Augusto Rademaker

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Augusto Rademaker
Presidente do Brasil
(junta governativa provisória)
Período 31 de agosto de 1969
até 30 de outubro de 1969
Vice-presidente Nenhum
Antecessor(a) Costa e Silva
Sucessor(a) Emílio Garrastazu Médici
17.º Vice-presidente do Brasil
Período 30 de outubro de 1969
até 15 de março de 1974
Presidente Emílio Garrastazu Médici
Antecessor(a) Pedro Aleixo
Sucessor(a) Adalberto Pereira dos Santos
Ministro da Marinha do Brasil
Período 15 de março de 1967
até 30 de outubro de 1969
Presidente Costa e Silva
Antecessor(a) Zilmar Campos de Araripe Macedo
Sucessor(a) Adalberto de Barros Nunes
Ministro da Marinha do Brasil
Período 4 de abril de 1964
até 20 de abril de 1964
Presidente Ranieri Mazzilli
Antecessor(a) Paulo Mário da Cunha Rodrigues
Sucessor(a) Ernesto de Melo Batista
Ministro dos Transportes do Brasil
Período 4 de abril de 1964
15 de abril de 1964
Presidente Ranieri Mazzilli
Antecessor(a) Hélio Cruz de Oliveira
Sucessor(a) Juarez Távora
Dados pessoais
Nascimento 11 de maio de 1905
Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Morte 13 de setembro de 1985 (80 anos)
Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Esposa Ruth Lair Rist Rademaker
Partido ARENA
Profissão Militar
Serviço militar
Graduação Almirante

Augusto Hamann Rademaker Grünewald GCTEGCA (Rio de Janeiro, 11 de maio de 1905Ibid., 13 de setembro de 1985) foi um militar brasileiro que integrou a junta militar, que presidiu o país de 31 de agosto a 30 de outubro de 1969, durante o impedimento por doença do Presidente Costa e Silva. Posteriormente foi eleito vice-presidente na chapa encabeçada pelo general Emílio Garrastazu Médici. Na época em que ocupava o cargo, em 1971, foi criada a bandeira vice-presidencial do Brasil.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Almirante com cursos de especialização realizados nos Estados Unidos, participou de operações na Segunda Guerra Mundial como comandante das corvetas "Camocim" e "Carioca" e também como encarregado geral do armamento do cruzador "Bahia". Foi Ministro da Marinha na segunda passagem de Paschoal Ranieri Mazzilli pela Presidência da República, cargo que exerceu cumulativamente com o de Ministro de Viação e Obras Públicas (o atual Ministério dos Transportes só seria criado em 1967). Ativo colaborador da revolução militar que depôs o presidente João Goulart em 31 de março de 1964, foi membro, junto com o general Artur da Costa e Silva e o tenente-brigadeiro Francisco de Assis Correia de Melo, também ministros de Ranieri, do "Comando Supremo da Revolução", responsável pela assinatura do AI-1, e que verdadeiramente governava durante a transição entre democracia e ditadura, cabendo a Mazzilli um cargo formal. Retornou ao ministério da Marinha no governo Costa e Silva sendo que, com o afastamento deste em 31 de agosto de 1969 ascendeu ao poder como integrante de uma Junta Militar que governou o país até a posse de Emílio Garrastazu Médici em 30 de outubro daquele ano, com Rademaker ocupando o posto de vice-presidente, exercendo-o até 15 de março de 1974.

Junta governativa provisória de 1969: (da esq. para a dir.) Aurélio de Lira Tavares, Márcio Melo e Augusto Rademaker .

Investido no governo como integrante de uma Junta Militar por força do Ato Institucional nº 12/69 não há registro oficial desse fato no Livro de Posse, cabendo ao respectivo Ato Institucional referenciar tal acontecimento. Como vice-presidente da República ocupou por três vezes a condição de titular por motivo de viagens ao exterior do Presidente da República.

A 19 de Agosto de 1968 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis e a 26 de Julho de 1972 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito de Portugal.[2]

Foi casado com a senhora Ruth Lair Rist Rademaker, nascida no Rio de Janeiro, tendo como filhos: Eliana Rist Rademaker, Anecy Rist Rademaker, André Rist Rademaker, Pedro Rist Rademaker (falecido ao nascer), Ana Laura Rist Rademaker e Guilherme Rist Rademaker.

Referências

  1. «A Bandeira-Insígnia de Vice-Presidente da República». Vice-Presidência da República Federativa do Brasil. Consultado em 30 de outubro de 2009 
  2. «Cidadãos Estrangeiros Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Augusto Hamann Rademaker Grünewald". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 16 de abril de 2015 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ALMANAQUE ABRIL 1986. 12ª edição. São Paulo, Abril, 1986.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Augusto Rademaker
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Augusto Rademaker
Precedido por
Paulo Mário da Cunha Rodrigues
Ministro da Marinha do Brasil
1964
Sucedido por
Ernesto de Melo Batista
Precedido por
Hélio Cruz de Oliveira
Ministro dos Transportes do Brasil
1964
Sucedido por
Juarez do Nascimento Fernandes Távora
Precedido por
Zilmar Campos de Araripe Macedo
Ministro da Marinha do Brasil
1967 — 1969
Sucedido por
Adalberto de Barros Nunes
Precedido por
Costa e Silva
Junta governativa brasileira
1969
Sucedido por
Emílio Garrastazu Médici
Precedido por
Pedro Aleixo
Vice-presidente do Brasil
1969 — 1974
Sucedido por
Adalberto Pereira dos Santos
Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.