Joaquim José Rodrigues Torres

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outras referências de José Rodrigues, veja José Rodrigues (desambiguação).
O Visconde de Itaboraí
Presidente do Conselho de Ministros
Período 16 de julho de 1868
a 29 de setembro de 1870
Monarca Pedro II
Antecessor(a) Zacarias de Góis
Sucessor(a) O Visconde de São Vicente
Período 11 de maio de 1852
a 6 de setembro de 1853
Monarca Pedro II
Antecessor(a) O Visconde de Monte Alegre
Sucessor(a) O Marquês do Paraná
Ministro da Fazenda
Período 16 de julho de 1868
a 29 de setembro de 1870
Antecessor(a) Zacarias de Góis
Sucessor(a) O Visconde de Inhomirim
Período 13 de janeiro de 1851
a 12 de fevereiro de 1853
Antecessor(a) Paulino José Soares de Sousa
Sucessor(a) Manuel Felizardo de Sousa e Melo
Vida
Nome completo Joaquim José Rodrigues Torres
Nascimento 13 de dezembro de 1802
São João de Itaboraí, Rio de Janeiro, Brasil
Morte 8 de janeiro de 1872 (69 anos)
Rio de Janeiro, Município Neutro, Brasil
Dados pessoais
Progenitores Mãe: Emerenciana Matilde Torres
Pai: Manuel José Rodrigues Torres
Alma mater Universidade de Coimbra
Prêmio(s) Ordem Imperial do Cruzeiro do Sul
Partido Liberal
Conservador
Profissão Professor e jornalista
Títulos nobiliárquicos
Visconde de Itaboraí 11 de dezembro de 1854

Joaquim José Rodrigues Torres, Visconde de Itaboraí (São João de Itaboraí, 13 de dezembro de 1802Rio de Janeiro, 8 de janeiro de 1872), foi um jornalista e político brasileiro.

Filho de Manuel José Rodrigues Torres e de Emerenciana Matilde Torres, fez seu estudo básico no Rio de Janeiro e depois partiu para Portugal, onde formou-se em matemática na Universidade de Coimbra, em 1825. Ao retornar ao Rio de Janeiro, no ano seguinte foi logo contratado como lente substituto da Real Academia Militar. Retornou à Europa em 1827, aperfeiçoou seus estudos em Paris até 1829, retornou ao Brasil e permaneceu no magistério até 1833.

Filiado ao Partido Liberal, fundou o jornal Independente, que teve curta duração. Iniciou na vida pública como ministro da Marinha, em 16 de julho de 1831.

Foi deputado geral na 3ª legislatura pela corte e pelo Rio de Janeiro, primeiro presidente da província do Rio de Janeiro, cargo no qual, entre outras realizações, instalou a capital fluminense na Vila Real da Praia Grande, no ano seguinte renomeada Niterói, e criou sua Guarda Policial, atual Polícia Militar. Em 1837 transfere-se para o Partido Conservador.

Foi também presidente do Banco do Brasil em dois períodos[1], ministro da Fazenda, conselheiro de Estado e senador do Império do Brasil de 1844 a 1872.

Em 11 de dezembro de 1854 foi agraciado visconde, oficial da Imperial Ordem do Cruzeiro, membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Foi contrário a lei do ventre livre antes de sua promulgação.

Gabinete de 11 de maio de 1852[editar | editar código-fonte]

Foi Presidente do Conselho de Ministro e simultaneamente ministro da Fazenda

Gabinete de 16 de julho de 1868[editar | editar código-fonte]

Foi Presidente do Conselho de Ministro e simultaneamente ministro da Fazenda

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • MACEDO, Joaquim Manuel de, Anno biographico brazileiro (v.1), Typographia e litographia do imperial instituto artístico, Rio de Janeiro, 1876.

Referências

  1. «Banco do Brasil – Relação dos presidentes (desde 1853)». Banco do Brasil. Consultado em 6 de fevereiro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
José Manuel de Almeida
Ministro da Marinha do Brasil
1831 — 1832
Sucedido por
Bento Barroso Pereira
Precedido por
Antero José Ferreira de Brito
Ministro da Marinha do Brasil
1832 — 1834
Sucedido por
Antero José Ferreira de Brito
Precedido por
Bernardo Pereira de Vasconcelos
Ministro da Fazenda do Brasil
1832
Sucedido por
Antônio Francisco de Paula Holanda Cavalcanti de Albuquerque
Precedido por
Antônio Pinto Chichorro da Gama

(Ministro do Reino)

Presidente da Província do Rio de Janeiro
1834 — 1836
Sucedido por
Paulino José Soares de Sousa
Precedido por
Tristão Pio dos Santos
Ministro da Marinha do Brasil
1837 — 1839
Sucedido por
Jacinto Roque de Sena Pereira
Precedido por
Sebastião do Rego Barros
Ministro da Guerra do Brasil
[1839
Sucedido por
Jacinto Roque de Sena Pereira
Precedido por
Jacinto Roque de Sena Pereira
Ministro da Marinha do Brasil
1840
Sucedido por
Antônio Francisco de Paula de Holanda Cavalcanti de Albuquerque
Precedido por
Francisco Vilela Barbosa
Ministro da Marinha do Brasil
1843
Sucedido por
Salvador José Maciel
Precedido por
Salvador José Maciel
Ministro da Marinha do Brasil
1843 — 1844
Sucedido por
Jerônimo Francisco Coelho
Precedido por
Pedro de Araújo Lima
Ministro da Fazenda do Brasil
1848 — 1853
Sucedido por
Paulino José Soares de Sousa
Precedido por
Marquês de Monte Alegre
Presidente do Conselho de Ministros
11 de maio de 1852 — 5 de setembro de 1853
Sucedido por
Marquês de Paraná
Precedido por
João Pereira Darrigue de Faro
José Pedro Dias de Carvalho
Presidente do Banco do Brasil
1855 — 1857
1859
Sucedido por
José Pedro Dias de Carvalho
Cândido Batista de Oliveira
Precedido por
Zacarias de Góis
Presidente do Conselho de Ministros
16 de julho de 1868 — 29 de setembro de 1870
Sucedido por
José Antônio Pimenta Bueno
Precedido por
Zacarias de Góis
Ministro da Fazenda do Brasil
1868 — 1870
Sucedido por
Francisco de Sales Torres Homem


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.