3,7% 22,6% 21,6%
29/07/2018 Index[46] ±2,9% 2,5% 6,4% 10,4% 24,1% 1,6% 0,3% 11,3% 2,9% 8,3% 30,7%
Primeiro turno
Divulgação Instituto Margem
de erro
Candidato Branco / Nulo NS / NR
Leite (PSDB) Jairo (PDT) Sartori (MDB) Flores (PSTU) Bandeira (NOVO) Rossetto (PT) Medeiros (PCO) Robaina (PSOL)
17/08/2018 Ibope[47] ±3% 8% 6% 19% 4% 2% 8% 2% 28% 22%
06/09/2018 Ibope[48] ±3% 18% 8% 25% 3% 2% 14% 0% 2% 14% 14%
13/09/2018 Ibope[49] ±3% 25% 7% 29% 1% 1% 12% 0% 1% 13% 11%
19/09/2018 Instituto Methodus[50] ±2,5% 19,20% 13,47% 20,47% 1% 3,07% 12,20% 0,33% 1,87% 11,80% 16,60%
21/09/2018 Ibope[1] ±3% 26% 6% 31% 1% 1% 12% 0% 1% 13% 10%
27/09/2018 Ibope[51] ±3% 30% 8% 29% 1% 1% 12% 1% 1% 9% 8%
06/10/2018 Ibope[52] ±3% 34% 9% 28% 1% 2% 12% 1% 1% 5% 7%
Segundo turno
Divulgação Instituto Margem
de erro
Candidato Branco / Nulo NS / NR
Leite (PSDB) Sartori (MDB)
06/09/2018 Ibope[48] ±3% 35% 32% 23% 11%
13/09/2018 Ibope[49] ±3% 38% 37% 13% 11%
19/09/2018 Instituto Methodus[50] ±2,5% 39,20% 31,33% - -
21/09/2018 Ibope[1] ±3% 40% 37% 16% 7%
27/09/2018 Ibope[1] ±3% 43% 34% 16% 7%
06/10/2018 Ibope[52] ±3% 50% 34% 11% 5%
Divulgação Instituto Margem
de erro
Candidato Branco / Nulo NS / NR
Sartori (MDB) Rossetto (PT)
06/09/2018 Ibope[48] ±3% 33% 31% 24% 12%
13/09/2018 Ibope[49] ±3% 43% 28% 15% 14%
19/09/2018 Instituto Methodus[50] ±2,5% 38,13 32,60% - -
21/09/2018 Ibope[1] ±3% 45% 29% 18% 8%
27/09/2018 Ibope[1] ±3% 44% 32% 16% 8%
06/10/2018 Ibope[52] ±3% 47% 35% 12% 6%
Divulgação Instituto Margem
de erro
Candidato Branco / Nulo NS / NR
Leite (PSDB) Rossetto (PT)
06/09/2018 Ibope[48] ±3% 33% 23% 25% 18%
13/09/2018 Ibope[49] ±3% 45% 24% 16% 14%
19/09/2018 Instituto Methodus[50] ±2,5% 43,13% 23,07% - -
21/09/2018 Ibope[1] ±3% 47% 23% 18% 12%
27/09/2018 Ibope[1] ±3% 49% 23% 18% 10%
06/10/2018 Ibope[52] ±3% 58% 24% 10% 8%

Senador[editar | editar código-fonte]

Pré-campanha
Divulgação Instituto Margem
de erro
Candidato Branco / Nulo NS / NR
Ana Amélia (PP) Beto (PSB) Fogaça (MDB) Bernd (PPS) Paim (PT) Vais (NOVO) Outros
12/06/2018 Paraná Pesquisas[44] ±2,5% 44,5% 10,5% 28,7% 3% 33,6%[a] 20,7%
29/06/2018 Instituto Methodus[53] ±3% 35,7% 20,1% 32,2% 6,3% 38,8%[b] 35,8% 31,1%

a - Germano Rigotto foi preferido por 22,3% dos entrevistados, enquanto Alceu Collares (PDT) por 11,3%.[44]

b - Rigotto (MDB) foi escolhido por 22,5% dos entrevistados e Collares (PDT) por 16,3%.[53]

Primeiro turno

Nota: como em 2018 os eleitores escolhem dois senadores por estado, a soma dos porcentuais atinge 200%, uma vez que os entrevistados podem optar por dois nomes.

Divulgação Instituto Margem
de erro
Candidato Branco / Nulo NS / NR
Abigail (PCdoB) Beto (PSB) Carmen (PSL) Fogaça (MDB) Heinze (PP) Bernd (PPS) Paim (PT) Sandra (SD) Outros
17/08/2018 Ibope[54] ±3% 3% 15% 6% 27% 7% 1% 27% 4% 8%[A] 42% 55%
07/09/2018 Ibope[55] ±3% 5% 17% 7% 33% 8% 1% 31% 4% 11%[B] 37% 46%
13/09/2018 Ibope[56] ±3% 5% 21% 7% 31% 8% 1% 27% 5% 12%[C] 37% 47%
21/09/2018 Ibope[57] ±3% 6% 19% 9% 31% 8% 1% 30% 4% 10%[D] 38% 45%
27/09/2018 Ibope[58] ±3% 8% 22% 8% 33% 11% 1% 32% 4% 11%[E] 30% 40%
06/10/2018 Ibope[59] ±3% 12% 24% 13% 31% 18% 2% 35% 4% 11%[F] 23% 26%

A - Outros cinco candidatos foram citados por pelo menos 1% dos entrevistados: Cleber Soares (PCB) 2%, João Augusto (PSTU) 2%, Machado (DC) 2%, Romer Guex (PSOL) 1% e Marli Shaule (PSTU) 1%.[54]

B - Outros sete candidatos foram citados por pelo menos 1% dos entrevistados: Ana Varela (PODE) 3%, Cleber Soares (PCB) 2%, Machado (DC) 2%, João Augusto (PSTU) 1%, Romer Guex (PSOL) 1%, Luiz Delvair (PCO) 1% e Marli Schaule (PSTU) 1%.[55]

C - Outros cinco candidatos foram citados por pelo menos 1% dos entrevistados: Ana Varela (PODE) 4%, Cleber Soares (PCB) 2%, Machado (DC) 2%, João Augusto (PSTU) 1% e Luiz Delvair (PCO) 1%.[56]

D - Outros seis candidatos foram citados por pelo menos 1% dos entrevistados: Ana Varela (PODE) 4%, João Augusto (PSTU) 2%, Cleber Soares (PCB) 1%, Machado (DC) 1%, Luiz Delvair (PCO) 1% e Marli Schaule (PSTU) 1%.[56]

E - Outros sete candidatos foram citados por pelo menos 1% dos entrevistados: Ana Varela (PODE) 4%, João Augusto (PSTU) 2%, Cleber Soares (PCB) 1%, Machado (DC) 1%, Marli Schaule (PSTU): 1%, Luiz Delvair (PCO) 1% e Romer Guex (PSOL) 1%.[57]

F - Outros seis candidatos foram citados por pelo menos 1% dos entrevistados: Ana Varela (PODE) 3%, João Augusto (PSTU) 2%, Cleber Soares (PCB) 2%, Machado (DC) 1%, Marli Schaule (PSTU): 1%, Luiz Delvair (PCO) 1% e Romer Guex (PSOL) 1%.[59]

Resultados[editar | editar código-fonte]

Os resultados publicados nas tabelas abaixo foram divulgados pelo TSE.[60]

Governador[editar | editar código-fonte]

Mapa com os resultados do primeiro turno da eleição para governador do Rio Grande do Sul em 2018:
  Leite
  Sartori
  Rossetto
  Jairo
Candidato(a) Vice 1º turno 2º turno
Total Percentagem Total Percentagem
Eduardo Leite (PSDB) Ranolfo Vieira Júnior (PTB) 2.143.603 35,90%
José Ivo Sartori (Inc. - MDB) José Paulo Cairoli (PSD) 1.857.335 31,11%
Miguel Rossetto (PT) Ana Affonso (PT) 1.060.209 17,76%
Jairo Jorge (PDT) Cláudio Bier (PV) 661.717 11,08%
Mateus Bandeira (NOVO) Bruno Miragem (NOVO) 200.877 3,36%
Roberto Robaina (PSOL) Professora Camila (PSOL) 37.993 0,64%
Júlio Flores (PSTU) Ana Clécia (PSTU) 8.917 0,15%
Paulo de Oliveira Medeiros (PCO) Jeferson Mendes (PCO)
Total de votos válidos 5.970.651 87,34%
→ Votos em branco 404.550 5,92%
→ Votos nulos 460.182 6,73%
Total 6.835.866 81,86%
Abstenções 1.514.852 18,14%
Total de inscritos 8.350.718 100% 8.350.718 100%
  Segundo Turno
  Eleito(a)

Senador[editar | editar código-fonte]

Candidato(a) 1º turno
Total Percentagem
Luiz Carlos Heinze (PP) 2.316.365 21,94%
Paulo Paim (Inc. - PT) 1.875.245 17,76%
Beto Albuquerque (PSB) 1.713.792 16,23%
Carmen Flores (PSL) 1.509.152 14,30%
José Fogaça (MDB) 1.465.700 13,88%
Abigail Pereira (PCdoB) 970.286 9,19%
Sandra Weber (SD) 263.411 2,50%
Mario Bernd (PPS) 233.747 2,21%
Ana Varela (PODE) 101.504 0,96%
Romer Guex (PSOL) 49.023 0,46%
Marli Schaule (PSTU) 26.242 0,25%
Cleber Soares (PCB) 23.963 0,23%
José Augusto (PSTU) 7.963 0,08%
Luiz Delvair (PCO)
Machado (DC)
Total de votos válidos 10.556.398 77,23%
→ Votos em branco 1.547.540 11,32%
→ Votos nulos 1.565.943 11,45%
Total 13.671.732 81,86%
Abstenções 1.514.852 18,14%
Total de inscritos 8.350.718 100%
  Eleito(a)

Deputados estaduais[editar | editar código-fonte]

Foram eleitos 55 deputados estaduais.[61] O asterisco (*) indica os que foram reeleitos.

Candidato eleito Votos Candidato eleito Votos
Tenente Coronel Zucco (PSL) 166 747 Dirceu do Busato (PTB) 37 322
Ruy Irigaray (PSL) 102 117 Vilmar Zanchin (MDB) * 37 161
Any Ortiz (PPS) * 94 904 Gilberto Capoani (MDB) * 37 058
Edegar Pretto (PT) * 91 471 Zé Nunes (PT) * 36 982
Silvana Covatti (PP) * 75 068 Elizandro Sabino (PTB) 36 033
Luciana Genro (PSOL) 73 865 Professor Issur Koch (PP) 35 803
Sergio Peres (PRB) * 72 167 Gerson Burmann (PDT) * 35 136
Ernani Polo (PP) * 67 248 Sebastião Melo (MDB) 34 881
Valdeci Oliveira (PT) * 57 840 Frederico Antunes (PP) * 33 691
Luís Augusto Lara (PTB) * 56 396 Sofia Cavedon (PT) 32 969
Elton Weber (PSB) * 55 645 Pedro Pereira (PSDB) * 32 290
Gabriel Souza (MDB) * 52 953 Fernando Marroni (PT) 30 704
Sérgio Turra (PP) * 52 668 Mateus Wesp (PSDB) 28 173
Eduardo Loureiro (PDT) * 50 056 Dr. Thiago (DEM) 27 907
Jeferson Fernandes (PT) * 49 809 Neri, o carteiro (Solidariedade) 27 808
Fábio Ostermann (NOVO) 48 897 Paparico Bacchi (PR) 27 483
Tiago Simon (MDB) * 45 792 Dalciso Oliveira (PSB) 26 765
Adolfo Brito (PP) * 44 966 Rodrigo Maroni (PODE) 26 449
Kelly Moraes (PTB) 44 755 Airton Lima (PR) 25 679
Edson Brum (MDB) * 43 836 Viana (PSDB) 25 629
Juliana Brizola (PDT) * 43 822 Luiz Marenco (PDT) 24 607
Gaúcho da Geral (PSD) 43 012 Zilá Breitenbach (PSDB) * 24 115
Juvir Costella (MDB) * 42 066 Eric Lins (DEM) 23 042
Fábio Branco (MDB) * 41 468 Vilmar Lourenço (PSL) 17 828
Luiz Fernando Mainardi (PT) * 41 450 Capitão Macedo (PSL) 17 592
Franciane Bayer (PSB) 40 317 Giuseppe Riesgo (NOVO) 16 224
Pepe Vargas (PT) 38 798 Fran Somensi (PRB) 15 404
Aloisio Classmann (PTB) * 37 920


Referências

  1. a b c d e f g h «Pesquisa Ibope no RS: José Ivo Sartori, 31%; Eduardo Leite, 26%». G1. 21 de setembro de 2018. Consultado em 21 de setembro de 2018. 
  2. «José Ivo Sartori é eleito governador do RS no segundo turno». Bom Dia Brasil. 27 de outubro de 2014. Consultado em 27 de julho de 2018. 
  3. João Pedro Pitombo (2 de maio de 2018). «Governadores perdem aliados às vésperas da eleição». Folha de S. Paulo. Consultado em 27 de julho de 2018. 
  4. Sylvio Costa (27 de outubro de 2014). «A geografia dos votos obtidos por Dilma e Aécio». Congresso em Foco. Consultado em 27 de julho de 2018. 
  5. Caetanno Freitas (1º de janeiro de 2015). «Sartori assume governo do RS com desafio de equilibrar contas». G1. Consultado em 27 de julho de 2018. 
  6. «Estimativa de populações do IBGE coloca Porto Alegre na 10ª colocação entre as capitais». Correio do Povo. 30 de agosto de 2017. Consultado em 27 de julho de 2018. 
  7. Filipe Strazzer (22 de junho de 2018). «Base do governo Sartori perde quatro partidos em um ano». O Estado de S. Paulo. Consultado em 27 de julho de 2018. 
  8. Douglas Rodrigues (12 de junho de 2018). «Sartori lidera disputa para o governo do Rio Grande do Sul, diz pesquisa». Poder360. Consultado em 27 de julho de 2018. 
  9. a b c Juliana Bublitz (20 de julho de 2018). «Saiba quem são os pré-candidatos a governador do RS em 2018». Gaúcha ZH. Consultado em 27 de julho de 2018. 
  10. Flávia Bemfica (31 de julho de 2017). «PMDB articula apoio de PSDB, PP e PSB a Sartori em 2018». Correio do Povo. Consultado em 27 de julho de 2018. 
  11. Flávia Bemfica (8 de março de 2018). «Eduardo Leite reitera candidatura: "Marchezan não determina destino do PSDB no RS"». Correio do Povo. Consultado em 27 de julho de 2018. 
  12. «PP-RS escolhe Luis Carlos Heinze para ser pré-candidato a governador». G1. 24 de março de 2018. Consultado em 27 de julho de 2018. 
  13. Ricardo Pont (14 de junho de 2018). «PSB decide apoiar Sartori à reeleição e lança Beto Albuquerque ao Senado». Rádio Guaíba. Consultado em 27 de julho de 2018. 
  14. Rosane de Oliveira (14 de junho de 2018). «PSB aprova apoio à reeleição de Sartori e indica Beto Albuquerque para o Senado». Gaúcha ZH. Consultado em 27 de julho de 2018. 
  15. Rosane de Oliveira (29 de julho de 2018). «PR fecha com Sartori e garante ao governador a maior coligação da eleição». Gaúcha ZH. Consultado em 31 de julho de 2018. 
  16. Fábio Schaffner (29 de julho de 2018). «PSD, Solidariedade, PV e PPL realizam convenções». Gaúcha ZH. Consultado em 29 de julho de 2018. 
  17. Filipe Strazzer (30 de julho de 2018). «Sem confirmar candidatura à reeleição, Sartori fala em 'continuidade' no Rio Grande do Sul». O Estado de S. Paulo. Consultado em 31 de julho de 2018. 
  18. «PSD confirma Cairoli vice de Sartori para o Governo do Estado». Pioneiro. 29 de julho de 2018. Consultado em 31 de julho de 2018. 
  19. Filipe Strazzer (30 de julho de 2018). «MDB gaúcho define pré-candidato ao Senado para as eleições 2018». Terra. Consultado em 31 de julho de 2018. 
  20. Samantha Klein (26 de julho de 2018). «Jairo Jorge é confirmado candidato do PDT a governador». Rádio Guaíba. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  21. «Prefeito de Canoas, Jairo Jorge pede desfiliação do PT». Jornal do Comércio. 16 de novembro de 2016. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  22. Débora Cademartori (5 de abril de 2018). «Jairo Jorge escolhe Claudio Bier como vice». Gaúcha ZH. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  23. Fábio Schaffner (26 de julho de 2018). «Em convenção, Jairo Jorge fala em ousadia para novas ideias». Gaúcha ZH. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  24. Filipe Strazzer (12 de julho de 2018). «Jairo Jorge anuncia coligação ao governo do Rio Grande do Sul e dobra tempo de TV nas eleições 2018». O Estado de S. Paulo. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  25. «PSDB-RS anuncia Eduardo Leite como pré-candidato a governador». G1. 12 de novembro de 2017. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  26. «Candidatura do tucano Eduardo Leite terá o apoio da Rede». Jornal do Comércio. 27 de julho de 2018. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  27. Fábio Schaffner (21 de maio de 2018). «PTB anuncia coligação com o tucano Eduardo Leite na disputa pelo governo do Estado». Gaúcha ZH. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  28. Ananda Müller (23 de julho de 2018). «PRB define apoio a Eduardo Leite na corrida ao Piratini». Rádio Guaíba. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  29. Flávia Bemfica (27 de julho de 2018). «Marina Silva descarta palanque de Eduardo Leite no Rio Grande do Sul». Correio do Povo. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  30. Fábio Schaffner (15 de junho de 2018). «PP gaúcho ignora diálogo de Ciros e se divide entre quatro presidenciáveis». Gaúcha ZH. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  31. «Heinze é escolhido pré-candidato do PP ao Palácio Piratini». Rádio Guaíba. Rádio Colobial. 25 de março de 2018. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  32. Filipe Strazzer (18 de julho de 2018). «PP anuncia vice do DEM em chapa para o governo gaúcho nas eleições 2018». O Estado de S. Paulo. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  33. Filipe Strazzer (14 de junho de 2018). «Coligação do PP ao governo gaúcho vira palanque pró-Bolsonaro». O Estado de S. Paulo. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  34. «Progressistas confirma Heinze ao Senado e apoio ao PSDB». Gaz. 4 de agosto de 2018. Consultado em 17 de agosto de 2018. 
  35. Felipe Strazzer (3 de agosto de 2018). «Decisão de Ana Amélia muda cenário da eleição gaúcha e isola pré-candidato do PP». O Estado de S. Paulo. Consultado em 17 de agosto de 2018. 
  36. «PT-RS anuncia Miguel Rossetto como pré-candidato a governador». G1. 10 de dezembro de 2017. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  37. Fábio Schaffner (20 de julho de 2018). «No RS, partidos atrasam fechamento de chapas». Gaúcha ZH. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  38. «PT permanece sem alianças para eleições no RS». O Estado de S. Paulo. Gaúcha ZH. 16 de julho de 2018. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  39. Luiz Sérgio Dibe (6 de agosto de 2018). «PT-RS anuncia aliança com PCdoB». Correio do Povo. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  40. «PC do B formaliza apoio ao PT na eleição estadual». Gaz. 6 de agosto de 2018. Consultado em 28 de julho de 2018. 
  41. Mauri Toni Dandel (22 de julho de 2018). «PSOL confirma candidatura de Roberto Robaina ao governo do RS». G1. Consultado em 29 de julho de 2018. 
  42. «Reunião define regras para o Horário Eleitoral Gratuito no Rio Grande do Sul». Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul. 21 de agosto de 2018. Consultado em 23 de agosto de 2018. 
  43. Paloma Rodrigues (12 de setembro de 2018). «Partido de Ana Amélia racha com o PSDB no RS e declara apoio a Bolsonaro». Poder360. Consultado em 14 de setembro de 2018. 
  44. a b c «Pesquisa Rio Grande do Sul – Situação Eleitoral para o Executivo Estadual e Legislativo Federal/ Junho 2018». Paraná Pesquisas. 12 de junho de 2018. Consultado em 29 de julho de 2018. 
  45. «Sartori lidera preferência em pesquisa Methodus». Amigos de Pelotas. 28 de junho de 2018. Consultado em 29 de julho de 2018. 
  46. «Exclusivo: Pesquisa Index mostra corrida ao Piratini». Revista Voto. 29 de julho de 2018. Consultado em 29 de julho de 2018. 
  47. «Pesquisa Ibope no RS: José Ivo Sartori, 19%; Eduardo Leite, 8%; Miguel Rossetto, 8%; Jairo Jorge, 6%». G1. 17 de agosto de 2018. Consultado em 18 de agosto de 2018. 
  48. a b c d «Pesquisa Ibope no RS: José Ivo Sartori, 25%; Eduardo Leite, 18%; Miguel Rosseto, 14%». G1. 6 de setembro de 2018. Consultado em 6 de setembro de 2018. 
  49. a b c d «Pesquisa Ibope no RS: José Ivo Sartori, 29%; Eduardo Leite, 25%». G1. 13 de setembro de 2018. Consultado em 13 de setembro de 2018. 
  50. a b c d Bruna Suptitz e Carlos Villela (19 de setembro de 2018). «Sartori e Leite estão empatados em primeiro lugar, aponta pesquisa Methodus». Jornal do Comércio. Consultado em 20 de setembro de 2018. 
  51. «Pesquisa Ibope no RS: Eduardo Leite, 30%; José Ivo Sartori, 29%». G1. 27 de setembro de 2018. Consultado em 28 de setembro de 2018. 
  52. a b c d «Ibope – RS, votos válidos: Eduardo Leite, 38%; José Ivo Sartori, 32%». G1. 6 de outubro de 2018. Consultado em 6 de outubro de 2018. 
  53. a b «Methodus: Ana Amélia e Paim lideram corrida para o Senado no RS». Sul21. 29 de junho de 2018. Consultado em 29 de julho de 2018. 
  54. a b «Pesquisa Ibope no RS para o Senado: José Fogaça, 27%; Paulo Paim, 27%; Beto Albuquerque, 15%». G1. 17 de agosto de 2018. Consultado em 18 de agosto de 2018. 
  55. a b «Pesquisa Ibope no RS para o Senado: José Fogaça, 33%; Paulo Paim, 31%; Beto Albuquerque, 17%». G1. 7 de setembro de 2018. Consultado em 7 de setembro de 2018. 
  56. a b c «Pesquisa Ibope no RS para o Senado: José Fogaça, 31%; Paulo Paim, 27%; Beto Albuquerque, 21%». G1. 14 de setembro de 2018. Consultado em 15 de setembro de 2018. 
  57. a b «Pesquisa Ibope no RS para o Senado: José Fogaça, 31%; Paulo Paim 30%». G1. 22 de setembro de 2018. Consultado em 22 de setembro de 2018. 
  58. «Pesquisa Ibope no RS para o Senado: José Fogaça, 33%; Paulo Paim, 32%». G1. 28 de setembro de 2018. Consultado em 28 de setembro de 2018. 
  59. a b «Ibope Senado – RS, votos válidos: Paulo Paim, 23%; José Fogaça, 20%; Beto Albuquerque, 16%; Luis Carlos Heinze, 12%». G1. 6 de outubro de 2018. Consultado em 6 de outubro de 2018. 
  60. «Eleições 2018: Rio Grande do Sul». Tribunal Superior Eleitoral. 7 de outubro de 2018. Consultado em 9 de outubro de 2018. 
  61. «Confira quem são os deputados estaduais eleitos no RS». GaúchaZH. 7 de outubro de 2018. Consultado em 11 de outubro de 2018.. Cópia arquivada em 11 de outubro de 2018