Márcio França

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Márcio França
Márcio França como governador de São Paulo em 2018
36.º Governador de São Paulo
Período 6 de abril de 2018
até a atualidade
Vice-governador Nenhum
Antecessor Geraldo Alckmin
Sucessor João Doria Jr.
26.º Vice-governador de São Paulo
Período 1 de janeiro de 2015
até 6 de abril de 2018
Governador Geraldo Alckmin
Antecessor Guilherme Afif Domingos
Sucessor Rodrigo Garcia (eleito)
Secretário Estadual de Desenvolvimento de São Paulo
Período 1 de janeiro de 2015
até 6 de abril de 2018
Governador Geraldo Alckmin
Antecessor Nelson Baeta Neves Filho
Sucessor Marcos Monteiro
Secretário Esporte, Lazer e Turismo de São Paulo
Período 1 de janeiro de 2011
até 1 de janeiro de 2015
Governador Geraldo Alckmin
Antecessor José Benedito Pereira Fernandes
Sucessor Roberto Alves de Lucena
Deputado Federal por São Paulo
Período 1 de fevereiro de 2007
até 1 de janeiro de 2011
42. º Prefeito de São Vicente
Período 1 de janeiro de 1997
até 1 de janeiro de 2005
Antecessor Luís Carlos Luca Pedro
Sucessor Tércio Garcia
Vereador de São Vicente
Período 1 de janeiro de 1989
até 1 de janeiro de 1997
Dados pessoais
Nome completo Márcio Luiz França Gomes
Nascimento 23 de junho de 1963 (55 anos)
Santos, São Paulo, Brasil
Nacionalidade Brasileiro
Progenitores Mãe: Myrthes Giani França Gomes
Pai: Luiz Gonzaga de Oliveira Gomes
Primeira-dama Lúcia França (1986-atualmente)
Filhos Caio
Helena
Partido PSB (1988-atualmente)
Profissão Advogado

Márcio Luiz França Gomes (Santos, 23 de junho de 1963) é um político e advogado brasileiro, atual Governador do Estado de São Paulo. Filiado ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), disputou a reeleição de governador do estado de São Paulo, nas eleições de 2018, sendo derrotado no segundo turno por João Doria. Foi o primeiro Governador do Estado a ser derrotado em uma tentativa de reeleição.

França estudou direito na Universidade Católica de Santos, presidindo o diretório acadêmico da instituição. Após graduar-se, trabalhou como oficial de justiça por quase uma década. Em 1986, casou-se com Lúcia, com quem teve dois filhos—incluindo o deputado Caio. Em 1988, ingressou no PSB, o único partido político a qual esteve filiado.

Em 1989, assumiu o cargo de vereador em São Vicente, cidade que foi eleito prefeito em 1996 e reeleito em 2000, com 93% dos votos válidos. Em 2006, elegeu-se deputado federal, reelegendo-se em 2010. Em 2011, assumiu a secretaria de Esporte, Lazer e Turismo de São Paulo, no governo de Geraldo Alckmin, do PSDB.

Em 2014, França foi eleito vice-governador na chapa de Alckmin. Após a posse, assumiu também a função de secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação. Quando Alckmin renunciou para concorrer à Presidência da República, França foi empossado governador e candidatou-se à reeleição. Em 7 de outubro de 2018, recebeu 21,5% dos votos válidos, classificando-se para o segundo turno. Em 28 de outubro, obteve 48,25% dos votos válidos e perdeu o segundo turno para seu adversário, João Doria, do PSDB.[1][2]

Início de vida, família, educação e carreira[editar | editar código-fonte]

Márcio França durante sua juventude.

Márcio França nasceu em 23 de junho de 1963 em Santos, litoral de São Paulo, sendo filho do médico Luís Gonzaga de Oliveira Gomes e de Myrtes Giani França Gomes.[3][4][5] França interessou-se pela política ainda no ensino básico, como estudante da EE Martim Afonso, em São Vicente, quando integrou o Movimento da Unidade Popular (MUP).[5]

Em 1982, França ingressou na Faculdade de Direito da Universidade Católica de Santos, concluindo sua graduação em 1986.[4] Ainda na faculdade, elegeu-se presidente do diretório acadêmico da universidade, o Centro Acadêmico Alexandre Gusmão.[5][6][7] Deu prosseguimento aos estudos fazendo pós-graduação em direito administrativo e constitucional.[4]

Entre 1983 e 1992, França trabalhou como oficial de justiça na Comarca de São Vicente.[4] Também exerceu a advocacia.[8] Em 1986, casou-se com a professora Lúcia, com quem teve dois filhos: Helena, pedagoga; e Caio, advogado e deputado estadual.[9]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Em São Vicente[editar | editar código-fonte]

Em 1988, França filiou-se ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), o único partido político em que esteve filiado.[10] Naquele ano, elegeu-se vereador com São Vicente em 472 votos, reelegendo-se em 1992 com 1.082 votos.[11] Em 1996, foi eleito prefeito da cidade com 44,3% dos votos válidos.[11][12] Durante seu mandato, focou na área social, buscando incentivar o turismo e a criação de empregos, além de realizar obras de infraestrutura e ações culturais. França criou o projeto Jovens no Exercício do Programa de Orientação Municipal, um programa de alistamento civil que oferecia o primeiro emprego para jovens de 18 anos em condições de vulnerabilidade. Graças a esse programa, São Vicente deixou de ser uma das cidades mais violentas de São Paulo.[11] Em 2000, reelegeu-se prefeito com 93,1% dos votos. Ao deixar o cargo, elegeu seu sucessor com 84% dos votos.[11][13]

Deputado federal[editar | editar código-fonte]

França foi eleito deputado federal na eleição de 2006 com 215 mil votos (1,04%), o nono mais votado do estado e o segundo do PSB em todo o país, atrás apenas de Ciro Gomes.[14][15] Na Câmara dos Deputados, foi escolhido como líder do PSB e de um bloco formado por deputados filiados a PCdoB, PDT, PAN, PMN e PHS, além do PSB.[16] Também fez parte do conselho político do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que reunia dirigentes de partidos aliados.[17] Sua atuação lhe incluiu na relação dos deputados mais influentes pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar.[18] Em 2010, foi reeleito deputado federal com 172 mil votos (0,78%).[19]

Secretário e vice-governador[editar | editar código-fonte]

França discursando em abril de 2017.

Em 2011, França assumiu a secretaria de Esporte, Lazer e Turismo no governo de Geraldo Alckmin.[20] Como o primeiro secretário da pasta, implantou programas turísticos de acesso à população, como o Roda SP, que oferecia roteiros culturais e históricos na Baixada Santista.[21][11][22] Para a eleição de 2014, Alckmin escolheu França como o candidato a vice-governador em sua chapa.[23] Com a vitória, juntamente com suas atribuições como vice-governador, França foi designado secretário estadual de Desenvolvimento Econômico.[24] Neste cargo, deu inicio a expansão da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), cujo número de vagas subiu de 3 mil para 55 mil vagas, oferecendo cursos gratuitos para 290 cidades, e criou o Mercado SP para os produtos rurais paulistas, além de incrementar os parques tecnológicos.[13]

Governador[editar | editar código-fonte]

França ao lado de Geraldo Alckmin em sua cerimônia de posse como governador, em 6 de abril de 2018.

Em 6 de abril de 2018, Alckmin renunciou ao cargo de governador para concorrer a presidente, fazendo de França o novo governador de São Paulo.[25] Mesmo antes de ser empossado, já planejava concorrer à reeleição na eleição de 2018.[26] Em agosto, o PSB oficializou seu nome para a reeleição ao governo, com a coronel Eliane Nikoluk como candidata a vice-governadora.[27] No primeiro turno, ficou em segundo lugar com 4,3 milhões de votos, o que corresponde a 21,53% dos votos válidos, e disputou o segundo turno contra João Doria, do PSDB.[28] Não sendo eleito, Márcio França teve 10,2 milhões de votos, correspondendo a 42,28% dos votos no segundo turno. Para o segundo turno, recebeu o apoio de representantes de ideologias diversas, desde o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra a Paulo Skaf e Major Olímpio, senador eleito apoiador de Jair Bolsonaro.[29][30][31] Na disputa presidencial entre Bolsonaro e Fernando Haddad, declarou neutralidade—no primeiro turno afirmou ter votado "com orgulho" em Alckmin.[32][33]

Histórico eleitoral[editar | editar código-fonte]

Ano Cargo Local Votos % Situação
1988 Vereador São Vicente 472 Eleito[11]
1992 Vereador São Vicente 1.082 Reeleito[11]
1994 Deputado federal São Paulo 18.410 0,1% Suplente[34]
1996 Prefeito São Vicente 50.371 44,34% Eleito[35]
2000 Prefeito São Vicente 139.581 93,00% Reeleito[36]
2006 Deputado federal São Paulo 215.388 1,04% Eleito[37]
2010 Deputado federal São Paulo 172.005 0,81% Reeleito[38]
2014 Vice-governador São Paulo 12.230.807 57,31% Eleito[39]
2018 Governador São Paulo 10.248.740 48,25% Não eleito[1]

Referências

  1. a b «Eleições 2018 - apuração São Paulo». UOL. 2018. Consultado em 28 de outubro de 2018 
  2. «João Doria, do PSDB, é eleito governador de São Paulo». G1. 28 de outubro de 2018. Consultado em 28 de outubro de 2018 
  3. «MARCIO FRANÇA». Tribunal Superior Eleitoral. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  4. a b c d Adrianna Setemy e Jean Spritzer. «Márcio Luiz França Gomes». Fundação Getúlio Vargas. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  5. a b c «Vicentino assume o Governo de São Paulo» (PDF). Espaço Aberto. Abril de 2018. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  6. Pedro Venceslau (26 de novembro de 2017). «Márcio França pensa em ser governador de SP desde os 25 anos». O Estado de S. Paulo. Uol. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  7. «FORMADO PELA FACULDADE DE DIREITO, MÁRCIO FRANÇA É O NOVO GOVERNADOR DO ESTADO». Universidade Católica de Santos. 6 de abril de 2018. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  8. «PSB campineiro aposta na evolução de França». Agência Anhanguera. Correio. 27 de abril de 2018. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  9. Paula Paiva Paulo, Gessyca Rocha e Cíntia Acayaba (7 de outubro de 2018). «Doria e França disputarão eleição para governador de SP no segundo turno». G1. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  10. «São Paulo terá segundo turno entre Doria e França». Agência Brasil. 7 de outubro de 2018. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  11. a b c d e f g Sandro Thadeu (6 de abril de 2018). «Márcio França assume o Governo do Estado nesta sexta-feira». A Tribuna. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  12. Matheus Muller (6 de abril de 2018). «"Serei sempre submisso ao povo", diz Márcio França, novo governador de SP». A Tribuna. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  13. a b «Márcio França é o entrevistado do Roda Viva desta segunda-feira». Roda Viva. 13 de julho de 2018. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  14. «Eleições 2006 - São Paulo». G1. 2006. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  15. «Eleições 2006 - Mapa político». Terra. 2006. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  16. «PSB elege Márcio França para líder do partido na Câmara». Tribuna PR. 31 de janeiro de 2007. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  17. Chico Marés, Clara Becker e Plínio Lopes (2 de outubro de 2018). «Debate entre candidatos ao governo de SP na TV Globo: checamos em tempo real». Agência Lupa. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  18. Flavia Foreque. «DIAP divulga relação dos 100 parlamentares mais influentes do Congresso». Correio Braziliense. Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  19. «Eleição 2010 - Deputado Federal - Total do Estado». Fundação do Sistema Estadual de Análise de Dados. 2010. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  20. «Saiba quem são os 26 secretários da equipe de Alckmin no governo de SP». G1. 30 de dezembro de 2010. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  21. «Márcio França É O Novo Secretário De Turismo Do Estado De São Paulo». Jornal Vicentino. 30 de dezembro de 2010. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  22. «Márcio França assume o Governo do Estado de São Paulo». ABC do ABC. 7 de abril de 2018. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  23. Fernando Calgaro (20 de agosto de 2018). «Vice de Alckmin, Márcio França (PSB) prefere imagem de Campos a de Marina». Uol. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  24. Lívia Machado (16 de dezembro de 2014). «Alckmin anuncia Márcio França para o Desenvolvimento Econômico». G1. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  25. Bianca Lemos (6 de abril de 2018). «Alckmin sai para tentar Presidência; França é o novo governador de SP». Veja. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  26. Gil Alessi (18 de setembro de 2018). «Márcio França: "Vou disputar o governo de SP. Quando Alckmin renunciar, vou ficar conhecido"». El País. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  27. Jean Raupp (4 de agosto de 2018). «PSB oficializa candidatura de Márcio França ao governo de São Paulo». G1. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  28. «Mapa da apuração por estado: São Paulo». G1. 7 de outubro de 2018. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  29. Guilherme Maziero (10 de outubro de 2018). «Skaf declara apoio a Marcio França no 2º turno para governador de SP». Ig. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  30. Guilherme Maziero (10 de outubro de 2018). «Major Olimpio, braço direito de Bolsonaro, declara apoio a França em SP». Uol. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  31. Ricardo Galhardo (17 de outubro de 2018). «MST e outros seis movimentos declaram apoio a França». O Estado de S. Paulo. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  32. «Doria apoia Bolsonaro e França declara neutralidade no segundo turno». Agência Brasil. 8 de outubro de 2018. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  33. Carolina Dantas (7 de outubro de 2018). «'Tenho esperança', diz Márcio França ao votar em SP». G1. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  34. Tribunal Regional Eleitoral do Estado de São Paulo
  35. «Resultado da eleição 1996 - São Vicente». Tribunal Superior Eleitoral. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  36. «Resultado da eleição 2000 - São Vicente». Tribunal Superior Eleitoral. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  37. «Eleições 2006 - Apuração - São Paulo - Deputado Federal». Folha de S. Paulo. 2006. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  38. «Eleições 2010 - resultados - São Paulo - deputado federal». Terra. 2010. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  39. «Eleições 2014 - apuração SP». Uol. 2014. Consultado em 21 de outubro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Geraldo Alckmin
Governador de São Paulo
2018—atualidade
Sucedido por
João Dória
Eleito
Precedido por
Guilherme Afif
Vice-governador de São Paulo
2015—2018
Sucedido por
Rodrigo Garcia
Eleito