Eduardo Wandenkolk

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Eduardo Wandenkolk Marinha do Brasil
Nascimento 29 de junho de 1838
Rio de Janeiro
Morte 4 de outubro de 1902 (64 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade  Brasileiro
Progenitores Mãe: D. Martina Gomensoro Wandenkolk
Pai: José Eduardo Wandenkolk
Ocupação Almirante e Militar, político
Página oficial
Almirante Eduardo Wandenkolk

Eduardo Wandenkolk, (Rio de Janeiro, 29 de junho de 1838 — Rio de Janeiro, 4 de outubro de 1902) foi um militar da Marinha do Brasil, político, ministro da marinha e senador da República, no governo provisório de Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto.[1][2]

Carreira política e militar[editar | editar código-fonte]

Almirante Wandenkolk.

Filho de José Eduardo Wandenkolk e D. Martina Gomensoro Wandenkolk, alcançou o posto de almirante, foi ministro da Marinha do governo de Deodoro da Fonseca e senador da República, de 1890 a 1900. Foi reformado pelo marechal Floriano Peixoto em 1892, após ter assinado o Manifesto dos 13 generais. Foi detido e mandado para Tabatinga, no alto Amazonas, junto com outros presos políticos.

Após ter os seus direitos restabelecidos foi nomeado chefe do Estado-Maior da Armada, em 1900.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Oficiais da Armada Imperial Brasileira. Sentados, príncipe Dom Augusto (à esquerda) e o Almirante Eduardo Wandenkolk (centro), ca. 1889.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Eduardo Wandenkolk


Precedido por
José da Costa Azevedo
Ministro da Marinha do Brasil
1889 — 1891
Sucedido por
Fortunato Foster Vidal
Precedido por
Benjamin Constant Botelho de Magalhães
Ministro da Guerra do Brasil
1890
Sucedido por
Floriano Vieira Peixoto


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.