Universidade do Estado de Mato Grosso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Universidade do Estado de Mato Grosso Carlos Alberto Reyes Maldonado
Unemat
Lema Universitate Omnium
Fundação 1978
Tipo de instituição Universidade Pública, Universidade Estadual
Mantenedora Fundação Universidade do Estado de Mato Grosso
Reitor(a) Rodrigo Bruno Zanin
Vice-reitor(a) Nilce Maria da Silva
Docentes 1.518 (2018)
Total de estudantes 22.733 (2018)
Graduação 15.447 (2018)
Campus Alta Floresta,
Alto Araguaia,
Barra do Bugres,
Cáceres,
Colíder,
Diamantino,
Juara,
Luciara,
Nova Mutum,
Nova Xavantina,
Pontes e Lacerda,
Sinop,
Tangará da Serra
Afiliações ABRUEM, RENEX
Orçamento anual 2.5% da Receita Corrente Líquida (RCL) do estado de Mato Grosso, que em 2017 representou R$308.505.297,39
Página oficial http://portal.unemat.br/

A Universidade do Estado de Mato Grosso Carlos Alberto Reyes Maldonado (Unemat) é uma universidade pública brasileira, fundada em 1978 e mantida pelo governo do estado de Mato Grosso, com sede administrativa no município de Cáceres. Possui câmpus nos municípios de Alta Floresta, Alto Araguaia, Barra do Bugres, Cáceres, Colíder, Diamantino, Juara, Luciara, Nova Mutum, Nova Xavantina, Pontes e Lacerda, Sinop e Tangará da Serra. A contribuição desta universidade é bastante relevante, principalmente para o interior de Mato Grosso, formando milhares de profissionais.

História[editar | editar código-fonte]

No dia 20 de julho de 1978, foi criado o Instituto de Ensino Superior de Cáceres, que traz em sua história a marca de ter nascido no interior. Com base na Lei Nº 703, foi publicado o Decreto Municipal Nº 190, criando o Instituto de Ensino Superior de Cáceres (IESC), vinculado à Secretaria Municipal de Educação e à Assistência Social, com a meta de promover o ensino superior e a pesquisa. Passa a funcionar como Entidade Autárquica Municipal em 15 de agosto do mesmo ano.

Por meio do Decreto Federal Nº 89.719, de 30 de maio de 1984, foi autorizado o funcionamento dos cursos ministrados pelo Instituto. Em 1985, com a Lei Estadual Nº 4.960, de 19 de dezembro, o Poder Executivo institui a Fundação Centro Universitário de Cáceres (FUCUC), entidade fundacional, autônoma, vinculada à Secretaria de Educação e Cultura do Estado de Mato Grosso, que visa promover a pesquisa e o estudo dos diferentes ramos do saber e a divulgação científica, técnica e cultural.

A Lei Estadual Nº 5.495, de 17 de julho de 1989, altera a Lei Nº 4.960 e, atendendo às normas da legislação de Educação, passa a denominar-se Fundação Centro de Ensino Superior de Cáceres (FCESC).

Em 1992, a Lei Complementar Nº 14, de 16 de janeiro, a Fundação Centro de Ensino Superior de Cáceres (FCESC) passa a denominar-se Fundação de Ensino Superior de Mato Grosso (FESMAT). A expansão da instituição para outras regiões de Mato Grosso ocorre na década de1990, com a abertura dos núcleos fora de Cáceres. O primeiro a ser criado é o de Sinop em 1990, os de Alta Floresta, Alto Araguaia, Nova Xavantina, Pontes e Lacerda e Luciara em 1991, Barra do Bugres e Colíder em 1994, Tangará da Serra em 1995, e Juara em 1999, entrando em efetivo exercício em 2001.

Em 15 de dezembro de 1993, através da Lei Complementar Nº 30, institui-se a Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), mantida pela Fundação Universidade do Estado de Mato Grosso (Funemat), e transformou em câmpus os antigos núcleos pedagógicos. Em 10 de janeiro de 1995, o Conselho Estadual de Educação de Mato Grosso homologa e aprova os Estatutos da Funemat e da Unemat por meio da Resolução Nº 001/95-CEE/MT, publicada no Diário Oficial do Estado de Mato Grosso em 14 de março de 1996.

Em 10 de agosto de 1999, a Universidade é credenciada pelo Conselho Estadual de Educação por cinco anos, passando então a gozar de autonomia didática, científica e pedagógica. Em 22 de março de 2012 a instituição foi recredenciada por 06 (seis) anos pela Portaria 002/2012-GAB/CEE/MT, publicada no Diário Oficial do Estado de 21/03/2012.

Em setembro de 2013, a Unemat recebeu em transferência os cursos de graduação em Direito, Enfermagem, Educação Física e Administração que eram oferecidos pela Uned (Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Diamantino) e,em dezembro do mesmo ano, a Unemat assumiu os cursos da União do Ensino Superior de Nova Mutum (Uninova), assim como a transferência dos bens móveis e imóveis para a Unemat, passando a ter então 13 câmpus.

Hoje, a Unemat possui 13 câmpus, 17 núcleos pedagógicos e 24 polos educacionais de Ensino a Distância.Cerca de 22 mil acadêmicos são atendidos em 60 cursos presenciais e em outros 129 cursos ofertados em modalidades diferenciadas. Atualmente, a instituição conta com quatro doutorados institucionais, quatro doutorados interinstitucionais (Dinter), três doutorados em rede, 11 mestrados institucionais, um mestrado interinstitucionais (Minter) e cinco mestrados profissionais.  

A Unemat desenvolve ações pioneiras para atender às demandas específicas do Estado. Por meio da Diretoria de Educação Indígena, a Unemat passou a ofertar, a partir de 2001, cursos de licenciaturas específicos e diferenciados para mais de 30 etnias. Os cursos são oferecidos no câmpus de Barra do Bugres.

O programa Parceladas da Unemat foi criado em 1992 como uma modalidade diferenciada de ensino, com objetivo de atender às demandas de formação de professores em diferentes regiões de Mato Grosso. O modelo de formação presencial oferecido em regime parcelado ou em regime contínuo serviu de exemplo para outras universidades brasileiras.

O ensino a distância passou a ser ofertado pela Unemat em 1999, com objetivo inicial de formar professores da rede pública nos cursos de Pedagogia e Educação Infantil. A partir de 2008, a instituição integrou o Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB), passando a ofertar cursos que beneficiam toda a comunidade. Em 2010, a Unemat passou a oferecer por meio da UAB também cursos de bacharelados e atualmente também oferta cursos de especialização lato sensu em diferentes áreas.[1]

No dia 29 de março de 2015, o Conselho Superior Universitário (Consuni) alterou o nome da Universidade em homenagem ao seu primeiro reitor, passando a denominar-se Universidade do Estado de Mato Grosso Carlos Alberto Reyes Maldonado.

Forma de ingresso[editar | editar código-fonte]

A Unemat adota como formas de seleção para ingresso na graduação o Sistema de Seleção Unificada (SiSU) e o vestibular próprio tradicional. Nas duas modalidades, a Universidade reserva 25% das vagas para estudantes que se audeclaram negros ou pardos e se enquadram no Programa de Integração e Inclusão Étnico-Racial (Piier/Negros), 5% das vagas para candidatos indígenas pelo Piier/Indígenas, 35% para alunos oriundos de escolas públicas e 40% para ampla concorrência. Também é possível ingressar na Instituição por meio de transferências, vagas para portadores de diploma e aluno especial..[2]

SiSU/Enem[editar | editar código-fonte]

Para ingresso no primeiro semestre letivo de cada ano, a Unemat oferta 100% das vagas presenciais por meio do SiSU, que utiliza como critério de seleção as notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem. O calendário de inscrição no Enem, e também do SiSU, é divulgado pelo Ministério da Educação.

Vestibular próprio[editar | editar código-fonte]

Para ingresso no segundo semestre letivo de cada ano, a Unemat realiza vestibular próprio. O vestibular da Unemat adota a mesma metodologia das provas do Enem, com as áreas de Linguagens, Códigos e suas tecnologias, Matemática e suas tecnologias, Ciências Humanas e suas tecnologias, Ciências da Natureza e suas tecnologias, além de redação. O período de inscrição varia de edital para edital, com divulgação e realização das provas no primeiro semestre de cada ano.

Cursos de graduação[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Alta Floresta[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Alto Araguaia[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Barra do Bugres[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Cáceres[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Colíder[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Diamantino[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Juara[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Luciara[editar | editar código-fonte]

  • Cursos de oferta diferenciada em turma única (variam a cada semestre)

Câmpus de Nova Mutum[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Nova Xavantina[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Pontes e Lacerda[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Sinop[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Tangará da Serra[editar | editar código-fonte]

Cursos de pós-graduação[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Alta Floresta[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Barra do Bugres[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Cáceres[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Nova Xavantina[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Sinop[editar | editar código-fonte]

Câmpus de Tangará da Serra[editar | editar código-fonte]

Multicâmpus[editar | editar código-fonte]

  • Genética e Melhoramento de Plantas - Mestrado acadêmico (aulas em Alta Floresta, Cáceres e Tangará da Serra)

Polo de Ensino de Cuiabá[editar | editar código-fonte]

Presença da Universidade no estado[editar | editar código-fonte]

Atualmente a universidade conta com:

Referências

  1. «UNEMAT». UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO. Consultado em 4 de maio de 2019 
  2. UNEMAT comunica adesão ao SISU

GIANEZINI, Kelly. O processo de expansão do ensino superior em Mato Grosso. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFRGS, 2009. 250p.

ZATTAR, Neuza Benedita da Silva; TEIXEIRA, Danielle Tavares; ARTIOLI, Luiza Bernadete. UNEMAT 30 anos: Pelos Caminhos de Mato Grosso. Cáceres [MT]: Editora da UNEMAT, 2008(a).

ZATTAR, Neuza. Do IESC à UNEMAT: uma história plural 1978 – 2008. Cáceres [MT]: Editora da UNEMAT, 2008(b).

PRPDI. UNEMAT em Números: Anuário Estatístico 2012/Base 2011. Cáceres [MT]: Editora UNEMAT, 2012.