Assembleia Legislativa do Paraná

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná
Brasão de armas ou logo
Tipo
Tipo
Liderança
Presidente
1º Secretário
Líder do Governo
Líder da Minoria
Assentos 54
Local de reunião
Assembleia legislativa do paraná.jpg
Curitiba, Paraná
Website
www.alep.pr.gov.br

Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) é o órgão de representação do Poder Legislativo através dos 54 deputados estaduais do estado do Paraná. Fica localizada no bairro do Centro Cívico, na capital Curitiba, em frente ao Palácio Iguaçu, na Praça Nossa Senhora da Salete.[1][2]

Atribuições[editar | editar código-fonte]

A principal competência da Assembleia é a de fazer, suspender, interpretar e revogar as leis de competência do Estado. Além disso, fiscaliza e controla atos do Poder Executivo, e responde pela organização administrativa de seus próprios serviços. As leis que aprova são sancionadas ou vetadas pelo Governador. Trata das questões relativas à sua organização interna e exerce uma competência judicial quando participa do julgamento do Governador e Secretários de Estado, nos crimes de responsabilidade.[1][2]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

A Mesa Executiva é composta pela presidência, três vices-presidências e cinco secretarias.[1][2]

O atual presidente é o deputado Ademar Traiano (PSDB).[3]

Histórico[editar | editar código-fonte]

A ALEP foi instalada em 12 de julho de 1854 como Assembleia Provincial da então Província do Paraná, criada em 19 de dezembro de 1853 pelo Imperador D. Pedro II.[4]

O primeiro presidente da ALEP foi o coronel Joaquim José Pinto Bandeira.[4]

Mesa diretora (2019-2020)[editar | editar código-fonte]

Mesa Diretora[5]
Cargo Deputado Partido
Presidente Ademar Traiano PSDB
1º Vice-Presidente Plauto Miró DEM
2º Vice-Presidente Tercílio Turini PPS
3º Vice-Presidente Requião Filho MDB
1º Secretário Luiz Claudio Romanelli PSB
2º Secretário Gilson de Souza PSC
3º Secretário Marcel Micheletto PL

Membros[editar | editar código-fonte]

Deputado Estadual[5] Partido Observações
Ademar Traiano Presidente
Ademir Bier Suplente efetivado
Alexandre Amaro
Alexandre Curi
Anibelli Neto
Arilson Chiorato
Artagão Junior
Boca Aberta Junior
Cantora Mara Lima Suplente temporária
Cassiano Caron [6]
Cobra Repórter
Coronel Lee
Cristina Silvestri
Delegado Fernando
Delegado Francischini
Delegado Jacovós
Do Carmo
Douglas Fabrício
Dr. Batista Eleito pelo PMN
Emerson Bacil
Estacho
Evandro Araújo
Francisco Bührer
Galo
Gilberto Ribeiro
Gilson de Souza
Goura
Gugu Bueno Suplente temporário
Homero Marchese
Hussein Bakri Suplente temporário
Jonas Guimarães
Luciana Rafagnin
Luiz Carlos Martins
Luiz Claudio Romanelli
Luiz Fernando Guerra
Mabel Canto
Marcio Pacheco
Maria Victoria
Mauro Moraes
Michele Caputo
Nelson Justus
Nelson Luersen
Paulo Litro
Plauto Miró
Professor Lemos
Requião Filho
Ricardo Arruda
Soldado Adriano
Soldado Fruet
Tadeu Veneri
Tercílio Turini
Tiago Amaral
Tião Medeiros
Wilmar Reichembach
Lideranças e Bancadas[5]
Partido/Bloco Bancada Líder
Governo ± Hussein Bakri (PSD)
Oposição ± Tadeu Veneri (PT)
PSL/PTB 9 Do Carmo
PSD 6 Marcio Nunes
PSB 5 Tiago Amaral
PSDB/PV 5 Michele Caputo
MDB/DEM 5 Anibelli Neto
PSC 4 Wilmar Reichembach
PT 4 Professor Lemos
PL/PRB/PODE 4 Alexandre Amaro
PDT 3 Goura
Cidadania 3 Douglas Fabrício
PROS 3 Soldado Fruet
PP 3 Maria Victoria
Deputados Afastados[5]
Deputado Partido Motivo
Guto Silva PSD Nomeado secretário de Estado
Marcel Micheletto PL Nomeado secretário de Estado
Marcio Nunes PSD Nomeado secretário de Estado
Mortes[5]
Deputado Partido Data da morte Causa da morte Efetivado Ref.
Delegado Recalcatti PSD 9 de abril de 2021 Infarto Ademir Bier [7]
Cassações[5]
Deputado Partido Data Causa Efetivado Ref.
Subtenente Everton PSL 19 de outubro de 2021 Abuso de poder econômico nas eleições de 2018 Cassiano Caron [8]
Delegado Francischini PSL 28 de outubro de 2021 Disseminação de informações falsas sobre o sistema de votação durante as eleições de 2018 [9]
Suplentes que exerceram o mandato[5]
Deputado Partido Período

Escândalos[editar | editar código-fonte]

Durante o primeiro semestre de 2010, ocorreram inúmeros escândalos políticos sobre desvio de dinheiro e nepotismo por parte de 49 dos 54 deputados, o que fez com que a Assembleia fosse considerada a mais corrupta do país.[10][11][12] O presidente da Assembleia Nelson Justus foi acusado de enriquecimento ilícito e contratação de funcionários fantasmas. Contudo, mesmo depois de diversas manifestações por parte da população, a situação permaneceu a mesma.[10][11][12]

Referências

  1. a b c PARANÁ, ASSEMBLEIA. Assembleia Legislativa do Paraná | Regimento Interno. Assembleia Legislativa do Estado do Paraná. Disponível em: <http://www.assembleia.pr.leg.br/legislacao/regimento-interno>. Acesso em: 20 de fevereiro de 2020.
  2. a b c «Constituição do Estado do Paraná». Consultado em 20 de fevereiro de 2020 
  3. PARANÁ, ASSEMBLEIA. Assembleia Legislativa do Paraná | Presidentes. Assembleia Legislativa do Estado do Paraná. Disponível em: <http://www.assembleia.pr.leg.br/assembleia/presidentes>. 20-02-2020
  4. a b «A Assembléia Legislativa do Paraná não cumpre determinação da história». Consultado em 20 de fevereiro de 2020 
  5. a b c d e f g PARANÁ, ASSEMBLEIA. Assembleia Legislativa do Paraná | Conheça os Deputados. Assembleia Legislativa do Estado do Paraná. Disponível em: <http://www.assembleia.pr.leg.br/deputados/conheca>. 20 de fevereiro  2020
  6. «Cassiano Caron (PSL) assume cargo de deputado estadual no Paraná». G1. Consultado em 28 de outubro de 2021 
  7. «Delegado Rubens Recalcatti, deputado estadual no Paraná, morre aos 72 anos após infarto». G1. Consultado em 13 de abril de 2021 
  8. «TSE cassa mandato de deputado estadual Subtenente Everton (PSL) por abuso de poder econômico». G1. Consultado em 21 de outubro de 2021 
  9. G1 (28 de outubro de 2021). «Por 6 votos a 1, TSE cassa deputado do PR que divulgou 'fake news' contra urnas eletrônicas». Consultado em 28 de outubro de 2021 
  10. a b «Supremo determina que Maurício Requião seja retirado de cargo do Tribunal de Contas do Paraná». Supremo Tribunal Federal do Brasil. 4 de março de 2009 
  11. a b Pereira, Roger (5 de março de 2009). «STF manda Maurício Requião deixar cargo no TCE». Jornal O Estado do Paraná 
  12. a b CONTE, Jaqueline; RIBAS, Patrícia (3 de maio de 2005). «MP-PR denuncia nove por desvios na Assembleia Legislativa». Site Oficial do Ministério Público do Estado do Paraná. Consultado em 20 de fevereiro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]