Itaquaquecetuba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Itaquaquecetuba
"Cidade Presépio"
"Itaquá"
Rodovia Ayrton Senna

Rodovia Ayrton Senna
Bandeira de Itaquaquecetuba
Brasão desconhecido
Bandeira Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 8 de setembro [1]
Fundação 8 de setembro de 1560 (455 anos)
Gentílico itaquaquecetubense ou itaquaquecetubano [2]
CEP 08570-000 até 08599-999
Prefeito(a) Mamoru Nakashima (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Itaquaquecetuba
Localização de Itaquaquecetuba em São Paulo
Itaquaquecetuba está localizado em: Brasil
Itaquaquecetuba
Localização de Itaquaquecetuba no Brasil
23° 29' 09" S 46° 20' 52" O23° 29' 09" S 46° 20' 52" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião São Paulo IBGE/2008 [3]
Microrregião Mogi das Cruzes IBGE/2008 [3]
Região metropolitana São Paulo
Municípios limítrofes Oeste: Guarulhos;
Norte: Arujá;
Leste: Mogi das Cruzes;
Sudoeste: São Paulo;
Sul: Suzano e Poá.
Distância até a capital 42,6 km[4]
Características geográficas
Área 81,777 km² [5]
População 321 854 hab. (SP: 20º) –  Censo IBGE/2010 [6]
Densidade 3 935,75 hab./km²
Altitude 790 m
Clima Tropical de altitude [7] Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,714 alto PNUD/2010 [8]
PIB R$ 2 861 017 mil IBGE/2008 [9]
PIB per capita R$ 7 963,80 IBGE/2009 [9]
Página oficial

Itaquaquecetuba, por vezes referida simplesmente como Itaquá,[10] é um município brasileiro do estado de São Paulo, situado no sudeste do país. Pertencente as regiões metropolitana e mesorregião de São Paulo, e localizada na microrregião de Mogi das Cruzes.[3][11] Distante 42,6 quilômetros a nordeste da cidade de São Paulo, capital estadual,[4] e 1 041 quilômetros de Brasília, capital federal.[12] A cidade desenvolveu-se próximo às margens da região do Alto Tietê, fundado aproximadamente entre 1560 e 1563 por jesuítas liderados pelo padre José de Anchieta, os primórdios do município se baseiam na capela católica de Nossa Senhora d'Ajuda que foi fundada pelo próprio padre.[13][14]

É uma das cidades mais populosas do Brasil. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população do município no censo de 2010 é estimado por tendo 321 770 habitantes, sendo o vigésimo município mais populoso de São Paulo, e o septuagésimo primeiro mais populoso do país; com uma área de 82,622 km², o que resulta numa densidade demográfica de 3 895,24 hab/km².[15] O clima de Itaquaquecetuba é, como em toda a região metropolitana de São Paulo, o subtropical, onde a média de temperatura anual gira em torno dos 18°C.[16][17]

Itaquaquecetuba está entre os 10 melhores municípios brasileiros que tiveram avanços relevantes nos últimos 20 anos em desafios contra a desigualdade em 2014,[18] possuindo também o 169º melhor PIB entre municípios.[9] E ficando em 199º lugar como as cidades com maiores taxas de homicídios por grupo de 100 mil habitantes.[19] Itaquaquecetuba possui uma forte vocação industrial, por causa de sua localização geográfica, onde passam rodovias como a SP-66, SP-56, SP-88 e a Rodovia Ayrton Senna, que liga o município com cidades como Mogi das Cruzes, Poá, Suzano, Ferraz de Vasconcelos, e Arujá, fazendo também divisa com outros grandes centros urbanos, como a capital estadual de São Paulo e Guarulhos.[17]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome do município está ligado à planta taquara (ta'kwar), palavra de origem tupi.

O nome Itaquaquecetuba, veio da antiga língua tupi-guaraní, dos índios que habitavam algumas das aldeias próximas a região do Alto Tietê, incluindo a própria aldeia de Itaquá. O nome significa amplamente “lugar abundante de taquaras cortantes como facas”, através da junção dos termos ta'kwar/taqua (taquara), kysé/quicé (faca) e tyba/tuba (ajuntamento ou lugar abundante em).[20] [21] O termo formou-se por taquaquicé-tuba, o que, posteriormente, proveu o nome Itaquaquecetuba, adotado pelo padre jesuíta, José de Anchieta, no período da colonização do município.[2]

O motivo pelo qual a espécie de bambu, taquara, que á época servia para fazer instrumentos cortantes, tal a navalha, ter servido como topônimo do município, é por causa de sua abundância na região do Alto Tietê no início de sua colonização.[22] Por isso, seu significado completo é “ajuntamento de taquaras-faca”. Porém, além de sua abundância no período do Brasil Colonial, é importante ressaltar que, quando o padre jesuíta, José de Anchieta, estava fundando as aldeias, existia um imenso taquaral, margeando os rios Tietê e Tipóia, localizado próximo a Itaquaquecetuba, á época; o que contribuiu na criação do topônimo indígena da cidade.[23] [24]

História[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: História de Itaquaquecetuba

A origem do município de Itaquaquecetuba remonta a uma das doze aldeias, fundadas pelo padre jesuíta, José de Anchieta, em sua longa permanência no Brasil. Sua criação se deve ao padre João Álvares, morador da Vila de Mogi das Cruzes, que em 1610 obteve uma sesmaria, que deu origem a uma fazenda e capela particular, sob a invocação de Nossa Senhora da Ajuda. Após sua morte, os jesuítas passaram a administrar Itaquaquecetuba, estabelecida na beira do Rio Tietê, para catequizar os índios.[25]

Município de Itaquaquecetuba sob a presença do presidente da província de São Paulo, Bernardo Gavião Peixoto. Na qual, anteriormente, teve sua primeira vila denominada Nossa Senhora da Ajuda.[10] [26]

Nas décadas de 10 e 20 do século XVII, entretanto, a aldeia ficou quase deserta já que, por ordem de Fernão Dias, desejoso de ter um maior controle dos índios catequizados, a maior parte de sua população foi transferida para aldeia de São Miguel, mais próxima a São Paulo, onde havia sido erguida uma nova capela.

A população recomeçaria a crescer apenas em 1624, quando o padre João Álvares, construtor da capela da Conceição de Guarulhos e também da de São Miguel, decidiu levantar em sua propriedade, localizada bem ao lado da aldeia de Itaquaquecetuba, um oratório em louvor a Nossa Senhora da Ajuda que, em seguida, tornar-se-ia capela "que serviu de núcleo à povoação, legando-a, por sua morte, ao colégio dos jesuítas".[13] Este foi o marco inicial da povoação, que logo viria a se fixar em seu redor, com o nome, justamente, de Nossa Senhora da Conceição de Itaquaquecetuba, recuperando, assim, o topônimo do antigo aldeamento, elevado à freguesia pela lei Nº 17, de 28 de Fevereiro de 1838.

O primeiro Censo realizado na Aldeia de Nossa Senhora d'Ajuda, em 1765, apresentou os seguintes resultados: 59 "iogos" que eram habitados por 109 mulheres e 117 homens. Pouco cresceu a aldeia que neste estado permaneceu quase duzentos anos. Foi com a inauguração da Variante da EFCB, em 1925 que Itaquaquecetuba começou a crescer e a prosperar[27].

A denominação reduzida para Itaquaquecetuba ocorreu somente no século XX, quando se separou de Mogi das Cruzes, com sua elevação a município, e com o território do respectivo distrito, pela lei Nº 2.456, de 30 de dezembro de 1953,[14] posta em execução a 1 de janeiro de 1954. Como município, ficou constituído de um único distrito, o de Itaquaquecetuba[27].

A rigor, o topônimo significa ajuntamento ou reunião de taquaras-faca (uma espécie de taboca ou taquara com cujos ramos, cortantes, se faziam facas), e é formado pela composição de takûara (taquara, taboca), kysé (faca) e tyba (ajuntamento, reunião, abundância), referindo-se a um imenso taquaral que existia na aldeia, no tempo de sua fundação, margeando os rios Tietê e Tipóia. O "i" parece que é uma prefixação arbitrária, isto é, não vem do tupi, e talvez tenha sido motivado pela grande quantidade de topônimos formados pela palavra pedra em tupi, que é itá. Em Itaquaquecetuba passa a linha imaginária do Trópico de Capricórnio[27].

Geografia[editar | editar código-fonte]

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Itaquaquecetuba é um município do estado de São Paulo, localizado no alto tietê na região metropolitana da capital, e na microrregião de Mogi das Cruzes e na mesorregião metropolitana de São Paulo[28]. Possui uma área municipal de cerca de 81,8 km² e uma população de 325.518 pessoas, tendo uma densidade demográfica de 3.935,75 hab/km².[29] O Produto interno bruto do município é classificado como médio, assim como o Índice de desenvolvimento humano, que foi classificado com 0,744 pontos, segundo a Confederação Nacional dos Municípios.[30]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima do município, como em toda a Região Metropolitana de São Paulo, é o Subtropical. O verão é em boa parte pouco quente e chuvoso. O inverno ameno e subseco. A média de temperatura anual gira em torno dos 18 °C, sendo o mês mais frio julho (média de 14°C) e o mais quente fevereiro (média de 21°C). O índice pluviométrico anual fica em torno de 1400 mm.[31]

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Itaquaquecetuba Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 25,5 25,6 24,8 23,2 21,5 20,5 19,8 20,9 21,8 22,6 23,5 24,4 22,8
Temperatura média (°C) 21 21,1 20,3 18,5 16,5 15,2 14,5 15,5 16,7 17,9 18,9 19,9 18
Temperatura mínima média (°C) 16,6 16,7 15,9 13,8 11,5 9,9 9,2 10,2 11,6 13,2 14,4 15,5 13,2
Precipitação (mm) 232 222 176 70 57 45 34 42 76 141 133 191 1 419
Fonte: Climate-Data.org[31]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Com uma área de cerca de 81 km² o município possui uma população estimada em 321.854, segundo dados do IBGE, o município possui numa densidade demográfica de 3.935,75 hab/km²[32][6].

Ano População Homens Mulheres População Urbana População Rural
2000 272.942 136.213 136.729 272.942 0
2010 321.854 158.597 163.257 321.854 0

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 24,66

Rodovia Ayrton Senna da Silva em Itaquaquecetuba.

Expectativa de vida (anos): 67,10

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,94

Taxa de alfabetização: 90,81%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,744

  • IDH-M Renda: 0,651
  • IDH-M Longevidade: 0,702
  • IDH-M Educação: 0,880

(Fonte: IPEADATA e IBGE)

Bairros[editar | editar código-fonte]

A cidade de Itaquaquecetuba possui mais de 400 bairros em uma área de aproximadamente 81,7 km², dente os principais bairros de Itaquaquecetuba estão a Cidade Kemel, que está igualmente dividido em outros dois municípios, Poá e Ferraz de Vasconcelos. Segundo o Mapa de Assentamento Urbano do município, o mesmo está divido nos distritos Centro, Vila Virgínia, Estação, Pedreira, Tipoia,Morro Branco, Acafrão, Cidade Kemel, Campo Venda, Una, Pinheirinho, Ribeiro, Pium, Campo Limpo, Mandi, Jaguari, Sítio Mato Dentro,Jardim do Carmo, Rio Abaixo, Corredor,Marengo Alto e Baixo, Perobal, Cuiabá e São Bento.

Moradias irregulares[editar | editar código-fonte]

O município possui atualmente cerca de 160 mil pessoas que moram em áreas de assentamento irregular (cerca de 47,7% da população do município) de acordo com dados da prefeitura, os bairros que se apresentam em pior situação são Piratininga, Jardim Miray e Morro da Pipóca [33]. Esse problema se inicia na década de 1920, quando o então distrito mogiano de Itaquaquecetuba passou por um crescimento desordenado. Os custos baixos dos terrenos atraíram pessoas de diversos lugares, que consequentemente incentivavam amigos e parentes para morar no distrito[9].

Em Itaquaquecetuba existem terrenos com cinco casas e pessoas que constroem as casas e vendem a laje, sem nenhum controle sobre a ocupação e a utilização do solo diferentemente do que ocorrem em outros municípios[33].

A Prefeitura, o Governo do Estado e o Governo Federal, estão iniciando projetos de construção de casas e apartamentos nos bairros mais problemáticos e em caso de algumas favelas, estão iniciando projetos de urbanização.[34]

Pobreza[editar | editar código-fonte]

Jardim Luciana, bairro da periferia do município.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município de Itaquaquecetuba é o que tem a maior incidência de pobreza da Região do Alto Tietê e o quarto mais pobre do Estado de São Paulo. Essa afirmação tem como base o Mapa da Pobreza e Desigualdade 2003 divulgado pelo IBGE. O mapa traz uma série de indicadores e utiliza como base: As Pesquisas de Orçamentos Familiares 2002/2003 e o Censo de 2000, e de acordo com o IBGE. A pobreza é definida a partir de critérios técnicos, definidos por especialistas que analisam a capacidade de consumo das pessoas, sendo considerada pobre aquela pessoa que não consegue ter acesso a uma cesta alimentar e de bens mínimos necessários para a sua sobrevivência.[35]

E de acordo com a Fundação Seade e o Instituto do Legislativo Paulista da Assembleia Legislativa dos Estado de São Paulo. O município integra o grupo cinco na pesquisa que integra todos os 645 municípios do Estado de São Paulo, neste grupo estão incluídos por localidades pobres com baixos índices de escolaridade e longevidade. A lista é elaborada com base nos indicadores sociais de cada município, na lista todos os municípios do Estado de São Paulo estão divididos em grupos, sendo que o grupo dois é o mais rico e o grupo cinco o mais pobre.[36]

Ligações Irregulares[editar | editar código-fonte]

Segundo levantamento da concessionária EDP Bandeirante Energia, o município é o que possui o maior número de ligações clandestinas de energia (conhecidas como "gatos") entre os municípios da Região do Alto Tietê em que a concessionária presta serviços - exceto Santa Isabel e Arujá que são atendidas pela concessionária Elektro. No município existem cerca de 4500 ligações clandestinas, o que equivale a 80% do total. Mogi das Cruzes ocupa o segundo lugar na lista regional com 623 ligações cladestinas.

A assessoria de imprensa da concessionária diz que os furtos de energia são mais comuns em áreas onde existem mais moradias irregulares.[37] Pelas características do município em relação a esse quesito o resultado do levantamento era previsto.[38]

Etnias[editar | editar código-fonte]

Cor/Raça Percentagem
Brancos 41,9%
Negros 11,6%
Pardos 42,4%
Amarelos 3,4%
Indígenas 0,7%

Fonte: IBGE

Saúde[editar | editar código-fonte]

O município abriga a 7ª melhor maternidade do Estado de São Paulo, o Hospital Geral de Itaquaquecetuba obteve a nota 8,936 na pesquisa de satisfação dos usuários do Sistema Único de Saúde. Esse levantamento foi elaborado pela Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo no período de março de 2009 e janeiro de 2010, ao todo foram 158 mil pacientes entrevistados de 630 estabelecimentos.

Em um outro estudo para identificar as melhores unidades do Sistema Único de Saúde, os hospitais Regional de Ferraz de Vasconcelos "Dr. Osíres Florindo Coelho" e o Luzia de Pinho Melo de Mogi das Cruzes não ficaram entre as 35 melhores na lista. De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo foram feitos 2993 partos no período. A unidade possui estrutura para partos de alto risco, mas a maioria (79,2%) são normais. O hospital possui 10 leitos de UTI neonatal, 7 leitos semi-intensivos e 10 leitos de berçário patológico.

A primeira colocada na pesquisa de satisfação dos pacientes dos Sistema Único de Saúde é o Hospital Santa Marcelina de Itaquera (São Paulo), o hospital tirou nota 9,126.[39]

Religião[editar | editar código-fonte]

Igrejas[editar | editar código-fonte]

A praça Padre João Álvares; ao fundo, pode-se observar a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Ajuda, localizada no centro do município.

De acordo com os dados oficiais do IBGE 2010, a população de Itaquaquecetuba é composta de maioria Católica, apresentando ainda diversas religiões como espírita, religiões afro-brasileiras e diversas denominações de igrejas e seitas protestantes. A comunidade católica de Iquaquecetuba está ligada a Diocese de Mogi das Cruzes, a cidade tem como padroeira "Nossa Senhora D'Ajuda", seu dia é comemorado em 08 de setembro, mesmo dia de aniversário da cidade, sendo feriado municipal.

A Igreja Católica apresenta diversas paróquias, comunidades e pastorais na cidade, entre as quais destacam-se: Paróquia Nossa Senhora D'Ajuda; Paróquia Santos Apóstolos; Paróquia Nossa Senhora do Carmo; Paróquia Cristo Redentor; Paróquia São João Batista; Paróquia Bom Jesus das Oliveiras; Paróquia de São Joaquim; Paróquia Nossa Senhora de Fátima; Paróquia de São Sebastião; Paróquia Mãe do Redentor; Paróquia Bom Pastor; Paróquia Santuário Santa Edwiges, entre outras áreas pastorais e comunidades presentes na cidade.

A cidade possui uma grande variedade de igrejas e seitas de religiões diferentes, mas abriga em maior quantidade as protestantes, sendo o município da Região do Alto Tietê que abriga mais igrejas evangélicas.De acordo com o cadastro na prefeitura são 880 igrejas evangélicas, entre pentecostais e neo-pentecostais. O município também tem a maior variedade de diversidade entre as igrejas, são ao todo, de acordo com o mesmo cadastro 25 credos diferentes. Alguns nomes de igrejas situadas na cidade: Igreja Cristo Centro Itaquá, Igreja Renascer, Brasil para Cristo, Igreja pentecostal, Congregação cristã, IEPSJC - Igreja Evangélica Pentecostal do Senhor Jesus Cristo, A ultima colheita, Holiness, Igreja Batista, Igreja presbiteriana, Igreja Quadrangular, Internacional da Graça de Deus, Igreja Universal e Assembleia de Deus. A Assembleia de Deus possui 251 sedes no município com diversos ministérios, sendo que o Ministério Belém o mais numeroso com 49 templos. O chamado "Cinturão Pentecostal" além de abranger Itaquaquecetuba e outros municípios da região, está presente em bairros da periferia da Zona Leste de São Paulo, onde há também um grande número de igrejas evangélicas.[40]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Ônibus municipal da CS Brasil estacionado na Avenida Ítalo Adami.

O município é servido pelos trens da linha 12 da CPTM, contando com três estações: Aracaré, Manoel Feio e Itaquaquecetuba.

Trem da Linha 12 - Safira da CPTM estacionado na estação Itaquaquecetuba.

Também pela SP-66 (Antiga Estrada São Paulo - Rio); SP-56 (Estrada de Santa Isabel); pela Rodovia Ayrton Senna; além da Rodovia Mogi-Dutra (SP-88), que corta o bairro de São Bento, e do Trecho Leste do Rodoanel Metropolitano de São Paulo.

As linhas de ônibus municipais estão sob concessão da empresa CS Brasil, do grupo JSL. O município também é servido pelas linhas de ônibus intermunicipais da EMTU-SP, pelo Consórcio Unileste, onde cortam os municípios de Arujá, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guarulhos, Mogi das Cruzes, Poá, Santa Isabel, São Paulo e Suzano.

O grupo JSL anunciou em agosto de 2010 que já está em funcionamento o seu terminal rodoferroviário, seis meses antes da previsão inicial. A empresa está fazendo esse investimento com o sentido de solucionar parte dos problemas que as transportadoras tem ao abastecer a Grande São Paulo ou cruzar a região com destino a outras localidades. Os veículos quando passam pelo município de São Paulo utilizam as suas principais vias, que geralmente estão congestionadas e com restrições de passagem.[41] O local fica próximo da Rodovia Ayrton Senna, que por sua vez tem ligação com a Rodovia Presidente Dutra (em Guarulhos) e fica próximo do Trecho Leste do Rodoanel Mário Covas, que passa a cinco quilômetros do empreendimento.[42][43]

Educação[editar | editar código-fonte]

Atualmente o município conta com 43 escolas estaduais. Também conta com várias escolas da rede Municipal e tem várias escolas profissionalizantes. Itaquaquecetuba tem um índice de alfabetização de 95%. Possui também uma FATEC[44] — uma universidade pública, uma Universidade de Guarulhos (UnG) e duas faculdades com cursos a distância, a Universidade Paulista (UNIP) e a Universidade Braz Cubas (UBC). Como Entidade que representa os estudantes possui a União Municipal dos Estudantes de Itaquaquecetuba (UMES - Itaquaquecetuba).

De acordo com o Ministério da Educação, as escolas do município tem as piores notas no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) da Região do Alto Tietê. Das 22 escolas de ensino fundamental com as notas mais baixas, 16 são do município. A Escola Professora Odila Leite dos Santos obteve nota 2,2 em uma escala de 0 a 10, a pior nota entre as escolas da Região do Alto Tietê. Uma escola de país desenvolvido, de acordo com o Ministério da Educação, necessita obter uma nota igual ou acima de 6.[45]

O município também abriga uma Escola Técnica Estadual do Centro Paula Souza. A ETEC de Itaquaquecetuba está localizada no bairro Jardim Miray, próximo a divisa com a cidade de Poá.[46] Que possui um ensino com ótima qualidade, apesar de apresentar uma estrutura precária. Será formado no ano de 2013 as duas primeiras turmas do ETIM da ETEC de Itaquaquecetuba.

Meio ambiente[editar | editar código-fonte]

Museu do Tietê.

O município possui um Parque Ecológico situado no centro, bem próximo a estação de Itaquaquecetuba, este possui a sede da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Saneamento, Defesa Civil, Banco de Alimentos, Escola Municipal Vereador Augusto Dos Santos de Ensino Integral, Escola Ambiental, Escolinha de Transito, três quadras, quiosques com churrasqueira,playground, lago (com pedalinhos que não funcionam há muito tempo), dois viveiros de plantas, academia ao ar livre, a academia do Idoso e as pessoas se organizam durante o dia para pedalar, correr, caminhar e levar seus cães para passear. Também esta sendo construído um canil da Guarda Civil Municipal (GCM). Algumas vezes o parque cede espaço para eventos de cunho sociocultural, no entanto, as águas que lhe rodeiam são poluídas e ainda falta manutenção.

O município também fará parte de uma área de proteção ambiental onde esta previsto que será instalado um parque, o Parque Várzeas do Tietê. O parque estará localizado nas áreas de várzeas do Rio Tietê entre os municípios de São Paulo, Itaquaquecetuba e Guarulhos.[47]

O Parque será criado a partir do Parque Ecológico do Tietê que já tem vários atrativos, como a trilha para caminhadas, Centro de Educação Ambiental, Centro Cultural, Museu do Tietê, Biblioteca, Palco para Shows, 5 quadras poliesportivas, 17 campos de futebol, playgrounds, áreas de ginásticas, quiosques com churrasqueiras, aluguel de pedalinhos, barcos e bicicletas. Há também um trenzinho (serviço terceirizado) que percorre a trilha de 4 km, onde o visitante pode conhecer melhor a fauna e flora do parque.[48]

Economia[editar | editar código-fonte]

Restaurante McDonald's em Itaquaquecetuba.

O município tem forte vocação industrial, e possui cerca de 760 indústrias. São indústrias diversificadas presentes notadamente em três pólos industriais consolidados, que são atraídas pela Rodovia Ayrton Senna da Silva que corta o município.[49]

Existem investimentos por parte da administração municipal para atrair mais indústrias ao município. Segundo o presidente da Frente Empresarial Pró-Itaquaquecetuba (FEMPI) a mão-de-obra local é barata e está sendo construído um terminal de cargas, o que representa um grande incentivo para a vinda de novas indústrias.[50]

Um dado de 2007 indicou que 27% da população de Itaquaquecetuba não tinha emprego formal no município. Isso segundo a então secretária de educação Marina Della Vedova, o fato se devia a falta de qualificação dos habitantes do município.[51]

Nos últimos anos, a cidade vem começando a voltar os olhos de sua economia também para o comércio. Em abril de 2015 foi inaugurado o Shopping Pateo Itaquá, no Jardim Morro Branco, próximo a divisa com a cidade de Poá.[52][53]

Símbolos oficiais[editar | editar código-fonte]

Bandeira municipal
Brasão municipal

Itaquaquecetuba possui dois símbolos oficiais, a bandeira municipal, que foi adotada em 19 de setembro de 1969, e o brasão municipal, que foi adotado em 14 de maio de 1968, ambos adotados pelo então prefeito Gentil de Moraes Passos.[54][55]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (8 de setembro de 2013). «Aniversário de Itaquaquecetuba (SP)». Arquivado desde o original em 4 de outubro de 2015. Consultado em 21 de fevereiro de 2015. 
  2. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Itaquaquecetuba, São Paulo - SP» (PDF). Arquivado desde o original (pdf) em 22 de fevereiro de 2015. Consultado em 8 de janeiro de 2015. 
  3. a b c «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  4. a b Consulte:
  5. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (10 de outubro de 2002). «Área Territorial Brasileira». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Arquivado desde o original em 14 de junho de 2011. Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  6. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). «Censo Populacional 2010». Arquivado desde o original em 14 de julho de 2011. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  7. Clima dos Municípios Paulistas (2015). «Clima de Itaquaquecetuba». CEPAGRI. Arquivado desde o original em 8 de julho de 2015. Consultado em 4 de outubro de 2015. 
  8. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Arquivado desde o original (pdf) em 13 de outubro de 2013. Consultado em 31 de julho de 2013. 
  9. a b c d Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009». Arquivado desde o original em 10 de fevereiro de 2014. Consultado em 13 de dezembro de 2012. 
  10. a b Fairo (8 de setembro de 2014). «História de Itaquaquecetuba». Itaquá News. Arquivado desde o original em 2 de julho de 2015. Consultado em 22 de fevereiro de 2015. 
  11. «Microrregião de Mogi das Cruzes». Cidade-Brasil. Arquivado desde o original em 29 de setembro de 2015. Consultado em 21 de fevereiro de 2015. 
  12. Distância entre Brasília/DF e Itaquaquecetuba/SP Google Maps
  13. a b Amaral, Antonio Barreto do (2006). Dicionário de História de São Paulo 19 (São Paulo: IMESP). p. 351. ISBN 8570604793.  |isbn2= e |isbn= redundantes (Ajuda)
  14. a b R7 (2015). «História de Itaquaquecetuba». Brasil Escola. Arquivado desde o original em 23 de fevereiro de 2015. Consultado em 4 de fevereiro de 2012. 
  15. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «IBGE Cidades - Itaquaquecetuba, SP». Arquivado desde o original em 23 de março de 2015. Consultado em 22 de fevereiro de 2015. 
  16. World Map of the Köppen-Geiger climate classification. «World Map of the Köppen-Geiger climate classification». Institute for Veterinary Public Health. Arquivado desde o original em 24 de abril de 2011. Consultado em 5 de maio de 2012. 
  17. a b «Tudo sobre a cidade Itaquaquecetuba». Encontra SP (Guia de Itaquaquecetuba). Arquivado desde o original em 22 de fevereiro de 2015. Consultado em 31 de março de 2012. 
  18. «Maiores e melhores cidades do Brasil». América Economia. Veja a secção d'"O Desafio da Desigualdade". 2014. Arquivado desde o original em 25 de outubro de 2014. Consultado em 22 de fevereiro de 2015. 
  19. WAISELFISZ, Julio Jacobo (2010). «Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros 2008». Instituto Sangari. Arquivado desde o original (PDF) em 23 de agosto de 2011. Consultado em 28 de julho de 2010. 
  20. Luiz, José (11 de abril de 2011). «Significado de Itaquaquecetuba». Dicionário inFormal. Arquivado desde o original em 21 de março de 2015. Consultado em 27 de setembro de 2015. 
  21. Navarro, Eduardo de Almeida (2005). Método moderno de tupi antigo (São Paulo: Editora Global). p. página 56. ISBN 8526010581. 
  22. «Estrada de Itaquaquecetuba». Prefeitura do Município de São Paulo. Para encontrar a fonte, pesquise Itaquaquecetuba, e clique em "Estrada de Itaquaquecetuba". Arquivado desde o original em 21 de junho de 2012. Consultado em 30 de maio de 2015. 
  23. «Itaquaquecetuba - SP - Informações». Portal Férias. Arquivado desde o original em 2 de abril de 2015. Consultado em 4 de fevereiro de 2012. 
  24. Squeff, Enio; Helder P. Ferreira (2003). A origem dos municípios paulistas (São Paulo: CEPAM - Fundação Prefeito Faria Lima [s.n.]). p. 153-154. ISBN 8570602138.  |isbn2= e |isbn= redundantes (Ajuda)
  25. «História de Itaquaquecetuba». R7 - Brasil Escola. Consultado em 4 de fevereiro de 2012. 
  26. «Itaquaquecetuba - SP». Cidades.com.br -. A comunidade das Cidades Brasileiras!. 2000. Consultado em 3 de abril de 2015. 
  27. a b c «História de Itaquaquecetuba SP». ACHE TUDO E REGIAO. Consultado em 4 de fevereiro de 2012. 
  28. «Localização Dados Gerais Itaquaquecetuba SP». ACHE TUDO E REGIAO. Consultado em 2 de abril de 2012. 
  29. «Estimativa Populacional 2011». Estimativa Populacional 2011. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 01 de julho de 2011. Consultado em 31 de janeiro de 2012. 
  30. «Informações Municipais - Itaquaquecetuba - SP». Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Consultado em 17 de agosto de 2012. 
  31. a b «CLIMA: ITAQUAQUECETUBA». Climate-data.org. Arquivado desde o original em 1° de janeiro de 2016. Consultado em 1° de janeiro de 2016. 
  32. «Como Chegar - Itaquaquecetuba». Viagarr. Consultado em 09 de maio de 2012. 
  33. a b Natália Ramos (12 de junho de 2011). «Região tem 307 áreas irregulares». Jornal Mogi News. Consultado em 20 de junho de 2012. 
  34. Diário de Suzano - 160 mil pessoas moram em assentamentos irregulares em Itaquá, aponta Prefeitura
  35. Diário de Suzano - 4 cidades entre as 20 mais pobres
  36. Diário de Suzano - Arujá e Guararema estão entre as cidades com maior riqueza
  37. Mayara de Paula (15 de janeiro de 2012). «Na região, Itaquá é a que tem mais "gatos"». Diário de Mogi. Consultado em 26 de setembro de 2012. 
  38. Diário de Suzano - 160 mil pessoas moram em assentamentos irregulares em Itaquá, aponta Prefeitura
  39. Diário do Alto Tietê - Itaquá tem a 7ª melhor maternidade do Estado
  40. Alberto Cerri (1 de fevereiro de 2009). «Itaquá tem 598 igrejas evangélicas». Diário do Alto Tietê. Consultado em 24 de novembro de 2012. 
  41. Diário de Suzano - Intermodal deve operar com 60 mil toneladas/mês
  42. «Julio Simões anuncia novos contratos». Revista Ferroviária. 20 de abril de 2009. Consultado em 24 de novembro de 2012. 
  43. «Julio Simões constrói terminal rodoferroviário». Revista Ferroviária. 20 de maio de 2009. Consultado em 24 de novembro de 2012. 
  44. «Fatec de Itaquaquecetuba recebe visita da Microsoft». Centro Paula Souza. 10 de Novembro de 2009. Consultado em 25 de maio de 2013. 
  45. Cássia Siqueira (22 de junho de 2008). «Ideb divulga ranking da qualidade do ensino». Mogi News. Consultado em 17 de agosto de 2012. «Mogi das Cruzes e Suzano estão entre as cidades da região com as melhores notas, enquanto os estabelecimentos de ensino de Itaquaquecetuba têm os piores índices» 
  46. «Curso de Enfermagem da Etec de Suzano é o mais concorrido na região». Diário de Suzano. 01 de junho de 2011. Consultado em 25 de maio de 2013. 
  47. Ecotietê - Projeto de criação do Parque Ecológico do Tietê
  48. Ecotietê - Histórico do Parque Ecológico do Tietê
  49. Mogi News - Indústria de Itaquá quer incentivo
  50. Mogi News - Iniciativas ampliam vagas de empregos
  51. Diário de Suzano - Secretaria de Educação de Itaquá prioriza parcerias e ensino profissionalizante
  52. Itaquá News - Shopping Pateo Itaquá será inaugurado no primeiro semestre de 2015, confira os detalhes
  53. Diário do Alto Tietê - Acidi prestigia lançamento de Shopping Pateo Itaquá
  54. «Lei que dispõe sobre o Brasão do Município». Prefeitura municipal de Itaquaquecetuba. Consultado em 4 de dezembro de 2011. 
  55. «Institui a Bandeira do Município de Itaquaquecetuba». Prefeitura municipal de Itaquaquecetuba. Consultado em 3 de dezembro de 2011. 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Livros
  • Cunha de Sena, Neirylene. "Memórias e Histórias de Itaquaquecetuba".

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Wikivoyage
O Wikivoyage possui o guia Itaquaquecetuba
Portal:Itaquaquecetuba
A Wikipédia possui o
Portal de Itaquaquecetuba