Juquitiba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Juquitiba
"Terra de Muitas Águas"
"Paraíso Ecológico"
Bandeira de Juquitiba
Brasão de Juquitiba
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 28 de março
Fundação 28 de março de 1964 (52 anos)
Gentílico juquitibense
Prefeito(a) Francisco de Araújo Melo (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Juquitiba
Localização de Juquitiba em São Paulo
Juquitiba está localizado em: Brasil
Juquitiba
Localização de Juquitiba no Brasil
23° 55' 55" S 47° 04' 04" O23° 55' 55" S 47° 04' 04" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Metropolitana de São Paulo IBGE/2008[1]
Microrregião Itapecerica da Serra IBGE/2008[1]
Região metropolitana São Paulo
Municípios limítrofes Ibiúna, São Lourenço da Serra, Embu-Guaçu, São Paulo, Itanhaém, Pedro de Toledo e Miracatu
Distância até a capital 70 km[2]
Características geográficas
Área 521,598 km² [3]
População 28 732 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 55,08 hab./km²
Altitude 685 m
Clima Subtropical Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,709 alto PNUD/2010 [5]
PIB R$ 198 655,755 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 6 829,00 IBGE/2008[6]
Página oficial

Juquitiba é um município brasileiro do Estado de São Paulo. Possui a maior área de Mata Atlântica preservada da Região Metropolitana de São Paulo e é rico em recursos hídricos. Sua população é de 28.737 habitantes, distribuída em um área de 521,598 km². O município apresenta grande potencial para o ecoturismo e turismo de aventura.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Y-ku-tiba" é um termo de origem tupi, que significa "terra de muitas águas". Acredita-se que a cidade tenha recebido esse nome devido à grande quantidade de nascentes que existem na região, além de ser uma região chuvosa, por sua localização serrana.

História[editar | editar código-fonte]

Anteriormente conhecida como Capela Nova da Bela Vista do Juquiá, foi fundada por Manoel Jesuíno Godinho e sua esposa, ao doar dois alqueires para a construção de uma capela em homenagem à Nossa Senhora das Dores (padroeira e protetora de Juquitiba). Nesta área doada à Igreja, foi incentivada, através de doação de madeiras da região, a construção de casas que formaram o primeiro agrupamento populacional (1920). Em 1903, o engenheiro Henrique Boccolini projetou uma ferrovia que deveria ligar São Paulo à Santo Antonio do Juquiá, passando seu traçado por esta localidade, na época conhecida por Capela Nova, fundando a Empresa de Colonização Sul-Paulista, sediando aqui os trabalhos técnicos da referida empresa[7]. Na década de 1950, foi realizado um traçado nesta região que seria utilizado para a construção de uma ferrovia que ligaria São Paulo a Curitiba, pelo engenheiro Álvaro Boccolini.

Esse engenheiro, maravilhado com o potencial hídrico da região e por sua beleza, conseguiu o registro de uma área, próxima ao centro populacional existente, do governo estadual e construiu ali uma residência (que existe até os dias de hoje)[8]. Com os rumos tomados pelo governo brasileiro de Juscelino Kubitschek, tomando o rumo automobilístico ao invés do ferroviário, o traçado originário da ferrovia foi utilizado para a construção de uma rodovia, primeiramente denominada BR-2, logo em seguida (1970) denominada BR-116, com o nome nessa região e até o Paraná de Rodovia Federal Régis Bittencourt. Entrementes, Juquitiba havia se tornado município em 1964, quando se emancipou de Itapecerica da Serra. Atualmente, Juquitiba é um intenso polo turístico ecológico e de aventura do estado de São Paulo.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Seus limites são: Ibiúna a oeste e norte, São Lourenço da Serra e Embu-Guaçu a nordeste, São Paulo a leste, Itanhaém a sudeste, Pedro de Toledo e Miracatu a sul.

  • Área em km²: 521,598
  • Posição no Estado de São Paulo: 157º(sudeste)

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo 2010

  • População Total: 28 737
  • Homens: 14 543
  • Mulheres: 14 194

(Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)

  • IDH: 0,754
  • IDH-M Renda: 0,666
  • IDH-M Longevidade: 0,750
  • IDH-M Educação: 0,845

Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Juquitiba é uma região rica em nascentes e cursos d'água, o que faz o município ter todo seu território protegido pela Lei de Proteção dos Mananciais. Entre os principais cursos d'água que cortam o município estão:

O Sistema São Lourenço, previsto para ser inaugurado em 2018 pela Sabesp, deve captar água da Represa Cachoeira do França, formada pelo Rio Juquiá, para abastecimento da Região Metropolitana de São Paulo.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Principal acesso: BR-116 (Rodovia Régis Bittencourt), estando o portal da cidade localizado no quilômetro 326 da rodovia.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima da região é considerado subtropical. A temperatura média anual gira em torno dos dezoito graus centígrados. O clima tem as quatro estações definidas e chuvas o ano todo, principalmente no verão.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A vegetação da região é típica da Mata Atlântica. O município abrange o Parque Estadual da Serra do Mar (Núcleo Curucutu), o Cinturão Verde de São Paulo, além da zona amortecimento do Parque Estadual do Jurupará.

Relevo[editar | editar código-fonte]

A região é montanhosa, a altitude média é de 685 metros. O ponto mais alto fica no Bairro das Laranjeiras (novecentos metros) e o mais baixo no Bairro do Engano (550 metros).

Turismo[editar | editar código-fonte]

Juquitiba oferece diversos atrativos relacionados ao ecoturismo e esportes de aventura, como o rafting no Rio Juquiá, arvorismo, tirolesa, trekking, boia cross, canoagem, entre outros. A Represa Cachoeira do França, uma das mais importantes da Região Metropolitana de São Paulo, também atrai visitantes em busca de lazer e pesca esportiva.

Educação[editar | editar código-fonte]

A cidade possui 7 212 alunos no ensino regular, dos quais:

  • 5 526 alunos no ensino fundamental
  • 1 686 alunos no ensino médio

A Escola Estadual Oredo Rodrigues da Cruz (antigamente, Escola Estadual de Primeiro e Segundo Grau de Juquitiba), é a escola mais conhecida da cidade e onde estuda a maioria dos alunos.

Administração[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. «Como chegar em Juquitiba». Consultado em 7 de junho de 2013. 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de julho de 2013. 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010. 
  7. Cartorio de Juquitiba
  8. Juquitiba:Casarão da Família Boccolini

Ligações externas[editar | editar código-fonte]