Rodovia Rubens Fernandes de Ávila

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de SP-211)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A rodovia SP-211 também nomeada como Rodovia Rubens Fernandes de Ávila liga as cidades de São José do Rio Pardo a Divinolândia. Inicia no entroncamento com a Rodovia Doutor José Vasconcelos dos Reis SP-207 quilômetro 8 e termina na Rodovia Lourival Lindório de Faria SP-344, quilômetro 271.[1] É conhecida também como Estrada da Santa Amélia, por causa da fazenda com este nome situada às margens da via. A rodovia ainda não é pavimentada.

Denominação da Rodovia[editar | editar código-fonte]

A rodovia foi denominada "Rubens Fernandes de Ávila" após propositura do deputado estadual Léo Oliveira, na Assembleia Legislativa[2]. O conteúdo do Projeto de Lei foi acatado pelo governador do Estado de São Paulo, Márcio França, e a rodovia foi denominada através do Decreto Nº 63.442, de 28 de Maio de 2018.

Rubens Fernandes de Ávila, denomina a rodovia SP 211.

Rubens Fernandes de Ávila[editar | editar código-fonte]

Rubens Fernandes de Ávila nasceu em 22 de Março de 1938 e faleceu, vítima de infarto no miocárdio, em 27 de Setembro de 2012. Descendente da tradicional família "Ávila" de São José do Rio Pardo, foi criado no bairro rural da Ponte Preta, que fica no município de Divinolândia e margeia a rodovia SP 211. Um dos cinco filhos do fazendeiro José de Ávila e dona Izaura de Ávila, Rubens, desde os primeiros passos, se revelou um homem trabalhador, carismático, com atuação social e de visão inovadora. Foi casado durante mais de 50 anos com Yolanda Valente de Ávila e pai de duas filhas: Carmen e Vera.

Homem da terra, Rubens Fernandes de Ávila, desde sempre exerceu a profissão de cafeicultor, agricultor e pecuarista e cedo se tornou respeitado e admirado nas cidades de Divinolândia e São José do Rio Pardo.

Atuação pela comunidade[editar | editar código-fonte]

Muito atento às pessoas com maiores necessidades, conseguiu a construção de uma casa para uma família que passava por severas dificuldades financeiras, com um filho com séria deficiência física. Com o próprio carro, levava vizinhos para realização de consultas e tratamentos médicos em hospitais da região.

Lutou por melhor infraestrutura para a comunidade, e vezes sem conta com o próprio trator e outros equipamentos, limpava e fazia reparos na estrada rural de modo a facilitar o uso por aquela população.

Atuante e fervoroso católico, foi uns dos maiores colaboradores na construção da igreja do bairro, "Nossa Senhora de Fátima", a frente dos trabalhos, e pela credibilidade que possuía, conseguiu expressivos donativos. Também organizava quermesses para a manutenção e como ministro de Eucaristia, na ausência da presença do padre, celebrava missas.

No bairro Ponte Preta, foi o primeiro morador a ter um aparelho de "TV" e gentilmente convidava os vizinhos para assistir a novela e jogos de futebol na casa dele.

Ser humano de magnitude impar, zeloso e responsável para com sua família, foi exemplo de esposo e pai, sempre viveu dentro de uma conduta digna e plena de ensinamentos cristãos.

Com a finalidade de prestar justa homenagem a esta pessoa que viveu e contribuiu, com o seu trabalho, para o engrandecimento dos municípios Divinolândia e São Jose do Rio Pardo.

Referências

  1. https://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/decreto/2018/decreto-63442-28.05.2018.html
  2. [https://www.al.sp.gov.br/propositura/?id=1000049441 «Projeto de Lei n� 619, de 2017»]. www.al.sp.gov.br. Consultado em 10 de dezembro de 2018  replacement character character in |titulo= at position 17 (ajuda)