Universidade Estadual do Maranhão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Universidade Estadual do Maranhão - UEMA
UEMA
Lema Scientia ad Vitam (Latim) - "Conhecimento da vida" em Português
Fundação 30 de dezembro de 1981 (40 anos)
Tipo de instituição Pública
Mantenedora Governo do Estado do Maranhão
Localização São Luís, Maranhão, Brasil, Maranhão
Funcionários técnico-administrativos 834
Reitor(a) Gustavo Pereira da Costa
Vice-reitor(a) Walter Canales Santana
Total de estudantes 25.616
Graduação 16.715
Pós-graduação 3 027
Cores da escola      Azul

     Branco

Afiliações ABRUEM, RENEX
Orçamento anual R$ 209.886.197,36 (2014)
Página oficial www.uema.br

Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) é a primeira universidade estadual do Maranhão, tendo sido fundada em 1981. Em setembro de 2016, parte dela foi desmembrada para a criação da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL). Com mais de 20 mil alunos, a instituição conta com 20 campi.

História[editar | editar código-fonte]

A FESM foi criada pela Lei 3.260 de 22 de agosto de 1972, para coordenar e integrar os estabelecimentos isolados do sistema educacional superior do Maranhão. Constituída inicialmente por quatro unidades de ensino superior: Escola de Administração, Escola de Engenharia, Escola de Agronomia e faculdade de Caxias, a FESM incorporou, em 1975, a Escola de Medicina Veterinária e em 1979, a Faculdade de Educação de Imperatriz.

A FESM foi transformada em Universidade Estadual do Maranhão através da Lei nº 4.400 de 30 de dezembro de 1981 e teve seu funcionamento autorizado pelo Decreto Federal nº 94.143 de 25 de março de 1987.

Reorganizada conforme Leis nº 5.921, de 15 de março de 1994 e 5.931, de 22 de abril de 1994, alterada pela Lei nº 6.663, de 4 de junho de 1996, é uma Autarquia de regime especial, pessoa jurídica de direito público, inscrita no Ministério da Fazenda sob o CGC nº 06.352.421/0001-68.

Linha do tempo UEMA.jpg

Em 27 de agosto de 2015 o campus de São Bento foi beneficiado com obras onde serão investidos mais de 9 milhões de reais para a construção de salas de aula, auditório, alojamento e reformas estruturais. Serão implantados cursos de graduação, na modalidade presencial, em ciências agrárias, criando 500 novas vagas para os alunos no primeiro ano.[1]

A UEMA é atualmente, vinculada à Gerência de Estado da Ciência, Tecnologia, Ensino Superior e Desenvolvimento Tecnológico - GECTEC e goza de autonomia didático-científica, administrativa, disciplinar e de gestão financeira e patrimonial, de acordo com o que preceitua o art 272 da Constituição do Estado do Maranhão.

Características[editar | editar código-fonte]

A autonomia científica consiste no exercício de competência privativa para estabelecer a sua política e os seus programas de ensino, pesquisa e extensão, criar, modificar, fundir ou extinguir cursos e currículos pleno, conferir graus, expedir diplomas e certificados, assim como outorgar bolsas, prêmios, títulos e outras dignidades universitárias.

A autonomia administrativa consiste no exercício de competência privativa para elaborar e reformular o seu Estatuto, normas a este complementares, baixar seus regimentos e manuais, dispor sobre o pessoal dos seus quadros, prover os cargos comissionados e as funções gratificadas, contratar obras e serviços de que necessitar, propor ao Chefe do Poder Executivo seus planos de cargos e salários e respectivas alterações, assim como escolher e indicar àquela autoridade nomes para o exercício dos cargos de Reitor e Vice-reitor.

A autonomia de gestão financeira e patrimonial consiste no exercício de competência para gerar e captar recursos, incorporar bens e recursos ao seu patrimônio, dispor dos mesmos, elaborar e administrar seus orçamentos e planos de trabalho, manter em suas contas os saldos anuais dos respectivos recursos, contabilizando-os, como Receita Patrimonial, para o exercício seguinte.

A autonomia disciplinar consiste na competência privativa para aplicar aos corpos docente, técnico- administrativo e discente as regras do seu Estatuto, do Estatuto dos Servidores Civis do Estado do Maranhão e do seu Regimento Interno; estabelecer normas de conduta pessoal, coletiva e de segurança a serem, obrigatoriamente, observadas em todos os campi da Universidade.

São objetivos da UEMA promover o ensino de graduação e pós-graduação, a extensão universitária e a pesquisa, promover a difusão do conhecimento, a produção de saber e de novas tecnologias interagindo com a comunidade, com vistas ao desenvolvimento social, econômico e político do Maranhão.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

2021 Mapa distibuição Uema polos e campi.jpg

A instituição conta hoje com 20 campi. São eles:

  • 01. Campus Bacabal
  • 02. Campus Balsas
  • 03. Campus Barra do Corda
  • 04. Campus Caxias
  • 05. Campus Codó
  • 06. Campus Coelho Neto
  • 07. Campus Colinas
  • 08. Campus Coroatá
  • 09. Campus Grajaú
  • 10. Campus Itapecuru-Mirim
  • 11. Campus Lago da Pedra
  • 12. Campus Pedreiras
  • 13. Campus Pinheiro
  • 14. Campus Presidente Dutra
  • 15. Campus Santa Inês
  • 16. Campus São Bento
  • 17. Campus São João dos Patos
  • 18. Campus Timon
  • 19. Campus Zé Doca
  • 20. São Luís (20.1 Centro de Ciências Agrárias - CCA, 20.2 Centro de Ciências Sociais Aplicadas - CCSA, 20.3 Centro de Ciências Tecnológicas - CCT, 20.4 Centro de Educação, Ciências Exatas e Naturais - CECEN)

Órgãos[editar | editar código-fonte]

Entre os órgãos suplementares da UEMA estão:[2]

  • a) Superintendência de Concursos e Seletivos;
  • b) Superintendência de Gestão Ambiental;
  • c) Superintendência de Relações Internacionais;
  • d) Biblioteca Central;
  • e) Editora UEMA;
  • f) Restaurante Universitário;
  • g) Fazendas-Escola;
  • h) Hospital Veterinário;
  • i) Núcleo de Acessibilidade;
  • j) Núcleo de Esporte e Lazer;
  • k) Núcleo de Tecnologias para Educação;
  • l) Núcleo de Geoprocessamento;
  • m) Agência de Inovação e Empreendedorismo.

Hospital veterinário[editar | editar código-fonte]

O Hospital Veterinário Universitário “Francisco  Edilberto Uchoa Lopes” da UEMA São Luís presta atendimentos clínicos e cirúrgicos em pequenos, médios e grandes animais. O HVU/UEMA colabora com os Departamentos do Curso de Medicina Veterinária, atendendo aos programas de graduação, pós-graduação e pesquisa, propiciando treinamentos mediante supervisão de docentes e prestar serviços à comunidade. Para o atendimento, o hospital cobra taxas com valores mais acessíveis que os de clinicas particulares, para a manutenção dos seus materiais hospitalares e da medicação. Também há projetos voltados para atendimento gratuito aos animais das pessoas em situação de vulnerabilidade econômica.[3][4]

Ingresso[editar | editar código-fonte]

O ingresso à UEMA e à UEMASUL é feito através de um exame vestibular e o Processo Seletivo de Acesso à Educação Superior (PAES).[5]

No ano de 2018, fora ofertadas 3.879 vagas, distribuídas em todos os campi da Universidade, além de outras 565 vagas para a UEMASUL. As provas seriam realizadas em duas etapas. Na primeira etapa, são sessenta questões objetivas de múltipla escolha, por área de conhecimento, abrangendo os conteúdos programáticos dos componentes curriculares que integram o ensino médio. Na segunda etapa , são doze questões analítico-discursivas, abrangendo conteúdos programáticos de 2 (dois) componentes curriculares que integram o ensino médio, específicos por curso, além de prova de produção textual.[5]

Há também a reserva 10% das vagas para candidatos negros ou de comunidades indígenas que estudaram todo o ensino médio em escolas públicas, além de 5% de vagas para pessoas com deficiência. Para candidatos negros, há uma reserva de 20% (vinte por cento) das vagas dos cursos de CFO (PMMA e CBMMA) [6]

Para os cursos de graduação em arquitetura e música, um exame específico também é necessário.

Para o curso de Segurança Pública/CFO (Curso de Formação de Oficiais) da PMMA, são feitas as fases de: prova do PAES; avaliação documental e de requisitos; exame médico-odontológico; exame de aptidão física; avaliação psicológica; investigação social e funcional; além do curso de formação (UEMA/PMMA). Para o curso de Segurança Pública/CFO (Curso de Formação de Oficiais) do CBMMA são feitas as fases de: prova do PAES; exames Médicos, biométricos e odontológicos; teste de aptidão física; exames Psicotécnicos; avaliação documental; curso de formação.[7]

Os Cursos de Formação de Oficiais graduam bacharéis em Segurança Pública e foram implementados em 1993, promovendo a formação técnico-profissional de oficiais da Policia Militar e do Corpo de Bombeiros, conforme os princípios básicos humanísticos, nos direitos humanos e cidadania.[7]

Ensino[editar | editar código-fonte]

No ano de 2017, a UEMA possuía 118 cursos de graduação e 19 cursos de pós-graduação (4 de especialização, 13 de mestrado e 2 de doutorado). Tinha, em seu quadro de pessoal 800 docentes e 586 servidores.[8]

Ensino à Distância (EAD)[editar | editar código-fonte]

O Núcleo de Tecnologias para Educação da Uema (UemaNet) é responsável pela coordenação da modalidade de Educação a Distância, além de outras ações educacionais que necessitem da utilização de recursos tecnológicos, atuando nas diversas áreas do conhecimento, em nível técnico no âmbito da educação profissional, superior (graduação e pós-graduação) e formação continuada. Está subordinado diretamente à Reitoria da Uema, tendo sido criado pela Resolução 239/2000 do Conselho Universitário (Consun).[9][8]


A instituição também possui polos de Educação a Distância (EAD) implantados e coordenados pelo Núcleo de Tecnologias para a Educação - UEMANET e Universidade Aberta do Brasil - UAB em 40 municípios, tendo atuação nos níveis técnicos, graduação e especialização.

Cursos técnicos EAD[editar | editar código-fonte]

Os cursos técnicos EAD, coordenados pelo Núcleo de Tecnologias para a Educação - UEMANET, atualmente são: Alimentos, Contabilidade, Controle Ambiental, Edificações, Guia de Turismo, Informática, Logística, Manutenção Automotiva, Meteorologia, Meio Ambiente, Mineração, Programação de Jogos Digitais, Redes de Computadores​, Segurança do Trabalho, Serviços Públicos, Planejamento e Gestão de TI.

Graduação EAD[editar | editar código-fonte]

Bacharelado em Administração Pública, Licenciatura em Filosofia, Formação Pedagógica de Docentes - Licenciatura, Programa Especial de Formação Pedagógica de Docentes - Licenciatura, Licenciatura Em Física, Licenciatura Em Geografia, Licenciatura em Música, Superior de Tecnologia Em Gestão Comercial, Pedagogia Licenciatura, Superior de Tecnologia Em Alimentos, Superior de Tecnologia em Segurança do Trabalho.

Pós-Graduação (Lato Sensu) EAD[editar | editar código-fonte]

Especializações em: Educação do Campo,  Enfermagem Obstétrica,  Ensino da Genética,  Ensino de Ciências - Anos Finais do Ensino Fundamental,  Gestão Educacional e Escolar,  Educação Especial / Educação Inclusiva,  Gestão em Saúde,  Gestão Pública,  Gestão Pública Municipal,  Gestão do Sistema Prisional,  Literatura e Ensino,  Psicologia da Educação,  Cultura Digital e Competência Tecnológica.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Governo do Maranhão (27 de agosto de 2015). «Flávio Dino e ministro do Desenvolvimento Agrário anunciam ações para a Baixada Maranhense». Site do Governo do Estado do Maranhão. Consultado em 5 de setembro de 2015 
  2. «Estatuto». www.estatuto.uema.br. Consultado em 20 de novembro de 2018 
  3. «A busca por saúde e bem-estar animal | O Imparcial». O Imparcial. 15 de abril de 2017 
  4. «ATENDIMENTO DO HOSPITAL VETERINÁRIO DA UEMA.». www.cca.uema.br. Consultado em 20 de novembro de 2018 
  5. a b «UEMA divulga edital do PAES 2018». www.uema.br. Consultado em 16 de novembro de 2018 
  6. «Inscrições para o PAES 2019 da UEMA foram prorrogadas - Super Vestibular». Super Vestibular. Consultado em 16 de novembro de 2018 
  7. a b «Curso de Formação de Oficiais – CFO/PM». www.ccsa.uema.br. Consultado em 16 de novembro de 2018 
  8. a b «Anuário Estatístico» (PDF) 
  9. «UEMA - UemaNet». UEMA - UemaNet. Consultado em 16 de novembro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]