Universidade Estadual de Londrina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2013). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Universidade Estadual de Londrina
UEL
Lema Avaliando o ontem, trabalhando hoje, planejando o amanhã
Fundação 28 de janeiro de 1970 (48 anos)
Tipo de instituição Pública estadual
Localização Londrina, Paraná
Docentes 1.680
Reitor(a) Sérgio Carlos de Carvalho[1]
Vice-reitor(a) Décio Sabbatini Barbosa
Total de estudantes 19.898
Graduação 15.875
Pós-graduação 5.315
Afiliações CRUB, RENEX e ABRUEM
Orçamento anual 700 mi[2]
Página oficial http://www.uel.br

A Universidade Estadual de Londrina (UEL) é uma instituição de ensino superior pública, localizada na cidade de Londrina, estado do Paraná, no Brasil. Famosa pela sua qualidade de ensino, é uma das maiores e principais universidades estaduais do Brasil, trazendo estudantes de todo o país.

Com mais de 40 anos de atuação plena, que soma sua tradição a uma reconhecida trajetória de excelência em ensino, pesquisa e extensão. Formada por uma comunidade universitária que reúne atualmente perto de 25 mil pessoas, entre docentes, estudantes e servidores técnico-administrativos, a UEL coloca à disposição dos acadêmicos uma estrutura física localizada em Campus Universitário com área total de mais de 235 hectares e diversos órgãos de apoio e de serviços.

A UEL está divida atualmente em 9 Centros que oferecem 68 cursos de graduação, com cerca de 16 mil estudantes. Na pós-graduação são outros 213 cursos, com 4.900 estudantes. Em uma área construída com mais de 210 mil metros quadrados, estão salas de aulas, laboratórios, bibliotecas, restaurante, cantinas, área para esportes e lazer, e outras estruturas de ensino para proporcionar aos milhares de estudantes um ambiente acadêmico produtivo, confortável, crítico e prazeroso, que possibilite a formação de futuros profissionais de sucesso e cidadãos competentes e éticos.

Em 2013, foi classificada pelo ranking Webometrics Ranking of World Universities entre as 30 melhores universidades do país, entre as 50 da América Latina, e entre as 1000 melhores do mundo. Considerando as publicações científicas recentes, a universidade está na 158º posição mundial.[3] O QS World University Rankings, publicado pela Times Higher Education (THE), classificou a UEL como a 5ª melhor instituição estadual do Brasil, e a melhor do Paraná.

História[editar | editar código-fonte]

Criada pelo Decreto nº 18.110, de 28 de janeiro de 1970, a UEL foi organizada a partir da junção de cinco faculdades:

  • Faculdade Estadual de Direito de Londrina – Criada em 1956, passou a funcionar em 1958.
  • Faculdade Estadual de Filosofia, Letras de Londrina – Criada em 1956, passou a funcionar em 1958.
  • Faculdade Estadual de Odontologia de Londrina – Criada em 1962.
  • Faculdade de Medicina do Paraná – Criada em 1967, passou a funcionar em 1968. Abrigava o curso de Medicina, criando logo depois os cursos de Ciências Biomédicas e Farmácia e Bioquímica.
  • Faculdade Estadual de Ciências Econômicas e Contábeis de Londrina – Criada em 1966, passou a funcionar em 1968.

Iniciou suas atividades com um total de 13 cursos de graduação: História, Geografia, Letras Anglo-Portuguesas e Letras Franco-Portuguesas, Pedagogia, Ciências (1º Grau), Direito, Odontologia, Medicina, Farmácia e Bioquímica, Ciências Biomédicas, Ciências Econômicas e Administração.

A Universidade foi reconhecida em 6 de outubro de 1975 pelo Decreto Federal 69.224/75. Somente em 1984 foi instaurada a gratuidade dos cursos da instituição e, em 1991, a UEL se transformou em autarquia estadual.

Desde a sua fundação, a Universidade já teve 12 reitores: Ascêncio Garcia Lopes (1973–1974); Oscar Alves (1974–1978); José Carlos Pinotti (1978–1982); Marco Antonio Fiori (1982–1986); Jorge Bounassar Filho (1986–1990); João Carlos Thomson (1990–1994); Jackson Proença Testa (1994–1998/1998–2001); Pedro Alejandro Gordan (2001–2002); Lygia Lumina Pupatto (2002–2006), Wilmar Sachetin Marçal (2006–2010), Nádina Aparecida Moreno (2010–2014) e Berenice Quinzani Jordão (2014-2018).

Em 2004 a Universidade Estadual de Londrina, por reivindicação do Movimento Negro local, adota o sistema de cotas raciais e sociais.

Referências

  1. Gabinete UEL
  2. «ACIL - Associação Comercial e Industrial de Londrina». acil.com.br. Consultado em 24 dezembro 2016. 
  3. «Ranking Web Universities». Consultado em 02 de fevereiro de 2013.  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]