Antônio Eneias Gustavo Galvão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Antonio Enéas Gustavo Galvão
Dados pessoais
Nascimento 19 de outubro de 1832 SergipeNossa Senhora do Socorro
Morte 25 de março de 1895 (62 anos) Rio de JaneiroRio de Janeiro
Vida militar
Força Exército
Hierarquia Marechal.gif Marechal
Comandos
Batalhas Guerra do Paraguai

Antônio Eneias Gustavo Galvão,[1] primeiro e único barão de Rio Apa, (Nossa Senhora do Socorro, 19 de outubro de 1832Rio de Janeiro, 25 de março de 1895) foi um marechal brasileiro.

História[editar | editar código-fonte]

Marechal Eneas Galvão, Barão de Rio Apa.

Filho de José Antônio da Fonseca Galvão e Mariana Clementina de Vasconcelos Galvão, irmão de Rufino Eneias Gustavo Galvão, barão de Maracaju, e do desembargador Manuel do Nascimento da Fonseca Galvão.

Tenente-coronel, reprimiu a Revolta do Vintém, no Rio de Janeiro, tendo sido ferido e ordenado que sua tropa abrisse fogo contra os manifestantes, ferindo de dez a quinze pessoas e ocasionando a morte de pelo menos três. Este fato levou à queda do ministério.[2]

Participou da Retirada da Laguna, durante a Guerra do Paraguai, enquanto comandava o 17.º Batalhão de Voluntários da Pátria.

Exerceu o cargo de Comandante Superior da Guarda Nacional.

Foi Ministro da Guerra de 13 de abril de 1893 a 31 de janeiro de 1894, durante o governo Floriano Peixoto.

Foi, ainda, ministro do Superior Tribunal Militar, de 23 de abril de 1892 até seu falecimento em 25 de março de 1895.[3]

Agraciado cavaleiro da Imperial Ordem de São Bento de Avis, oficial da Imperial Ordem da Rosa, cavaleiro da Imperial Ordem do Cruzeiro.

General Enéas Galvão.

Referências

  1. Pela grafia arcaica, Antonio Enéas Gustavo Galvão.
  2. Luiz Antonio Batista da Rocha. «Revolta do Vintém – Rio de Janeiro» (PDF). Academia Barretense de Cultura - ABC. Consultado em 26 de novembro de 2014 
  3. «Ministros do STM desde 1808». Consultado em 26 de novembro de 2014 


Precedido por
Francisco Antônio de Moura
Ministro da Guerra do Brasil
1893 — 1894
Sucedido por
Bibiano Sérgio Macedo Costallat


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.