Universidade do Estado de Mato Grosso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Universidade do Estado de Mato Grosso
UNEMAT
Lema Universitate Omnium
Fundação 1978
Tipo de instituição Universidade Pública, Estadual
Mantenedora Brasão de Mato Grosso.png Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia
Localização Brasão Cáceres.png Cáceres, Brasão de Mato Grosso.png Mato Grosso
Docentes 1.078 (2011)
Reitor(a) Ana Maria Di Renzo
Vice-reitor(a) Ariel Lopes Torres
Total de estudantes 13.898 (2011)
Graduação 12.800 (2011)
Campus Alta Floresta,
Alto Araguaia,
Brasao bbu.jpg Barra do Bugres, Cáceres,
Brasão Colíder MT.png Colíder,
Brasao Diamantino.jpg Diamantino,
Brasão Juara MT.png Juara,
Brasão Luciara MT.png Luciara,
Brasao Nova Mutum gd.jpg Nova Mutum,
Brasão Nova Xavantina MT.png Nova Xavantina,
Brasão de Pontes e Lacerda.jpg Pontes e Lacerda,
Brasão sinop mt.png Sinop,
Brasao TGA.jpg Tangará da Serra
Afiliações ABRUEM, RENEX
Orçamento anual 145.668.990,56 (2011)
Página oficial http://www.novoportal.unemat.br/

A Universidade do Estado de Mato Grosso "Carlos Alberto Reyes Maldonado" (UNEMAT) é uma universidade pública brasileira, fundada em 1978 e mantida pelo governo do estado de Mato Grosso, com a sede administrativa no município de Cáceres. Possui Campi nas cidades de Alta Floresta, Alto Araguaia, Barra do Bugres, Cáceres, Colíder, Diamantino, Juara, Luciara, Nova Mutum, Vila Rica, Nova Xavantina, Pontes e Lacerda, Sinop e Tangará da Serra. A contribuição desta universidade é bastante relevante, principalmente para o interior de Mato Grosso, formando dezenas de profissionais.

História[editar | editar código-fonte]

Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.

Em 20 de julho de 1978, é criado o Instituto de Ensino Superior de Cáceres, (IESC) e em 15 de dezembro de 1993 após processo de estadualização, é nomeada Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT). Seu lema na fundação era "do interior para o interior", uma reafirmação dos motivos que levaram à sua criação: a ausência de uma instituição pública de nível superior no interior de Mato Grosso, garantindo dessa forma, que as pessoas que morassem longe dos grandes centros pudessem fazer um curso superior na própria cidade ou em pólos próximos, seja nos campi institucionais, seja pelas modalidades de ensino diferenciado ofertadas pela instituição.[1] Ao longo do seu funcionamento, a UNEMAT- Universidade do Estado de Mato Grosso apresenta uma somatória de experiências didático-científico-pedagógicas e administrativas que a projeta, como uma instituição portadora de requisitos indispensáveis ao desenvolvimento do ensino, da pesquisa e da extensão, desempenhando um papel essencialmente social no Estado, capaz de alicerçar a base humana regional na afirmação de melhores condições de vida da população e na garantia de padrões éticos de justiça e equidade. Nesse processo, uma preocupação constante na UNEMAT é de ampliar sua atuação no cenário mato-grossense, através do desenvolvimento de pesquisas e da qualificação de seu quadro docente, bem como da oferta de programas lato sensu e stricto sensu, a toda comunidade, contribuindo com a formação do espírito crítico para responder, sobretudo, os problemas do Estado de Mato Grosso, com 13 campi, 11 Núcleos Pedagógicos (Parceladas) e 18 polos educacionais (ensino a distância), presentes nos três biomas: Pantanal, Cerrado e Amazônia e as Bacias hidrográficas do Prata, Amazônica e Araguaia, caracterizado pela diversidade biológica e social, ímpar no Brasil. Assim, resultante da política de investimento na qualificação dos servidores técnicos-administrativos (656) e docentes (845), para atender a demanda de um estado-continente, A UNEMAT, apresenta um quadro de docentes efetivos (Abril de 2015), com 378 doutores, 364 mestres e 103 graduados. A UNEMAT, conta com 272 projetos de pesquisa institucionalizado, distribuído em 134 grupos de pesquisas certificados pelo CNPq, 16 Núcleos de pesquisa e 16 Centros de Pesquisa; envolvendo professores-pesquisadores e alunos bolsistas de Iniciação Cientifica, nas áreas de Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Biológicas e da Saúde, Ciências Humanas e Sociais, Engenharias e Tecnologias e Ciências Exatas e da Terra, cuja investigação se assenta sobre questões de relevância para a construção do conhecimento científico, visando contribuir com o desenvolvimento regional e nacional, com apresentação de alternativas que possam interferir positivamente na sociedade mato-grossense. Os esforços envidados para equipar a os grupos de pesquisa e as pós graduação são contínuos. Nesta perspectiva também, a UNEMAT atende mais de 21 mil alunos, nas diferentes modalidades de ensino, sendo 14.424 alunos matriculados nos 67 cursos de graduação em modalidade regular, 854 alunos matriculados nos 22 cursos de graduação em Modalidade Parceladas e Turmas Fora de Sede, 98 alunos matriculados em Faculdade Indígena. 4999 alunos matriculados nas 35 turmas na modalidade ensino a distância (Dead). São 780 alunos nos 12 cursos de pós-graduação lato sensu presenciais e 03 na modalidade à distância, em parceria com a UAB – Universidade Aberta do Brasil. No âmbito de Pós Graduação a Unemat têm 19 cursos de Stricto Sensu, sendo 10 Mestrados Institucionais: Ambiente e Sistemas de Produção Agrícola (Tangará da Serra), Biodiversidade e Agroecossistemas Amazônicos (Alta Floresta), Ciências Ambientais (Cáceres), Ecologia e Conservação (Nova Xavantina), Educação (Cáceres), Ensino de Ciências e Matemática (Barra do Bugres), Estudos Literários (Tangara da Serra), Genética e Melhoramento de Planta (MultiCampi), Geografia (Cáceres), Linguística (Cáceres), 04 mestrados profissionais: PROFLETRAS, com duas unidades (Cáceres e SINOP) e PROFMAT- unidade em SINOP e o PROFHISTÓRIA (Cáceres). São 5 Doutorados institucionais: Estudos Literários (Tangará da Serra) e Ecologia e Conservação (Nova Xavantina) e Linguística (Cáceres) e 03 em rede (Biodiversidade e Biotecnologia da Amazônia Legal - BIONORTE; Educação em Ciências e Matemática - REAMEC e Biotecnologia e Biodiversidade – PRÓ CENTRO OESTE). Ressaltando que os cursos de pós graduação institucionais contam com o apoio da CAPES, com oferta de bolsas de demanda social: 89 bolsas de mestrado e 18 bolsas de doutorado; PROAP e Pró-equipamento. Conta também com projetos estruturantes que foram aprovados em editais do CT-INFRA, da FINEP; além de convênios diversos com a FAPEMAT e recursos dos projetos de pesquisa institucionalizados, aprovados junto ao CNPq e a FAPEMAT. A UNEMAT apresenta 199 bolsas de iniciação científica, com: 38 bolsas CNPq, 10 bolsas CNPq AF, 50 bolsas de pesquisa FAPEMAT, 101 bolsas científicas financiadas pela UNEMAT. A UNEMAT tem 06 docentes PQ’s, participamos de projeto PELD (Pesquisa Ecológica de Longa Duração); projetos de pesquisa em rede, e de várias parcerias de pesquisa em rede nacionais e internacionais. Participamos de PROCAD’s (Programa Nacional de Cooperação Acadêmica); temos convênios: 05 nacionais e 13 internacionais, em diversas áreas do conhecimento envolvendo a pós graduação Stricto Sensu com países das Américas, como México, Colômbia, Estados Unidos, Bolívia, Costa Rica; e da Europa, como Inglaterra, Portugal, Espanha. A UNEMAT tem como política institucional o investido profícuo nos últimos anos na qualificação profissional dos servidores docentes e técnicos, com andamento de 03 Dinter e 01 Minter; com 92 docentes afastados para qualificação para mestrados, doutorados e pós doutorados no pais e exterior, estagio pós doutoral no Brasil e exterior, conforme regulamentações aprovados nos Conselhos Superiores desta IES. Em síntese as ações desenvolvidas pela UNEMAT constituem-se na mola propulsora para contribuir com a verticalização da produção e socialização de conhecimentos no estado de Mato Grosso, caracterizada pela formação de grupos de pesquisa certificados no CNPq, estruturação e aprovação de projetos de pesquisa em editais de agências de fomento estaduais e nacionais, implantação de centros e núcleos de pesquisas e principalmente a expansão da IES, no que tange à oferta de programas de pós - graduação lato sensu e stricto sensu. A Universidade do Estado de Mato Grosso vem nos últimos anos intensificando esforços para a consolidação dos programas de pós graduação stricto sensu, contribuindo com a formação de recursos humanos em nível de Mestrado e Doutorado prevista no Plano Nacional de pesquisa e pós graduação – PNPG 2010-2020 - CAPES, ação prevista também no plano Estadual de Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso, atendendo 108 dos 141 municípios de Mato Grosso.

Um levantamento feito em 2013 mostrou que cerca de 95% dos aprovados no vestibular da instituição eram naturais do estado de Mato Grosso, o que reforça da ideia de que a UNEMAT contribui de forma efetiva na qualificação da população mato-grossense.[2]

Em 2013, a UNEMAT assumiu a responsabilidade dos cursos da Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Diamantino (UNED), que até então era uma instituição particular, em Diamantino. Também foi anunciada a encampação da Uninova, pela UNEMAT, no município de Nova Mutum.[3] Em janeiro de 2014 a UNEMAT também assumiu os cursos oferecidos pela Uninova, no município de Nova Mutum, criando seu 13º campi.[4]

Atualmente, discute-se a implantação de campi em Cuiabá, Várzea Grande e Rondonópolis, argumentando-se, no caso de Cuiabá o fato curioso de que, entre todos os estados brasileiros que possuem uma universidade estadual, Mato Grosso é o único que não possui campus em sua capital.[5]

No dia 29 de março de 2015 o Conselho Superior Universitário (Consuni) alterou o nome da Universidade em homenagem ao seu primeiro reitor, passando a denominar-se Universidade do Estado de Mato Grosso "Carlos Alberto Reyes Maldonado".

Forma de Ingresso[editar | editar código-fonte]

Durante muitos anos, a única forma de ingresso nos cursos da universidade foi o vestibular, realizado pela COVEST. Porém, em junho de 2012, a universidade informa a adoção ao SISU, que utiliza a nota do ENEM, como forma de ingresso, onde 100% das vagas ofertadas utilizarão o programa como forma única de seleção, sendo 50% reservadas a estudantes oriundos da rede pública de ensino e outras 25% para o programa de Inclusão Ético-Racial. Entretanto, na seleção do segundo semestre letivo, o tradicional vestibular continuará sendo a forma de ingresso.[6]

Cursos de Graduação e Pós Graduação Stricto Sensu[editar | editar código-fonte]

Campus de Alta Floresta[editar | editar código-fonte]

Campus de Alto Araguaia[editar | editar código-fonte]

Campus de Barra do Bugres[editar | editar código-fonte]

Campus de Cáceres[editar | editar código-fonte]

Campus de Colíder[editar | editar código-fonte]

Campus de Diamantino[editar | editar código-fonte]

Campus de Juara[editar | editar código-fonte]

Campus de Luciara[editar | editar código-fonte]

  • Curso de Química (Campus de Luciara)
  • Curso de Letras (Núcleo de Confresa)
  • Curso de Matemática (Núcleo de Vila Rica)
  • CEAD (Núcleo de São Félix do Araguaia)

Campus de Nova Mutum[editar | editar código-fonte]

Campus de Nova Xavantina[editar | editar código-fonte]

Campus de Pontes e Lacerda[editar | editar código-fonte]

Campus de Sinop[editar | editar código-fonte]

Campus de Tangará da Serra[editar | editar código-fonte]

Presença da Universidade no estado[editar | editar código-fonte]

Atualmente a Universidade conta com:

Referências

GIANEZINI, Quelen. O processo de expansão do ensino superior em Mato Grosso. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFRGS, 2009. 250p.

ZATTAR, Neuza Benedita da Silva; TEIXEIRA, Danielle Tavares; ARTIOLI, Luiza Bernadete. UNEMAT 30 anos: Pelos Caminhos de Mato Grosso. Cáceres [MT]: Editora da UNEMAT, 2008(a).

ZATTAR, Neuza. Do IESC à UNEMAT: uma história plural 1978 – 2008. Cáceres [MT]: Editora da UNEMAT, 2008(b).

PRPDI. UNEMAT em Números: Anuário Estatístico 2012/Base 2011. Cáceres [MT]: Editora UNEMAT, 2012.