Henrique Fontana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Henrique Fontana
Deputado Federal pelo Rio Grande do Sul
Período 1 de fevereiro de 1999
até a atualidade[1]
Secretário de Saúde de Porto Alegre
Período 1 de janeiro de 1997
até 2 de abril de 1998
Prefeito Raul Pont
Vereador de Porto Alegre
Período 1 de janeiro de 1993
até 1 de janeiro de 1997
Dados pessoais
Nascimento 18 de janeiro de 1960 (57 anos)
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Cônjuge Denise Cybis Fontana[2] [3]
Partido PT
Profissão Médico e administrador

Henrique Fontana Júnior (Porto Alegre, 18 de janeiro de 1960) é um médico, administrador e político brasileiro, filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formado em Administração de Empresas e Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Henrique foi eleito vereador da capital em 1992, ano em que Tarso Genro sucedeu Olívio Dutra na Prefeitura de Porto Alegre. Em 1996 foi reeleito vereador e se tornou secretário municipal da Saúde, na gestão de Raul Pont. Candidato a deputado federal pela primeira vez em 1998, teve votação expressiva e ingressou na bancada do PT na Câmara Federal.[4]

A partir daí, destacou-se no Congresso Nacional pela sua oposição ao governo de Fernando Henrique Cardoso. Com Olívio Dutra à frente do governo gaúcho, Henrique tornou-se defensor de projetos de interesse do Rio Grande em Brasília.

Em 2002, foi reeleito deputado federal. Com a vitória do presidente Lula, Henrique passou a mostrar habilidade já na vice-liderança da bancada do PT e, posteriormente, na liderança do Partido, durante a crise de 2005, função que ocupou até o início de 2007. A desenvoltura do líder chamou a atenção do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), que o escolheu entre os parlamentares mais destacados do Congresso. Em 2008 e 2009, foi eleito pelos parlamentares como o segundo deputado mais destacado do Congresso Nacional. Pela sua atuação, recebeu também prêmios do site Congresso em Foco.

Na reeleição de Lula em 2006, Henrique ampliou sua votação. Foi eleito para o terceiro mandato federal consecutivo. Em 2007 foi vice-líder do Governo Lula, e líder de 2008 a 2010.[5]

Em 2010, foi eleito pela quarta vez consecutiva para o cargo na Câmara, com mais de 131 mil votos.[6]

Em 2014, voltou a ser líder do Governo na Câmara, desta vez pelo Governo Dilma Rousseff.[5]

Na sessão histórica do dia 17 de abril de 2016, votou contra a admissibilidade do pedido de impeachment da então presidente Dilma Rousseff.[7]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Eleições 2010 1º Turno Rio Grande do Sul». Terra. Consultado em 3 de novembro de 2016 
  2. http://www.ptsul.com.br/?doc&mostra&33297
  3. http://www.diap.org.br/~diap/images/stories/files/lderes%202009%20pdf.pdf
  4. «Henrique Fontana Júnior (Henrique Fontana)». Politicos.org. Consultado em 3 de novembro de 2016 
  5. a b Filipe Matoso. «Henrique Fontana será o novo líder do governo na Câmara, diz Planalto». G1. Globo.com. Consultado em 3 de novembro de 2016 
  6. «Henrique Fontana (PT-Rio Grande do Sul)». excelencias.org. Consultado em 3 de novembro de 2016 
  7. «Impeachment de Dilma: saiba como votou cada um dos partidos na Câmara». Agencia Brasil. EBC. Consultado em 3 de novembro de 2016 


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.