Dobrada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura prato típico brasileiro e do norte de Portugal, veja Dobradinha (alimento).
Município de Dobrada
Bandeira de Dobrada
Brasão de Dobrada
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 28 de março
Fundação 28 de março de 1965 (53 anos)
Gentílico dobradense
Padroeiro(a) São Francisco de Paula
Prefeito(a) José Carlos Simão (Dedé) (PTB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Dobrada
Localização de Dobrada em São Paulo
Dobrada está localizado em: Brasil
Dobrada
Localização de Dobrada no Brasil
21° 31' 01" S 48° 23' 38" O21° 31' 01" S 48° 23' 38" O
Unidade federativa São Paulo
Mesorregião Araraquara
Região
intermediária

Araraquara IBGE/2017[1]

Região
imediata

Araraquara IBGE/2017[1]

Municípios limítrofes Santa Ernestina, Taquaritinga, Matão, Guariba e Motuca
Distância até a capital 320 km
Características geográficas
Área 150,085 km² [2]
População 7 939 hab. 2010
Densidade 52,9 hab./km²
Altitude 575 m
Clima subtropical Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,745 elevado PNUD/2000[3]
PIB R$ 55 956,235 mil IBGE/2008[4]
PIB per capita R$ 10,273 14 IBGE/2015

Dobrada é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se a uma latitude 21º31'00" sul e a uma longitude 48º23'38" oeste, estando a uma altitude de 575 metros. Sua população, de acordo com o CENSO 2010, é de 7.941 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

Fundada por imigrantes italianos no final do século XIX, conforme testemunhos de antigos moradores, a região já contava, em 1893, com as primeiras habitações, recebendo o povoado o nome de Sesmaria dos Cocais. Em 1900 passou a ser conhecido como Bairro do Santiago, em homenagem ao proprietário de vastas terras nas redondezas.

O povoado funcionava como centro de pouso, assim recebeu esse nome por ser a Segunda Dobrada depois Araraquara, caminho percorrido pelos tropeiros. Em 1908 recebeu o prolongamento dos trilhos da estrada de Ferro Araraquara, assim teve um crescente desenvolvimento.

Teve seu auge no período do café. Além do ápice econômico nesse período houve também o cultural.

Até então Dobrada era distrito de Matão, conseguindo sua emancipação político-administrativa em 28 de março de 1965.

Com o fim do café começa a laranja e depois a cana-de-açúcar, essa última atraindo para o município inúmeros migrantes provenientes do nordeste brasileiro, com apoio de políticos locais.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Possui uma área de 150,085 km².

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2010

População Total: 7.939

  • Urbana: 7.762
  • Rural: 177
  • Homens: 4.116
  • Mulheres: 3.823

População Estimada (2017) 8.744

Densidade demográfica (hab./km²): 53,02

Expectativa de vida (anos): 71,34

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,34

Taxa de Alfabetização: 82,36%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,745

  • IDH-M Renda: 0,672
  • IDH-M Longevidade: 0,772
  • IDH-M Educação: 0,790

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade foi atendida pela Companhia Telefônica Brasileira (CTB) até 1973[5], quando passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP), que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[6], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[7] para suas operações de telefonia fixa.

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 24 de abril de 2018. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  4. «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  5. «Relação do patrimônio da CTB incorporado pela Telesp» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  6. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  7. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]