Sônia Guajajara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sônia Guajajara
Guajajara na Audiência Publica Comissão de Cultura da Câmara no Congresso Nacional, em 2017
Dados pessoais
Nome completo Sônia Bone Guajajara
Nascimento 6 de março de 1974 (44 anos)
Terra Indígena Arariboia, MA
Alma mater Universidade Estadual do Maranhão
Filhos Mahkai, Yaponã e Ywara
Partido PSOL
Profissão Professora, enfermeira e política

Sônia Bone Guajajara OMC (Terra Indígena Araribóia, Maranhão, 06 de março de 1974) é uma líder indígena brasileira.[1][2][3] É formada em Letras e em Enfermagem, especialista em Educação especial pela Universidade Estadual do Maranhão[4]. Recebeu em 2015 a Ordem do Mérito Cultural.[5]

Sua militância em ocupações e protestos começou na coordenação das organizações e articulações dos povos indígenas no Maranhão (COAPIMA) e levou-a à coordenação executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) antes disso ainda passou pela Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB).[6][7]

Em 2017, Alicia Keys, artista engajada com diversas causas sociais, cedeu seu espaço no palco principal do Rock in Rio para que a líder indígena Sônia Guajajara discursasse pela demarcação de terras na Amazônia, momento em que foi ovacionada pelo público ao som de "Fora Temer!". A fala aconteceu durante a execução da música Kill Your Mama, que aborda justamente a devastação do meio ambiente. [8][9]

Em 31 de novembro de 2017, Sônia Guajajara foi apresentada pelo Setorial Ecossocialista do Partido Socialismo e Liberdade como pré-candidata à presidência da república.[10] através de um manifesto "Por uma candidatura indígena, anticapitalista e ecossocialista"[11] no site 518anosdepois.com, que faz menção aos 518 anos da colonização européia no Brasil.

No dia 3 de fevereiro de 2018, Sônia Guajajara foi lançada como pré-candidata a vice-presidente da república na chapa encabeçada por Guilherme Boulos, líder do MTST, tornando-se a primeira pré-candidata de origem indígena à presidência da república. [12]

Sônia Guajajara tem voz no Conselho de Direitos Humanos da ONU e já levou denúncias às Conferências Mundiais do Clima (COP) e ao Parlamento Europeu. [13]

Referências

  1. “É hora de ir para cima, para o embate”. carta Capital, 28 de setembro de 2013
  2. História de vida. ALICE – Espelhos Estranhos, Lições Imprevistas
  3. Sônia Guajajara: O reconhecimento e respeito pelos povos indígenas vão além da garantia por cidadania. Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia, 4 de maio de 2015
  4. «Sonia Bone Guajajara - Xapuri». Xapuri. 17 de novembro de 2015 
  5. Conheça os agraciados com a OMC em 2015. Ministério da Cultura, 6 de novembro de 2015
  6. “O Estado brasileiro não sabe dialogar com a diversidade”. WWF Brasil, 17 de abril de 2015
  7. Sonia Guajajara, da COIAB, entrega Motoserra de Ouro a Kátia Abreu. Racismo Ambiental, 9 de dezembro de 2010
  8. “Alicia Keys recebe líder indígena no RiR e público vibra com "Fora Temer"”. UOL, 17 de setembro de 2017
  9. “Rock in Rio: Alicia Keys faz o maior protesto político do festival”. O Estado de São Paulo - Estadão, 17 Setembro 2017
  10. «Setorial Ecossocialista do PSOL apresenta pré-candidatura de Sônia Guajajara à presidência do Brasil». Subverta. 1 de dezembro de 2017 
  11. «518 anos depois». www.518anosdepois.com. Consultado em 6 de dezembro de 2017. 
  12. Online, O POVO. «Guilherme Boulos e Sonia Guajajara lançarão pré-candidatura pelo PSOL». www.opovo.com.br. Consultado em 4 de março de 2018. 
  13. «Conheça Sônia Guajajara». psol50.org.br. Consultado em 19 de maio de 2018.