SP-66

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rodovia Henrique Eroles
Rodovia Geraldo Scavone
Rodovia João Afonso de Souza Castellano
País
Nome popular Estrada Velha São Paulo-Rio
Identificador  SP-66 
Tipo Radial
Inauguração 1928 (87–88 anos)
Extensão 80 km
Extremos
 • leste:
 • oeste:

Rua George Eastman, São José dos Campos, SP
Avenida Marechal Tito, Itaim Paulista, São Paulo, SP
Interseções SP-21, SP-56, SP-31, SP-88, SP-65, SP-70
Concessionária DER-SP
Prefeituras locais
Trecho entre Itaquaquecetuba e Mogi das Cruzes sob concessão das prefeituras locais desde 1998.

SP-66 é uma rodovia que liga Itaquaquecetuba a São José dos Campos, no estado de São Paulo.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Foi projetada no início do governo de Washington Luís, em 1920, sendo considerada prioridade em seu programa de governo: "Estradas boas para todos os dias do ano para todas as horas do dia". A construção começou em 1922 aproveitando o leito das vias antigas já existentes. Em 5 de maio de 1928, Washington Luiz, já como presidente da República, inaugura a rodovia em toda a sua extensão.

É também conhecida com "Estrada Velha São Paulo-Rio" (fazendo referência ao tempo em que Dom Pedro I, viajou de São Paulo ao Rio pela rodovia). Com o passar dos anos, o desenvolvimento das cidades cortadas por ela foi aumentando, na mesma medida em que seu tráfego caiu muito, com a inauguração das Rodovias Presidente Dutra, Ayrton Senna e Carvalho Pinto. Após ter sido totalmente recapeada na administração do Governador Mário Covas (1994-1998), foi municipalizada entre São Paulo e Mogi das Cruzes e cada município é responsável pelo trecho em sua cidade, tanto para fazer manutenções, tanto para efetuar fiscalização.

Trecho na Região Metropolitana de São Paulo[editar | editar código-fonte]

Trecho da SP-66 entre Mogi das Cruzes e Guararema, próximo ao Distrito de Sabaúna.

Hoje é a principal avenida do Alto Tietê. É a via com maior tráfego de veículos na região. Somente no trecho em Poá possui um fluxo diário de 18 mil veículos.[2] É também um corredor de ônibus, e liga quatro, das cinco cidades mais importantes da região: Mogi das Cruzes, Suzano, Poá e Itaquaquecetuba. Por ter sido municipalizada, ela pode receber um nome em cada município. Dentro da região metropolitana, mantém placas com a denominação "SP-66" Poá, Itaquaquecetuba e Mogi das Cruzes, no trecho a partir do distrito de César de Souza.

Entre os municípios de Mogi das Cruzes e Guararema é popularmente chamada de Rodovia Mogi-Guararema, sendo administrada neste trecho pelo DER-SP. Possui pista simples com uma faixa de tráfego em cada sentido e ainda um trecho sinuoso que atravessa a Serra de Sabaúna.

Trajeto[editar | editar código-fonte]

O trajeto da SP-66 cruza os seguintes municípios:

Denominações[editar | editar código-fonte]

Placa da SP-66 em Poá.

Recebe as seguintes denominações em seu trajeto:


A partir da Grande São Paulo[editar | editar código-fonte]

Por causa da municipalização, no seu trecho na Grande São Paulo (a partir de Mogi das Cruzes), recebe várias denominações:

Em Mogi das Cruzes: Avenida Francisco Rodrigues Filho, Avenida Voluntário Fernando Pinheiro Franco, Avenida Fernando Costa, Avenida Francisco Ferreira Lopes, e Avenida Lourenço de Souza Franco.

Em Suzano: Rua Prudente de Moraes e Rua Major Pinheiro Fróes.

Em Poá e Itaquaquecetuba: Esse trecho é mais conhecido como Rodovia Henrique Eroles, embora seu nome oficial seja João Afonso de Souza Castellano. Esse nome foi dado conforme a lei 3561 de 20 de outubro de 1982.[3] Sendo que esta última denominação é utilizada até o trecho onde ocorre o encontro com a Avenida Marechal Tito, na Zona Leste da Capital.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]