Araraquara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Araraquara
"Morada do Sol"
"Capital Mundial da Laranja"
Vista de Araraquara

Vista de Araraquara
Bandeira de Araraquara
Brasão de Araraquara
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 22 de agosto
Fundação 22 de agosto de 1817 (200 anos)
Gentílico araraquarense
Lema Altior altissimo semper
"Sempre mais alto"
Padroeiro(a) São Bento
Prefeito(a) Edinho Silva[1] (PT)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Araraquara
Localização de Araraquara em São Paulo
Araraquara está localizado em: Brasil
Araraquara
Localização de Araraquara no Brasil
21° 47' 38" S 48° 10' 33" O21° 47' 38" S 48° 10' 33" O
Unidade federativa  São Paulo
Região
intermediária

Araraquara IBGE/2017[2]

Região
imediata

Araraquara IBGE/2017[2]

Municípios limítrofes Norte: Américo Brasiliense, Motuca, Rincão e Santa Lúcia
Sul: Boa Esperança do Sul e Ribeirão Bonito
Leste: Ibaté e São Carlos
Oeste: Gavião Peixoto e Matão
Distância até a capital 270 km[3]
Características geográficas
Área 1 003,625 km² [4]
Distritos Araraquara (sede), Bueno de Andrada e Vila Xavier[5]
População 230 770 hab. (SP: 36º) –  estatísticas IBGE/2017[6]
Densidade 229,94 hab./km²
Altitude 664 m
Clima tropical Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,815 (SP: 7°) – muito elevado PNUD/2010[7]
PIB R$ 7 975 227 mil IBGE/2014[8]
PIB per capita R$ 35 555,44 IBGE/2014[8]
Página oficial
Prefeitura www.araraquara.sp.gov.br
Câmara www.camara-arq.sp.gov.br

Araraquara é um município no interior do estado de São Paulo, no Brasil. Está localizado na região central do estado, a uma distância de 43 quilômetros do seu centro geográfico (Obelisco), e a 270 quilômetros da capital estadual. Em 2007, foi a cidade brasileira melhor qualificada quanto ao Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal, que usa critérios de renda, educação e saúde.[9], é a 17ª maior cidade do interior do estado em número de residentes.

Localiza-se a 21º47'40" de latitude sul e 48º10'32" de longitude oeste, a uma altitude de 664 metros. Sua população estimada em 2017 é de 230 770 habitantes. O município está conurbado com Américo Brasiliense. Araraquara sedia os campi da UNESP, da FATEC (Fundação Estadual Paula Souza) e do IFSP, todas instituições públicas de ensino superior, além de possuir outras, de caráter privado, como a "Universidade de Araraquara - UNIARA", a "UNIP", as "Faculdades Integradas de Araraquara - Logatti" e a "UNIESP".

Em 2013, a população do município foi contada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 222 036 habitantes, sendo o trigésimo quinto mais populoso do estado e apresentando uma densidade populacional de 207,90 habitantes por quilômetro quadrado. O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Araraquara, considerado elevado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), é de 0,815, sendo o 14° maior do Brasil.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Existem duas explicações etimológicas para a origem do topônimo "Araraquara"ː

  • se originou do tupi antigo arará kûara, que significa "buraco das ararás" (arará, "cupim na sua fase alada" e kûara, "buraco", "toca")[10]
  • se originou da expressão da língua geral meridional arara kûara, que significa "toca das araras" (arara, "arara" e kûara, "buraco", "toca").[10]

História[editar | editar código-fonte]

Primeiros povos e fundação[editar | editar código-fonte]

Originalmente, a região era habitada pelos índios guaianás. O fundador de Araraquara, Pedro José Neto, nasceu no ano de 1760 em Nossa Senhora da Piedade de Inhomirim, no Bispado do Rio de Janeiro. Em 1780, com vinte anos de idade, mudou-se para a freguesia de Piedade da Borda do Campo, hoje Barbacena, em Minas Gerais. Nessa freguesia, a 12 de Agosto de 1784, casou-se com Ignácia Maria, também fluminense. Teve, com ela, dois filhos: José da Silva Neto e Joaquim Ferreira Neto, que faleceram em Araraquara.

Colheita de café em Araraquara em c. 1902.
Estação Ferroviária de Bueno de Andrada, distrito de Araraquara.
Laudo Natel e comitiva encontram autoridades locais e visitam o Aeroporto de Araraquara em 20 de fevereiro de 1975.

Em 1787, Pedro José Neto e sua família mudaram-se para Itu, em São Paulo. Em 1790 (ou 1807), devido a problemas políticos locais, a Justiça de Itu, por seu capitão-mor Vicente Taques Góis e Aranha, condenou-o ao desterro na freguesia de Piracicaba, em São Paulo, tendo ele conseguido fugir para os Campos de Araraquara.[11]

Com seus filhos, construiu uma capelinha dedicada a São Bento (padroeiro) nos Campos de Aracoara (lugar onde mora a luz do dia, a "Morada do Sol"), na região habitada pelos indígenas da tribo Guayanás.

Fixando-se nos Campos de Araraquara, estabeleceu posse das regiões do Ouro, Rancho Queimado, Cruzes, Lageado, Cambuy, Bonfim e Monte Alegre.

A 22 de agosto de 1817, foi criada a Freguesia de São Bento de Araraquara pela Resolução 32 - Reino -Resolução de Consciência e Ordens, então subordinada ao município de Piracicaba . A 30 de outubro de 1817, a freguesia foi elevada à categoria de distrito e, a 10 de julho de 1832, passou à de município, o qual foi instalado a 24 de agosto de 1833.[5]

A 20 de abril de 1866, passou à categoria de comarca pela Lei Provincial 61 e, a 6 de fevereiro de 1889, foi elevada à categoria de município, pela Lei Provincial Sete.

Do ponto de vista histórico-econômico, na primeira metade do século XIX, as grandes propriedades rurais, características deste século, ainda não tinham sido atingidas pelo surto cafeeiro. Plantava-se a cana-de-açúcar, milho, ao lado de outros cereais, o fumo e o algodão. Os rebanhos eram constituídos em sua maioria por suínos e bovinos. A maior parte da produção servia para abastecer as "casas de secos e molhados". Por volta de 1850, a plantação de café substituiu a de cana-de-açúcar e cereais, tornando-se o produto de maior importância na economia local.

Em 1885, a chegada da ferrovia estimula o crescimento da cidade, que foi considerada a "Cidade Mais Limpa das Três Américas", além de ser a primeira no interior a ser servida por linhas de ônibus elétricos (trólebus). A Estrada de Ferro Araraquara foi fundada por um grupo de fazendeiros da região, liderados por Carlos Baptista de Magalhães, pai de Carlos Leôncio de Magalhães, ambos importantes proprietários de terras da cidade.

Em 1897, ocorre um episódio de coronelismo conhecido como Linchamento dos Britos. Este episódio influenciará na política local do início do século XX, além de gerar o "mito da serpente".[12] Na década de 1930, com a vitória no pleito municipal de Bento de Abreu Sampaio Vidal e seu grupo, o poder local passa a investir na construção de praças e do Museu Municipal e na arborização de ruas, visando a construir uma outra representação sobre a cidade, que não a veicule ao episódio do linchamento.

Fato notável é a visita de Jean-Paul Sartre à cidade em 1960 para promover uma conferência no antigo Instituto Isolado de Ensino Superior - Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, atualmente integrada à Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. A conferência gerou uma publicação bilíngue pela Editora Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, em 2005, chamada "Sartre no Brasil: a Conferência de Araraquara".[13]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Geografia de Araraquara
Centro de Araraquara visto da rotatória do Jardim Martinez.

De acordo com a divisão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística vigente desde 2017,[14] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária e Imediata de Araraquara.[2] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, o município fazia parte da microrregião de Araraquara, que por sua vez estava incluída na mesorregião de Araraquara.[15]

O município, juntamente com São Carlos e outras 25 cidades, integra a Região Administrativa Central do estado, compreendendo uma população de cerca de um milhão de habitantes.[16]

A cidade possui um distrito: Bueno de Andrada a noroeste do distrito-sede, e do subdistrito de Vila Xavier, este conurbado com o distrito-sede. O município possui uma área total de 1 006 quilômetros quadrados, sendo 77,37 quilômetros quadrados de área urbana. Destes, aproximadamente 39 quilômetros quadrados são relativos à área urbana consolidada. A cidade geograficamente apresenta défices em sua estrutura urbana, tendo nas últimas décadas crescido sem planejamento. Muitos prefeitos preferiram alocar a classe operária em bairros distantes e isso acabou acarretando vultosos investimentos em infraestrutura. Como resultado, a cidade se espalhou em meio a inúmeros vazios urbanos. O novo Plano Diretor aprovado pretende dirimir estes problemas. Atualmente, o município também está praticamente conurbado com Américo Brasiliense.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima de Araraquara é tropical de altitude com invernos secos.

    • Média anual: 20,4 °C[17]
    • Mês mais quente: JAN/FEV - 28,1 °C (máxima média)[17]
    • Mês mais frio: JUL - 10,2 °C (mínima média)[17]
    • Máxima absoluta: 40,6 °C, 17 de outubro de 2014[carece de fontes?]
    • Mínima absoluta: -2 °C[carece de fontes?][quando?]
Dados climatológicos para Araraquara
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 27,9 28,1 27,9 26,6 24,3 23,2 23,5 24,9 26,1 26,9 26,9 28 26,2
Temperatura média (°C) 22,7 22,8 22,3 20,7 18,3 16,9 16,8 18,5 20 21,3 21,9 22,4 20,4
Temperatura mínima média (°C) 17,6 17,5 16,8 14,9 12,4 10,7 10,2 12,1 14 15,7 17 16,8 14,6
Precipitação (mm) 237 209 160 55 44 36 24 22 51 128 158 228 1 352
Fonte: Climate-Data.org[17]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Bacia hidrográfica
Panorama da zona central de Araraquara, vista a partir do Viaduto Ferroviário.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Bairros de Araraquara
Crescimento populacional
Censo Pop.
1970100 438
1980128 12227,6%
1991166 73130,1%
2000182 4719,4%
2010208 66214,4%
Fonte: Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística
(IBGE)[20]
Área Central de Araraquara, vista a partir do Vila Harmonia

Em 2013, a população do município foi contada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 222 036 habitantes, sendo o trigésimo quinto mais populoso do estado e apresentando uma densidade populacional de 207,90 habitantes por quilômetro quadrado. Segundo o censo de 2010, 100 733 habitantes eram homens e 107,992 habitantes eram mulheres. Ainda segundo o mesmo censo, 202 802 habitantes viviam na zona urbana e 5 923 na zona rural.

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Araraquara, considerado elevado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), é de 0,815, sendo o 14° maior do Brasil, em igualdade com Santo André/SP. Considerando apenas a educação o índice é de 0,915 (muito elevado), enquanto o do Brasil é 0,849; o índice da longevidade é de 0,786 (o brasileiro é 0,638); e o de renda é de 0,79 (o do país é 0,723).

O coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social, é de 0,42, sendo que 1,00 é o pior número e 0,00 é o melhor.[21] A incidência da pobreza, medida pelo IBGE, é de 9,92%, o limite inferior da incidência de pobreza é de 7,09%, o superior é de 22,14% e a incidência da pobreza subjetiva é de 12,76%.[21]

Etnias[editar | editar código-fonte]

Etnia Percentagem
Caucasianos 71,84%
Negros 5,71%
Pardos 21,33%
Asiáticos 1,02%
Indígenas 0,10

Fonte: IBGE - Censo Demográfico 2010[22]

Religião[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Diocese de São Carlos
Matriz São Bento (Futura Basílica)

O município de Araraquara está localizada no maior país católico do mundo em números absolutos. O município, pela Igreja Católica, que teve seu estatuto jurídico reconhecido pelo governo federal em outubro de 2009, e pertence à Diocese de São Carlos e é sede do Vicariato São Bento, criado em 20/03/2017, [23][24] ainda que o Brasil seja atualmente um estado oficialmente laico.[25] De acordo com dados do censo de 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a população de Araraquara é composta por: católicos (61,22%), evangélicos (21,12%), pessoas sem religião (6,50%), espíritas (7,15%) e 5,01% estão divididas entre outras religiões.[26]

Tal como a variedade cultural em Araraquara, são diversas as manifestações religiosas presentes na cidade. Embora tenha se desenvolvido sobre uma matriz social eminentemente católica, é possível encontrar atualmente na cidade dezenas de denominações protestantes diferentes.[26]

Política[editar | editar código-fonte]

Poder Executivo[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Lista de Prefeitos de Araraquara
Edinho Silva, o atual prefeito.

Atualmente (2017-2020), o prefeito da cidade é Edinho Silva (PT) e o vice-prefeito é Damiano Netto (PP).

Após oito anos de gestão do prefeito Marcelo Barbieri (PMDB), a cidade elegeu novamente, na eleição de 2016, para o comando do poder executivo, o ex-prefeito, ex-deputado e ex-Ministro Edinho Silva (PT), que voltará a ocupar a cadeira que já foi sua entre os anos de 2001 e 2008. Edinho foi eleito com 41,71% dos votos válidos, tendo superado a ex-vereadora Edna Martins (PSDB), que obteve 28,93% dos votos válidos; o vereador e candidato do atual governo Aloísio Braz, o "Boi" (PMDB), que atingiu 12,46% dos sufrágios considerados; o ex-Secretário da atual gestão Nino Mengatti (PSB), que conseguiu 8,53% dos votos válidos; o estudante universitário Célio Peliciari (PSOL), que galgou 5,58% dos votos validados e, por fim, o vereador João Farias (PRB), que conquistou apenas 2,68% dos votos válidos.

Poder Legislativo[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Câmara Municipal de Araraquara

O Poder Legislativo é representado pela Câmara Municipal, atualmente composta por 18 vereadores, com mandato de 4 anos. Cabe aos vereadores, especialmente, fiscalizar o orçamento do município, elaborar projetos de lei fundamentais à administração, votar propostas do Executivo e principalmente para beneficiar a comunidade. A presidência da câmara municipal é bienal, a cada dois anos os vereadores elegem, entre si, seu representante. O atual presidente da Câmara Municipal (2017-2018) é o vereador Jéferson Yashuda (PSDB).

Economia[editar | editar código-fonte]

Fábrica da Cutrale.
Mercado Municipal de Araraquara.

Araraquara está entre as cidades mais desenvolvidas do Brasil em termos de qualidade de vida, renda, saúde e educação, com base no índice FIRJAN. A cidade também é uma das mais industrializadas do estado, contando com mais de 500 indústrias de vários ramos. Em 2013, seu PIB foi estimado pelo IBGE em 7.414.759 mil reais,[27] enquanto seu PIB per capita em 33.394,40 reais.[27]

No Centro destacam-se a Rua Nove de Julho (conhecida historicamente por Rua 2) e Rua São Bento (Rua 3) e as avenidas e ruas próximas, além da Avenida Maria Antônia Camargo de Oliveira (Via Expressa). Além da grande quantidade de lojas varejistas na região central, os bairros vem notadamente desenvolvendo seus próprios corredores produtivos e comerciais em importantes artérias de suas localidades[28], como são os caso da Avenida Bento de Abreu, Avenida Luís Alberto, Rua Napoleão Selmi Dei e Rua Henrique Lupo na região da Fonte e Vila Harmonia; Avenida Padre Francisco Salles Culturato (Avenida 36) e Rua Armando Salles de Oliveira (Rua 5 e meio) na região do Santa Angelina e São Geraldo; Alameda Paulista, Avenida Francisco Vaz Filho, Avenida Estrada de Ferro Araraquara, Avenida São João e Avenida Padre Antônio Cezarino na região da Vila Xavier; Avenida Dr. Albert Einstein na região do Parque São Paulo; Avenida Padre José Anchieta na região da Vila Melhado; Avenida Alberto Santos Dumont na região do Yolanda Ópice; Avenida Sete de Setembro e Avenida Presidente Vargas na região do Carmo e Quitandinha; Rua Castro Alves (Rua 16) na região do Santana e Morumbi; Avenida Antonio Honório Real[29] na região do Vale do Sol, Avenida Dom Carlos Carmelo na região do Botânico, Rua Maurício Galli na região do Imperador e Selmi Dei, entre outros, que muitas vezes suprem as necessidades da população, evitando seu deslocamento até a região central.

Shopping Centers
Shopping Lupo

No setor de Shopping Centers, Araraquara se mostra como um dos mais fortes da Região Central do Estado, contando, atualmente, com duas instalações em funcionamento:

  • Shopping Lupo, localizado no coração de Araraquara, ocupa o antigo prédio da Fábrica de Meias Lupo, que foi totalmente adequado para abrigar o centro comercial, conta com cerca de 40 lojas. Tem como atração o relógio, que por décadas foi a referência da hora certa para os araraquarenses e três salas de Cinema.[carece de fontes?]

Shoppings desativados e empreendimentos futuros:

  • Tropical Shopping, que atualmente se encontra desativado, teve sua área total comprada pelo grupo Aché[30], líder em produtos farmacêuticos no País, e, sob a administração da empresa imobiliária do grupo, a Partage, receberá parte dos 300 milhões de reais pretendidos em investimentos na cidade na revitalização do espaço, que contará com cinco lojas âncoras, nove semiâncoras, praça de alimentação, boliche, playground e cinco salas de cinema, sem previsão de entrega.
  • Um novo Shopping Center está projetado para ser construído no CEAR[31] (Centro de Eventos de Araraquara e Região), que pode atingir até 54,8 mil metros quadrados, de acordo com a diretoria do FUNCEF (Fundação dos Economiários Federais). Ainda não há previsão de construção e inauguração, pois depende do fim das operações da América Latina Logística no local.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Saúde[editar | editar código-fonte]

A mortalidade infantil[32] (mortalidade de crianças com menos de um ano de idade) no município passou de 16,8 por mil nascidos vivos, em 2000, para 10,2 por mil nascidos vivos, em 2010. Em 1991, a taxa era de 22,7. A esperança de vida ao nascer[32] é o indicador utilizado para compor a dimensão Longevidade do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M). No município, a esperança de vida ao nascer cresceu 4,0 anos na última década, passando de 73,6 anos, em 2000, para 77,6 anos, em 2010. Em 1991, era de 70,1 anos.

Longevidade, Mortalidade e Fecundidade 1991 2000 2010
Esperança de vida ao nascer (em anos) 70,1 73,6 77,6
Mortalidade até 1 ano de idade (por mil nascidos vivos) 22,7 16,8 10,2
Mortalidade até 5 anos de idade (por mil nascidos vivos) 25,7 19,6 11,9
Taxa de fecundidade total (filhos por mulher) 2,4 2,4 1,8

Araraquara possui dois hospitais geraisː a Santa Casa de Misericórdia atuando com pacientes do Sistema Único de Saúde e convênio e o Hospital São Paulo - Unimed, atendendo exclusivamente a convênio. A cidade também possuí a Maternidade Gota de Leite[33] atendendo exclusivamente ao SUS e a clínica particular de cirurgia plástica Duo Day Hospital. O serviço de hemodiálise realizado no município encontra-se instalado no Hospital Cana-Sol. Possuí também o Hospital Psiquiátrico Cairbar Schutel que atende pacientes do SUS e de toda microrregião de Araraquara.

Fachada da UPA Vila Xavier
Hospital da Beneficência Portuguesa de Araraquara.
Vista do DAAE Departamento Autônomo de Água e Esgotos

As Unidades de Pronto Atendimento - UPA 24h são estruturas de complexidade intermediária entre as Unidades Básicas de Saúde e as portas de urgência hospitalares, onde em conjunto com estas compõe uma rede organizada de Atenção às Urgências. Araraquara conta com três Unidades de Pronto Atendimento, UPA Dr. Antônio Alonso Martinez, mais conhecida como UPA Vila Xavier, UPA Central, localizada na Via Expressa e mais uma unidade no bairro Vale Verde, inaugurada em 12 de dezembro de 2016.[34]

A Estratégia Saúde da Família visa à reorganização da atenção básica no País, de acordo com os preceitos do Sistema Único de Saúde, e é tida pelo Ministério da Saúde e gestores estaduais e municipais como estratégia de expansão, qualificação e consolidação da atenção básica por favorecer uma reorientação do processo de trabalho com maior potencial de aprofundar os princípios, diretrizes e fundamentos da atenção básica, de ampliar a resolutividade e impacto na situação de saúde das pessoas e coletividades, além de propiciar uma importante relação custo-efetividade. Alguns bairros de Araraquara disponibilizam à população unidades de saúde ESF: Jardim Brasil, Paraíso, Hortênsias, Ieda, Marivan, Maria Luiza, Bueno de Andrada, Vale do Sol, Cruzeiro do Sul, Jardim Santa Lúcia, Parque das Laranjeiras, Santana, Jardim Pinheiros, Parque São Paulo e os Assentamentos Bela Vista e Vista Alegre.[35]

O município de Araraquara também possui os Centros de Atenção Psicossociais (CAPS), instituições especializadas no atendimento em saúde mental para adultos. Os CAPS são instituições destinadas a acolher pacientes com transtornos mentais, estimular sua integração social e familiar e apoiá-los em suas iniciativas de busca da autonomia, oferecendo-lhes atendimento médico e psicossocial. O objetivo dos CAPS é oferecer atendimento à população de sua área de abrangência, realizando o acompanhamento clínico e a reinserção social dos usuários pelo acesso ao trabalho, lazer, exercício dos direitos civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários. É um serviço de atendimento de saúde mental criado para ser substitutivo às internações em hospitais psiquiátricos.[36] O Centro de Atenção Psicossocial - Álcool e Drogas (CAPS-AD) é outro dispositivo para o atendimento especializado em saúde mental para adolescentes e adultos que apresentam quadros de dependência de drogas e de álcool.

O Serviço Especial de Saúde de Araraquara - SESA, foi criado pelo Governo do Estado de São Paulo, em 1947, para exercer dentro dos limites do município de Araraquara, as funções de Unidade Sanitária, simultaneamente com as de Centro de Aprendizado da Faculdade de Saúde Pública da USP. Foi transferido para a Universidade de São Paulo, como Instituto Complementar da mesma, pela Lei 4846, de 4 de setembro de 1958, estando subordinado diretamente à Faculdade de Saúde Pública. Consolidou-se como campo de estágio aos alunos do curso de Saúde Pública.[37]

Os Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA) são serviços de saúde que realizam ações de diagnóstico e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. Nesses serviços, é possível realizar testes para HIV, sífilis e hepatites B e C gratuitamente. Todos os testes são realizados de acordo com a norma definida pelo Ministério da Saúde e com produtos registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e por ela controlados. O atendimento nesses centros é inteiramente sigiloso e oferece a quem realiza o teste a possibilidade de ser acompanhado por uma equipe de profissionais de saúde que a orientará sobre resultado final do exame, independente dele ser positivo ou negativo. Quando os resultados são positivos, os CTA são responsáveis por encaminhar as pessoas para tratamento nos serviços de referência.[38]

Educação[editar | editar código-fonte]

Diretoria de Ensino

A cidade é sede da Diretoria Regional de Ensino e Educação que centraliza a coordenação da Educação do município e de 9 cidades vizinhas (Américo Brasiliense, Boa Esperança do Sul, Gavião Peixoto, Matão, Motuca, Nova Europa, Rincão, Santa Lúcia e Trabiju)

A rede de ensino público instalada no município é composta por 83 unidades escolares, distribuídas entre as modalidades de ensino Infantil, Fundamental e Médio. A rede municipal de ensino conta com 37 Centros de Educação e Recreação - Creche (C.E.R.), 11 Escolas Municipal de Ensino Fundamental (E.M.E.F.) e 3 unidades que acumulam os serviços de C.E.R. e E.M.E.F., totalizando 51 unidades.[39] A rede estadual de ensino é composta por 31 escolas, sendo 30 Escolas Estaduais (E.E.) administradas pela Secretaria Estadual de Educação e 1 Escola Técnica Estadual (E.T.E.C.) administrada pela Secretaria de Ciência e Tecnologia.[40] A rede federal tem uma unidade do Instituto Federal São Paulo (I.F.S.P.) que oferece a opção do ensino médio integrado a curso técnico.[41]

A cidade abriga duas instituições públicas de ensino superior: a Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP) e o Instituto Federal de São Paulo (IFSP). A UNESP possui 4 institutos: a Faculdade de Ciências e Letras, Faculdade de Ciências Farmacêuticas , Instituto de Química e Faculdade de Odontologia. O IFSP oferece 3 cursos de nível superior: Engenharia Mecânica, Licenciatura em Matemática e Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Também oferece 2 cursos de nível técnico: Mecatrônica e Informática, e 2 cursos de nível técnico integrado ao ensino médio (oferecidos integralmente por esta instituição): Mecânica e Informática. A Universidade Paulista (UNIP), a Universidade de Araraquara (UNIARA), as Faculdades Logatti e o Instituto Savonitti também estão instalados na cidade.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Aeroporto de Araraquara
Terminal de integração.
Descida do Chibaro, Rodovia Washington Luiz (SP-310).

Desde dezembro de 2013,[42] o aeroporto Estadual de Araraquara Bartolomeu de Gusmão passou a contar com as operações da Azul Linhas Aéreas, com voos comerciais, fazendo com que o aeroporto voltasse a oferecer esse tipo de serviço, que, desde 2007, havia sido cancelado[43] com o fim das operações da Pantanal Linhas Aéreas na cidade. Inicialmente, a Azul Linhas Aéreas ofereceu voos direto para Campinas - Viracopos[44], aeroporto que oferece viagens para mais de cem destinos diferentes[45] através da mesma empresa. Devido ao baixo número de passageiros, menos de um ano após iniciar suas operações na cidade a companhia Azul suspendeu seu serviço em Araraquara. O último voo ocorreu em 3 de novembro de 2014.

Ferroviário
Rodoviário
  • Terminal Rodoviário de Araraquara
  • Terminal de Integração
Rodovias
Estradas municipais
Transporte coletivo
  • Consórcio Araraquara de Transportes (CAT)
  • Viação Paraty
  • Empresa Cruz

Cultura[editar | editar código-fonte]

Museu de Arqueologia e Paleontologia de Araraquara (MAPA).
Museu do Futebol e Esportes.

Espaços culturais[editar | editar código-fonte]

  • Casa da Cultura "Luiz Antônio Martinez Corrêa”
  • Palacete da Esplanada das Rosas
  • Arquivo Público Histórico "Profº Rodolpho Telarolli”
  • Espaço Cultural "Paulo Mascia"
  • Chácara "Waldemar Safiotti"

Museus[editar | editar código-fonte]

  • Museu Ferroviário "Francisco Aureliano de Araújo"
  • Museu de Arqueologia e Paleontologia de Araraquara
  • Museu da Imagem e do Som "Maestro José Tescari"
  • Museu do Futebol e dos Esportes
  • Museu do Trólebus Araraquara
  • Museu Espaço do Boneco

Patrimônio histórico[editar | editar código-fonte]

Com quase 200 anos de história, Araraquara tem várias construções antigas, mas não há um mapeamento definido dos imóveis. O último imóvel considerado histórico e protegido por lei municipal aconteceu em 2005. Segundo a Coordenadoria de Preservação do Patrimônio Histórico e Cultural, há 28 imóveis tombados, sendo oito particulares.[46]

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • Teatro Municipal de Araraquara, com capacidade para 460 espectadores
  • Teatro "Wallace Leal Valentin Rodrigues"
  • Teatro de Arena "Prefeito Benedito de Oliveira" é dotado de excelente infraestrutura, e possui capacidade para acomodar 3 mil pessoas
  • Centro Internacional de Convenções "Dr. Nelson Barbieri"

Música[editar | editar código-fonte]

  • Orquestra Filarmônica Experimental Uniara
  • Orquestra Jovem de Araraquara

Bibliotecas[editar | editar código-fonte]

  • Biblioteca Municipal Mario de Andrade
  • Biblioteca Municipal Infantil Monteiro Lobato

Esportes[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Estádio Doutor Adhemar de Barros
Arena da Fonte

Araraquara tem grande tradição esportiva, principalmente no futebol com a Associação Ferroviária de Esportes (AFE). O time masculino disputa a série A1 do campeonato paulista, enquanto o feminino disputa tanto o campeonato paulista (campeonato o qual se sagrou tetracampeão paulista em 2013) quanto o campeonato brasileiro (campeonato o qual se sagrou campeão em 2014).

O basquete, que, no início dos anos 2000, foi uma grande potência nacional com a Uniara/Araraquara, atualmente está com o time profissional fechado, disputando apenas campeonatos pelas categorias juvenis. No vôlei destaque para o time feminino da Uniara/Fundesport, que, em 2013, estava disputando, pela primeira vez na história, a Superliga feminina. A cidade também investe em outras modalidades, como o futsal feminino. Esse sucesso se reflete nas várias conquistas de seus atletas e nos títulos dos jogos regionais.

O município conta com uma Arena Multiuso, a Arena da Fonte, com capacidade para mais de 20 mil pessoas, recebendo todos os anos partidas de campeonatos como o Brasileirão e o Campeonato paulista, além do Estádio Municipal "Dr. Cândido de Barros".[carece de fontes?]

Os principais ginásios poliesportivos da cidade são o "Gigantão" (Ginásio Municipal de Esportes Castelo Branco) e o "Ginásio da Pista" (Ginásio de Esportes Guilherme Fragoso Ferrão). A Pista de Atletismo "Armando Garllippe", o Kartódromo do Parque Pinheirinho e o Complexo Aquático Arena da Fonte são outros exemplos de aparelhos públicos tradicionais voltados para a prática esportiva. Desde 1980, no último dia de cada ano, é promovida a Corrida de Santo Onofre, uma prova de rua com 7 km de extensão. Em 2016 foi realizada a 37ª edição.

Comunicação[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Mídia em Araraquara

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. G1 (2 de outubro de 2016). «Edinho Silva (PT) é eleito prefeito de Araraquara, SP». Consultado em 30 de outubro de 2017.. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2017 
  2. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 30 de outubro de 2017. 
  3. OESP Mídia (2011). «Araraquara». iLocal. Consultado em 8 de março de 2011.. Cópia arquivada em 19 de dezembro de 2013 
  4. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (15 de janeiro de 2013). «Áreas dos Municípios». Consultado em 30 de outubro de 2017.. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2017 
  5. a b Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (2007). «Araraquara - Histórico» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 19 de dezembro de 2013.. Cópia arquivada em 19 de dezembro de 2013 
  6. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (30 de agosto de 2017). «Estimativas da população residente no Brasil e unidades da federação com data de referência em 1º de julho de 2017» (PDF). Consultado em 30 de outubro de 2017. 
  7. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 4 de dezembro de 2013.. Cópia arquivada (PDF) em 8 de julho de 2014 
  8. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2014). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2014». Consultado em 30 de outubro de 2017.. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2017 
  9. «"Um país partido"» (HTML). 26 de setembro de 2010. Consultado em 27 de setembro de 2010. 
  10. a b NAVARRO, E. A. Dicionário de Tupi Antigoː a Língua Indígena Clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 544.
  11. FOLLIS, F. Mito e história de um posseiro do Brasil Colonial nos Sertões de Araraquara. Revista de História Regional 21(1): 148-169, 2016. Disponível em: <www.revistas2.uepg.br/index.php/rhr/article/download/7873/5264>.
  12. FRANÇOSO, L. M. A modernidade é uma serpente. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências e Letras, Araraquara, 2015. link.
  13. Prefeitura Municipal de Araraquara. Disponível em http://www.araraquara.sp.gov.br/pagina/Default.aspx?IDPagina=2996. Acesso em 22 de março de 2016.
  14. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 30 de outubro de 2017.. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2017 
  15. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1990). «Divisão regional do Brasil em mesorregiões e microrregiões geográficas» (PDF). Biblioteca IBGE. 1: 96. Consultado em 30 de outubro de 2017.. Cópia arquivada (PDF) em 30 de outubro de 2017 
  16. Secretaria de Economia e Planejamento (novembro de 2007). «Região Administrativa Central» (PDF). Governo do Estado de São Paulo. Consultado em 28 de julho de 2008. 
  17. a b c d «CLIMA: ARARAQUARA». Climate-Data.org. Consultado em 2 de janeiro de 2016.. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2016 
  18. «CLIMA: BUENO DE ANDRADE». Climate-Data.org. Consultado em 2 de janeiro de 2016.. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2016 
  19. «CLIMA: VILA XAVIER». Climate-Data.org. Consultado em 2 de janeiro de 2016.. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2016 
  20. Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (Sidra) (2010). «Tabela 200 - População residente por sexo, situação e grupos de idade - Amostra - Características Gerais da População». Consultado em 19 de dezembro de 2013. 
  21. a b Cidades@ - IBGE (2003). «Mapa de Pobreza e Desigualdade - Municípios Brasileiros 2003». Consultado em 5 de abril de 2011. 
  22. http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/protabl.asp?c=2093&i=P&nome=on&qtu8=137&qtu14=3&notarodape=on&tab=2093&opn8=0&opn14=0&unit=0&pov=1&poc2=1&opc1=1&OpcTipoNivt=1&opn1=0&nivt=0&orc86=3&poc1=1&sec58=0&orp=7&qtu3=27&qtu13=47&opv=1&poc86=2&opc2=1&sec1=0&pop=1&opn2=0&opn15=0&orv=2&orc2=4&opc58=1&qtu2=5&qtu15=4&sev=1000093&opc86=2&sec2=0&opp=1&opn3=0&qtu6=5565&opn13=0&sec86=0&ascendente=on&sep=36961&orn=1&qtu7=36&orc1=5&poc58=1&qtu1=1&opn9=0&cabec=on&orc58=6&opn7=0&decm=99&pon=1&qtu9=558&opn6=3&digt6=Araraquara&OpcCara=44&proc=1
  23. http://www.diocesesaocarlos.org.br/v2/index.php?option=com_content&view=section&id=14&Itemid=64
  24. Cristiane Agostine (8 de outubro de 2009). «Senado aprova acordo com o Vaticano». O Globo. Consultado em 5 de abril de 2011. 
  25. Fernando Fonseca de Queiroz (Outubro de 2005). «Brasil: Estado laico e a inconstitucionalidade da existência de símbolos religiosos em prédios públicos». Jus Navigandi. Consultado em 5 de abril de 2011. 
  26. a b http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/protabl.asp?c=2103&i=P&nome=on&qtu8=137&qtu14=3&notarodape=on&tab=2103&opn8=0&opn14=0&unit=0&pov=1&opc1=1&poc2=1&poc133=2&OpcTipoNivt=1&opn1=0&nivt=0&poc1=1&sec58=0&orp=7&qtu3=27&qtu13=47&opv=1&sec1=0&opc2=1&opc133=2&pop=1&opn2=0&opn15=0&orv=2&orc2=4&opc58=1&orc133=6&qtu2=5&qtu15=4&sev=1000093&sec2=0&sec133=0&opp=1&opn3=0&qtu6=5565&opn13=0&orc1=3&poc58=1&qtu1=1&opn9=0&cabec=on&orc58=5&opn7=0&decm=99&ascendente=on&sep=38558&orn=1&qtu7=36&pon=1&qtu9=558&opn6=3&digt6=Araraquara&OpcCara=44&proc=1
  27. a b «IBGE | Cidades | São Paulo | Araraquara | Produto Interno Bruto dos Municípios - 2013». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 14 de abril de 2016. 
  28. «PD visa atrair investimentos com novos corredores produtivos» 
  29. «Vale do Sol: um bairro autossuficiente em comércio e serviços» 
  30. «Investimentos de hoje farão a cidade do amanhã» 
  31. «Funcef garante construção de hotel em Araraquara em curto prazo» 
  32. a b «Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil» 
  33. «Maternidade Gota de Leite» 
  34. «Portal Saúde UPA» 
  35. «Portal da Saúde» 
  36. «Saúde Mental no SUS: Os centros de atenção psicossocial» (PDF). 2004 
  37. «Faculdade de Saúde Pública» 
  38. «Centro de Testagem e Aconselhamento» 
  39. «Prefeitura Municipal de Araraquara - SP». www.araraquara.sp.gov.br. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  40. «Central de Atendimento». www.educacao.sp.gov.br. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  41. «Técnicos Integrados». arq.ifsp.edu.br. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  42. «Enfim: Primeiro voo da Azul pousa no aeroporto de Araraquara]]» 
  43. «Folha de S.Paulo - Ribeirão - Daesp inicia obra em terminal do aeroporto de Araraquara - 15 de abril de 2012]]» 
  44. «aéreas: Aeroporto de Araraquara começa a operar voos comerciais nesta quarta-feira - EPNoticia.com - ViaEPTV.com]]» 
  45. «Conheça a História da Azul Linhas Aéreas Brasileiras - Sobre a Azul]]» 
  46. Araraquara não faz tombamento há 4 anos - Folha de S.Paulo, 28 de fevereiro de 2010 (visitado em 28 de fevereiro de 2010).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Araraquara