Custódio de Melo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Custódio de Melo
Nascimento 9 de junho de 1840
Salvador
Morte 15 de março de 1902 (61 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade  Brasileiro
Ocupação Militar, político
Contra-Almirante Custódio de Mello, então Ministro da Marinha.
Constituição brasileira de 1891, página da assinatura de Custódio de Melo (vigésima segunda assinatura). Acervo Arquivo Nacional

Custódio José de Melo (Salvador, 9 de junho de 1840Rio de Janeiro, 15 de março de 1902) foi um militar da Marinha e político brasileiro.

Como oficial da Armada Imperial Brasileira, em 1881, serviu na Europa com a função de adido militar.

Após a proclamação da República brasileira, em 15 de novembro de 1889, foi um dos líderes das Revoltas da Armada de 1891 e 1893. Nesse contexto, em 23 de novembro de 1891 ameaçou bombardear o Distrito Federal caso o então presidente da república, marechal Deodoro da Fonseca, não restaurasse as condições políticas do país, impostas pelo Golpe de Três de Novembro. Este fato foi a gota d'água para a renúncia de Deodoro ao cargo de presidente.[1]

Sob a presidência de Floriano Peixoto exerceu os cargos ministro da Marinha, de 23 de novembro de 1891 a 30 de abril de 1893, da Guerra, de 2 de fevereiro a 2 de março de 1892, e de ministro interino das Relações Exteriores, de 22 de junho a 11 de dezembro de 1892.

Foi pai do arquiteto Heitor de Melo.[2]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Fortunato Foster Vidal
Ministro da Marinha do Brasil
1891 — 1893
Sucedido por
Filipe Firmino Rodrigues Chaves
Precedido por
José Simeão de Oliveira
Ministro da Guerra do Brasil
1892
Sucedido por
Francisco Antônio de Moura
Precedido por
Serzedelo Correia
Ministro das Relações Exteriores
1892
Sucedido por
Antônio Francisco de Paula Sousa