Tristão Pio dos Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tristão Pio dos Santos
Nascimento 1773
Colônia do Sacramento
Morte 24 de fevereiro de 1841 (68 anos)
Cidadania Brasil
Ocupação político

Tristão Pio dos Santos (Colônia do Sacramento, 1773Belém, 24 de fevereiro de 1841)[1] foi um militar e político brasileiro.

Foi vice-almirante e Ministro do Negócios da Marinha. Foi presidente da província do Pará, de 4 de novembro de 1840 até seu falecimento.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho de Pio Antonio dos Santos e de Maria Marciana de Sá. Cedo mudou-se para o Rio de Janeiro, onde foi batizado. Aí realiza os primeiros estudos, mudando-se mais tarde para Lisboa onde ingressa na Marinha em 17 de junho de 1791.[2]

Em 1796 forma-se como Guarda-Marinha, sendo neste ano promovido a Segundo Tenente, embarcando no mês de dezembro na embarcação Princesa da Beira para cumprir seu estágio. Em 1808 foi um dos comandantes que atuaram na fuga da Família Real para o Brasil, pelo que foi agraciado com o posto de Capitão de Fragata por D. Pedro I, quando Príncipe Regente.[2]

Casou-se em 1808 com a lisboeta Gertrudes Carlota das Astúrias, tendo seis filhos: Joaquim, Antônio, Maria, Gertrudes, Carlota e Tristão.[1]

Durante a Guerra da Cisplatina comandou o Arsenal da Bahia. Em 1826 recebe a comenda da Ordem de Avis e no ano seguinte torna-se Inspetor do Arsenal da Marinha, na Corte. Reformou-se em 1832, como Vice-Almirante.[2]

Na Regência do Padre Feijó é nomeado Ministro da Marinha, ocupando a pasta de 16 de maio de 1837 a 18 de setembro do mesmo ano. Sofrendo ataques por Bernardo Pereira de Vasconcelos, deste recebe a alcunha jocosa de Alegrão Ímpio dos Danos.[2]

Quase septuagenário é nomeado Presidente da Província do Pará, onde toma posse a 4 de novembro de 1840. Adoece gravemente poucos dias após sua chegada, mas continua a trabalhar. Em sua gestão concebe e executa decreto de anistia aos remanescentes da Cabanagem. Falece a 24 de fevereiro de 1841, sendo enterrado na Igreja da Irmandade Militar.[2]

Referências

  1. a b Gilson Nazareth (agosto de 2003). «UMA XANTIPA HONESTA». João do Rio - jornal internético, Ano 1 - Número 2. Consultado em 28 de outubro de 2010 
  2. a b c d e Thiago Vianna (15 de julho de 2010). «Tristão Pio dos Santos - Presidente da Província do Pará». Consultado em 28 de outubro de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Salvador José Maciel
Ministro da Marinha
1837
Sucedido por
Joaquim José Rodrigues Torres
Precedido por
João Antônio de Miranda
Presidente da província do Pará
1840 — 1841
Sucedido por
Bernardo de Sousa Franco


Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.