Universidade Estadual do Maranhão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Universidade Estadual do Maranhão - UEMA
UEMA
Lema Scientia ad Vitam (Latim) - "Conhecimento da vida" em Português
Fundação 30 de dezembro de 1981 (40 anos)
Tipo de instituição Pública
Mantenedora Governo do Estado do Maranhão
Localização São Luís, Maranhão, Brasil, Maranhão, {{{país}}}
Funcionários técnico-administrativos 834
Reitor(a) Gustavo Pereira da Costa
Vice-reitor(a) Walter Canales Santana
Total de estudantes 25.616
Graduação 16.715
Pós-graduação 3 027
Cores      Azul

     Branco

Afiliações ABRUEM, RENEX
Orçamento anual R$ 209.886.197,36 (2014)
Página oficial www.uema.br

Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) é a primeira universidade estadual do Maranhão, tendo sido fundada em 1981. Em setembro de 2016, parte dela foi desmembrada para a criação da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL). Com mais de 20 mil alunos, a instituição conta com 20 campi.

História[editar | editar código-fonte]

A FESM foi criada pela Lei 3.260 de 22 de agosto de 1972, para coordenar e integrar os estabelecimentos isolados do sistema educacional superior do Maranhão. Constituída inicialmente por quatro unidades de ensino superior: Escola de Administração, Escola de Engenharia, Escola de Agronomia e faculdade de Caxias, a FESM incorporou, em 1975, a Escola de Medicina Veterinária e em 1979, a Faculdade de Educação de Imperatriz.

A FESM foi transformada em Universidade Estadual do Maranhão através da Lei nº 4.400 de 30 de dezembro de 1981 e teve seu funcionamento autorizado pelo Decreto Federal nº 94.143 de 25 de março de 1987.

Reorganizada conforme Leis nº 5.921, de 15 de março de 1994 e 5.931, de 22 de abril de 1994, alterada pela Lei nº 6.663, de 4 de junho de 1996, é uma Autarquia de regime especial, pessoa jurídica de direito público, inscrita no Ministério da Fazenda sob o CGC nº 06.352.421/0001-68.

Linha do tempo UEMA.jpg

Em 27 de agosto de 2015 o campus de São Bento foi beneficiado com obras onde serão investidos mais de 9 milhões de reais para a construção de salas de aula, auditório, alojamento e reformas estruturais. Serão implantados cursos de graduação, na modalidade presencial, em ciências agrárias, criando 500 novas vagas para os alunos no primeiro ano.[1]

A UEMA é atualmente, vinculada à Gerência de Estado da Ciência, Tecnologia, Ensino Superior e Desenvolvimento Tecnológico - GECTEC e goza de autonomia didático-científica, administrativa, disciplinar e de gestão financeira e patrimonial, de acordo com o que preceitua o art 272 da Constituição do Estado do Maranhão.

Características[editar | editar código-fonte]

A autonomia científica consiste no exercício de competência privativa para estabelecer a sua política e os seus programas de ensino, pesquisa e extensão, criar, modificar, fundir ou extinguir cursos e currículos pleno, conferir graus, expedir diplomas e certificados, assim como outorgar bolsas, prêmios, títulos e outras dignidades universitárias.

A autonomia administrativa consiste no exercício de competência privativa para elaborar e reformular o seu Estatuto, normas a este complementares, baixar seus regimentos e manuais, dispor sobre o pessoal dos seus quadros, prover os cargos comissionados e as funções gratificadas, contratar obras e serviços de que necessitar, propor ao Chefe do Poder Executivo seus planos de cargos e salários e respectivas alterações, assim como escolher e indicar àquela autoridade nomes para o exercício dos cargos de Reitor e Vice-reitor.

A autonomia de gestão financeira e patrimonial consiste no exercício de competência para gerar e captar recursos, incorporar bens e recursos ao seu patrimônio, dispor dos mesmos, elaborar e administrar seus orçamentos e planos de trabalho, manter em suas contas os saldos anuais dos respectivos recursos, contabilizando-os, como Receita Patrimonial, para o exercício seguinte.

A autonomia disciplinar consiste na competência privativa para aplicar aos corpos docente, técnico- administrativo e discente as regras do seu Estatuto, do Estatuto dos Servidores Civis do Estado do Maranhão e do seu Regimento Interno; estabelecer normas de conduta pessoal, coletiva e de segurança a serem, obrigatoriamente, observadas em todos os campi da Universidade.

São objetivos da UEMA promover o ensino de graduação e pós-graduação, a extensão universitária e a pesquisa, promover a difusão do conhecimento, a produção de saber e de novas tecnologias interagindo com a comunidade, com vistas ao desenvolvimento social, econômico e político do Maranhão.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

2021 Mapa distibuição Uema polos e campi.jpg

A instituição conta hoje com 20 campi. São eles:

  • 01. Campus Bacabal
  • 02. Campus Balsas
  • 03. Campus Barra do Corda
  • 04. Campus Caxias
  • 05. Campus Codó
  • 06. Campus Coelho Neto
  • 07. Campus Colinas
  • 08. Campus Coroatá
  • 09. Campus Grajaú
  • 10. Campus Itapecuru-Mirim
  • 11. Campus Lago da Pedra
  • 12. Campus Pedreiras
  • 13. Campus Pinheiro
  • 14. Campus Presidente Dutra
  • 15. Campus Santa Inês
  • 16. Campus São Bento
  • 17. Campus São João dos Patos
  • 18. Campus Timon
  • 19. Campus Zé Doca
  • 20. São Luís (20.1 Centro de Ciências Agrárias - CCA, 20.2 Centro de Ciências Sociais Aplicadas - CCSA, 20.3 Centro de Ciências Tecnológicas - CCT, 20.4 Centro de Educação, Ciências Exatas e Naturais - CECEN)

Órgãos[editar | editar código-fonte]

Entre os órgãos suplementares da UEMA estão:[2]

  • a) Superintendência de Concursos e Seletivos;
  • b) Superintendência de Gestão Ambiental;
  • c) Superintendência de Relações Internacionais;
  • d) Biblioteca Central;
  • e) Editora UEMA;
  • f) Restaurante Universitário;
  • g) Fazendas-Escola;
  • h) Hospital Veterinário;
  • i) Núcleo de Acessibilidade;
  • j) Núcleo de Esporte e Lazer;
  • k) Núcleo de Tecnologias para Educação;
  • l) Núcleo de Geoprocessamento;
  • m) Agência de Inovação e Empreendedorismo.

Hospital veterinário[editar | editar código-fonte]

O Hospital Veterinário Universitário “Francisco  Edilberto Uchoa Lopes” da UEMA São Luís presta atendimentos clínicos e cirúrgicos em pequenos, médios e grandes animais. O HVU/UEMA colabora com os Departamentos do Curso de Medicina Veterinária, atendendo aos programas de graduação, pós-graduação e pesquisa, propiciando treinamentos mediante supervisão de docentes e prestar serviços à comunidade. Para o atendimento, o hospital cobra taxas com valores mais acessíveis que os de clinicas particulares, para a manutenção dos seus materiais hospitalares e da medicação. Também há projetos voltados para atendimento gratuito aos animais das pessoas em situação de vulnerabilidade econômica.[3][4]

Ingresso[editar | editar código-fonte]

O ingresso à UEMA e à UEMASUL é feito através de um exame vestibular e o Processo Seletivo de Acesso à Educação Superior (PAES).[5]

No ano de 2018, fora ofertadas 3.879 vagas, distribuídas em todos os campi da Universidade, além de outras 565 vagas para a UEMASUL. As provas seriam realizadas em duas etapas. Na primeira etapa, são sessenta questões objetivas de múltipla escolha, por área de conhecimento, abrangendo os conteúdos programáticos dos componentes curriculares que integram o ensino médio. Na segunda etapa , são doze questões analítico-discursivas, abrangendo conteúdos programáticos de 2 (dois) componentes curriculares que integram o ensino médio, específicos por curso, além de prova de produção textual.[5]

Há também a reserva 10% das vagas para candidatos negros ou de comunidades indígenas que estudaram todo o ensino médio em escolas públicas, além de 5% de vagas para pessoas com deficiência. Para candidatos negros, há uma reserva de 20% (vinte por cento) das vagas dos cursos de CFO (PMMA e CBMMA) [6]

Para os cursos de graduação em arquitetura e música, um exame específico também é necessário.

Para o curso de Segurança Pública/CFO (Curso de Formação de Oficiais) da PMMA, são feitas as fases de: prova do PAES; avaliação documental e de requisitos; exame médico-odontológico; exame de aptidão física; avaliação psicológica; investigação social e funcional; além do curso de formação (UEMA/PMMA). Para o curso de Segurança Pública/CFO (Curso de Formação de Oficiais) do CBMMA são feitas as fases de: prova do PAES; exames Médicos, biométricos e odontológicos; teste de aptidão física; exames Psicotécnicos; avaliação documental; curso de formação.[7]

Os Cursos de Formação de Oficiais graduam bacharéis em Segurança Pública e foram implementados em 1993, promovendo a formação técnico-profissional de oficiais da Policia Militar e do Corpo de Bombeiros, conforme os princípios básicos humanísticos, nos direitos humanos e cidadania.[7]

Ensino[editar | editar código-fonte]

No ano de 2017, a UEMA possuía 118 cursos de graduação e 19 cursos de pós-graduação (4 de especialização, 13 de mestrado e 2 de doutorado). Tinha, em seu quadro de pessoal 800 docentes e 586 servidores.[8]

Ensino à Distância (EAD)[editar | editar código-fonte]

O Núcleo de Tecnologias para Educação da Uema (UemaNet) é responsável pela coordenação da modalidade de Educação a Distância, além de outras ações educacionais que necessitem da utilização de recursos tecnológicos, atuando nas diversas áreas do conhecimento, em nível técnico no âmbito da educação profissional, superior (graduação e pós-graduação) e formação continuada. Está subordinado diretamente à Reitoria da Uema, tendo sido criado pela Resolução 239/2000 do Conselho Universitário (Consun).[9][8]


A instituição também possui polos de Educação a Distância (EAD) implantados e coordenados pelo Núcleo de Tecnologias para a Educação - UEMANET e Universidade Aberta do Brasil - UAB em 40 municípios, tendo atuação nos níveis técnicos, graduação e especialização.

Cursos técnicos EAD[editar | editar código-fonte]

Os cursos técnicos EAD, coordenados pelo Núcleo de Tecnologias para a Educação - UEMANET, atualmente são: Alimentos, Contabilidade, Controle Ambiental, Edificações, Guia de Turismo, Informática, Logística, Manutenção Automotiva, Meteorologia, Meio Ambiente, Mineração, Programação de Jogos Digitais, Redes de Computadores​, Segurança do Trabalho, Serviços Públicos, Planejamento e Gestão de TI.

Graduação EAD[editar | editar código-fonte]

Bacharelado em Administração Pública, Licenciatura em Filosofia, Formação Pedagógica de Docentes - Licenciatura, Programa Especial de Formação Pedagógica de Docentes - Licenciatura, Licenciatura Em Física, Licenciatura Em Geografia, Licenciatura em Música, Superior de Tecnologia Em Gestão Comercial, Pedagogia Licenciatura, Superior de Tecnologia Em Alimentos, Superior de Tecnologia em Segurança do Trabalho.

Pós-Graduação (Lato Sensu) EAD[editar | editar código-fonte]

Especializações em: Educação do Campo,  Enfermagem Obstétrica,  Ensino da Genética,  Ensino de Ciências - Anos Finais do Ensino Fundamental,  Gestão Educacional e Escolar,  Educação Especial / Educação Inclusiva,  Gestão em Saúde,  Gestão Pública,  Gestão Pública Municipal,  Gestão do Sistema Prisional,  Literatura e Ensino,  Psicologia da Educação,  Cultura Digital e Competência Tecnológica.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Governo do Maranhão (27 de agosto de 2015). «Flávio Dino e ministro do Desenvolvimento Agrário anunciam ações para a Baixada Maranhense». Site do Governo do Estado do Maranhão. Consultado em 5 de setembro de 2015 
  2. «Estatuto». www.estatuto.uema.br. Consultado em 20 de novembro de 2018 
  3. «A busca por saúde e bem-estar animal | O Imparcial». O Imparcial. 15 de abril de 2017 
  4. «ATENDIMENTO DO HOSPITAL VETERINÁRIO DA UEMA.». www.cca.uema.br. Consultado em 20 de novembro de 2018 
  5. a b «UEMA divulga edital do PAES 2018». www.uema.br. Consultado em 16 de novembro de 2018 
  6. «Inscrições para o PAES 2019 da UEMA foram prorrogadas - Super Vestibular». Super Vestibular. Consultado em 16 de novembro de 2018 
  7. a b «Curso de Formação de Oficiais – CFO/PM». www.ccsa.uema.br. Consultado em 16 de novembro de 2018 
  8. a b «Anuário Estatístico» (PDF) 
  9. «UEMA - UemaNet». UEMA - UemaNet. Consultado em 16 de novembro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]