Companhia Carris Porto-Alegrense

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Companhia Carris Porto Alegrense
empresa pública
Fundação 18 de julho de 1872 (146 anos)
Sede Porto Alegre
Produtos transportes coletivos
Website oficial http://www.carris.com.br/

A Companhia Carris Porto-Alegrense (conhecida por Carris) é uma das empresas operadoras do transporte público de Porto Alegre, que inclui também os consórcios Viva Sul, Mob, Via Leste e Consórcio Mais. Sua frota é composta por 371 ônibus e atende grande parte da cidade, através de 30 linhas.

É uma sociedade de economia mista, com o controle acionário da prefeitura de Porto Alegre (que detém 99,9% das ações). A Carris foi considerada pela Associação Nacional dos Transportes Públicos como a melhor empresa de ônibus urbano do Brasil em 1999 e 2001.[1]

A empresa Carris lançou as linhas circulares e transversais da cidade. Foi a primeira empresa de Porto Alegre a utilizar veículos que facilitavam o acesso às pessoas portadoras de deficiência (PPDs), inicialmente com elevadores hidráulicos. A empresa hoje conta com 30 linhas de ônibus, na sua maioria do tipo transversais (ligam regiões de Porto Alegre sem passar pelo Centro),[2] além de três linhas radiais universitárias (com um terminal no Centro e outro no bairro, passando ou terminando por importantes universidades do município) e circulares (tem apenas um terminal, no Centro).

Como a Carris é uma empresa pública, a compra de veículos novos e de suprimentos para os mesmos é feita através de licitação.

Histórico[editar | editar código-fonte]

É a mais antiga empresa de transporte coletivo do país em atividade, e nasceu graças à autorização do imperador Dom Pedro II, via decreto, publicado em 19 de junho de 1872. Na época, Porto Alegre era uma pacata cidadezinha de apenas 34 mil habitantes e que recém completara cem anos de fundação. Inicialmente operava bondes puxados a mula mas, 1908, a companhia inaugurou o serviço de bondes elétricos, que seria desativado somente em 1970. O período de hegemonia dos bondes foi até a década de 1920, quando começaram a circular os primeiros automóveis movidos à gasolina ou querosene e óleo. Em 1930, a Carris passou a oferecer também o transporte por ônibus para as localidades onde as linhas de bonde não chegavam. Em 1954, a Carris foi encampada pela prefeitura.

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

A Carris é a única instituição municipal a conquistar o Prêmio Nacional de Gestão Pública do Governo Federal e, em 2005, obteve o primeiro lugar na categoria Empresa Pública Eficiente da Pesquisa Top of Mind, realizada em Porto Alegre.

Notas[editar | editar código-fonte]

  • A empresa teve no final da década de 1960 diversos Trólebus (ônibus elétricos) que substituíram os bondes, os veículos eram equipados com chassi FNM, carroceria Massari e componentes elétricos Villares.
  • Alguns trólebus que rodaram na cidade paulista de Araraquara pela CTA, pertenceram a Carris e rodaram até a década de 2000.
  • Nos anos 1970, a Carris operou os primeiros ônibus com ar condicionado da história de Porto Alegre, os veículos operavam serviço seletivo que atendia a região do bairro Bela Vista e eram equipados ainda com rodomoça, cafezinho e jornal a bordo.
  • As maiores aquisições da Carris ocorreram em 1987 - quando vieram mais de 50 novos veículos monobloco e com carrocerias Marcopolo e Thamco, equipados com mecânica Mercedes-Benz. Em 2006 com a chegada de 62 novos ônibus Neobus Mega 2006 Mercedes-Benz OF-1722M. Durante todo o ano de 2008, entraram 76 novos, dentre eles Mega 2006 Low Entry com chassi Agrale; Millennium II e Viale, ambos chassi Volkswagen 17-260 EOT; juntos de Urbanuss Pluss Articulado Volvo. Em 2010 houve a maior aquisição de todas, com 82 novos tais como Neobus Mega 2006 Articulado Mercedes-Benz O500MA (7 veículos) e Gran Viale Low Entry Volvo e Mercedes-Benz (75 veículos com Ar condicionado).[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências