Lista de primeiros-ministros do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pedro de Araújo Lima, Marquês de Olinda, o político que por mais tempo exerceu a função de primeiro-ministro do Brasil.

A lista de primeiros-ministros do Brasil reúne os parlamentares que, durante dois períodos na história política do país, dirigiram o gabinete em um sistema parlamentar de governo.

A primeira experiência parlamentarista teve início com o imperador D. Pedro II em 1847, e foi mantido durante os últimos 42 anos do regime. A segunda ocasião em que um sistema parlamentar foi posto em prática ocorreu durante o governo do presidente João Goulart, em 1961, devido a uma emenda constitucional aprovada por seus adversários antes do início de seu mandato. Esta segunda experiência parlamentar foi de curta duração, sendo o sistema de governo presidencial restaurado em plebiscito nacional de 1963.

Governo parlamentar no Brasil Império (1847–1889)[editar | editar código-fonte]

Entre 1847 e 1889 o titular do cargo foi oficialmente denominado "Presidente do Conselho de Ministros", referido pela imprensa normalmente como "Presidente do Gabinete". Pela Constituição Política do Império do Brasil o chefe do Poder Executivo era o Imperador.[1][2]

O cargo de Presidente do Conselho de Ministros foi criado pelo decreto n.º 523, em 20 de julho de 1847, sendo que este regime parlamentarista jamais foi inserido na Constituição Imperial.[3][1] Os gabinetes ministeriais que existiram de 1840 até 1847 não contavam com a figura do Presidente do Conselho. O número de ministros era pequeno para os padrões brasileiros atuais: eram seis as pastas, sendo que, em 1860, foi criado o sétimo ministério pelo Decreto Legislativo n. 1.067 de 28 de julho de 1860, a Secretaria de Estado dos Negócios da Agricultura, Comércio e Obras Públicas.[4][2]

A duração do Gabinete dependia do respaldo que o mesmo tinha na Câmara dos Deputados e do apoio do Imperador.[5] Se a Câmara dos Deputados se incompatibilizasse com o Gabinete, cabia ao Imperador ou dissolver o gabinete ou dissolver a Câmara.[5] Houve ao todo 32 gabinetes com a figura do presidente do Conselho de Ministros.[5] A média de duração de cada Gabinete era menos de dois anos.[6][7]

O Senado era composto por senadores vitalícios nomeados pelo Imperador, depois de eleitos em lista tríplice.[1][8]

     Partido Conservador (15)      Partido Liberal (14)      Liga Progressista (3)
Presidente do Conselho de Ministros
Título Nobiliárquico
Período
Duração em dias e anos
Partido Referências
1 painting Manuel Alves Branco 20 de julho
1847
8 de março
1848
Liberal [9][10]
[11][12]
232 dias
2 painting José Carlos Pereira de Almeida Torres

Visconde de Macaé

8 de março
1848
31 de maio
1848
[13][14]
[15][16]
84 dias
3 painting Francisco de Paula Sousa e Melo 31 de maio
1848
28 de setembro
1848
[17][18]
[19] [20]
121 dias
4 painting Pedro de Araújo Lima
Visconde de Olinda
28 de setembro
1848
8 de outubro
1849
Conservador [21][22]
[23][24]
1 ano e 7 dias
5 painting José da Costa Carvalho
Visconde de Monte Alegre
8 de outubro
1849
11 de maio
1852
[25][26]
[27][28]
2 anos e 218 dias
6 painting Joaquim José Rodrigues Torres 11 de maio
1852
6 de setembro
1853
[29][30]
1 ano e 118 dias
7 painting Honório Hermeto Carneiro Leão
Marquês do Paraná
6 de setembro
1853
3 de setembro
1856
[31][32]
2 anos e 363 dias
8 painting Luís Alves de Lima e Silva
Marquês de Caxias
3 de setembro
1856
4 de maio
1857
[33][34]
243 dias
9 painting Pedro de Araújo Lima
Marquês de Olinda
4 de maio
1857
12 de dezembro
1858
[21][22]
[23][35]
1 ano e 222 dias
10 painting Antônio Paulino Limpo de Abreu
Visconde de Abaeté
12 de dezembro
1858
10 de agosto
1859
[36][37]
[38][39]
241 dias
11 painting Ângelo Moniz da Silva Ferraz 10 de agosto
1859
2 de março
1861
[40][41]
1 ano e 204 dias
12 painting Luís Alves de Lima e Silva
Marquês de Caxias
2 de março
1861
24 de maio
1862
[42][43]
1 ano e 83 dias
13 painting Zacarias de Góis 24 de maio
1862
30 de maio
1862
Liga
Progressista
[44][45]
6 dias
14 painting Pedro de Araújo Lima
Marquês de Olinda
30 de maio
1862
15 de janeiro
1864
[21][22]
[23][24]
1 ano e 230 dias
15 painting Zacarias de Góis 15 de janeiro
1864
31 de agosto
1864
[46][47]
229 dias
16 painting Francisco José Furtado 31 de agosto
1864
12 de maio
1865
Liberal [48][49]
254 dias
17 painting Pedro de Araújo Lima
Marquês de Olinda
12 de maio
1865
3 de agosto
1866
[21][22]
[23][24]
1 ano e 83 dias
18 painting Zacarias de Góis 3 de agosto
1866
16 de julho
1868
[44]
1 ano e 348 dias
19 painting Joaquim José Rodrigues Torres
Visconde de Itaboraí
16 de julho
1868
29 de setembro
1870
Conservador [27][50]
2 anos e 75 dias
20 painting José Antônio Pimenta Bueno
Visconde de São Vicente
29 de setembro
1870
7 de março
1871
[51][52]
159 dias
21 painting José Maria da Silva Paranhos
Visconde do Rio Branco
7 de março
1871
25 de junho
1875
[53][54]
4 anos e 110 dias
22 painting Luís Alves de Lima e Silva
Duque de Caxias
25 de junho
1875
5 de janeiro
1878
[55][56]
2 anos e 194 dias
23 painting João Lins Vieira Cansanção de Sinimbu 5 de janeiro
1878
28 de março
1880
Liberal [57][58]
2 anos e 83 dias
24 painting José Antônio Saraiva 28 de março
1880
21 de janeiro
1882
[59]
1 ano e 299 dias
25 painting Martinho Álvares da Silva Campos 21 de janeiro
1882
3 de julho
1882
[60][61]
163 dias
26 painting João Lustosa da Cunha Paranaguá
Visconde de Paranaguá
3 de julho
1882
24 de maio
1883
[62][63][64]
325 dias
27 painting Lafayette Rodrigues Pereira 24 de maio
1883
6 de junho
1884
[65][66]
1 ano e 13 dias
28 painting Manuel Pinto de Sousa Dantas 6 de junho
1884
6 de maio
1885
[67][68]
[69][70]
334 dias
29 painting José Antônio Saraiva 6 de maio
1885
20 de agosto
1885
[71]
106 dias
30 painting João Maurício Wanderley
Barão de Cotejipe
20 de agosto
1885
10 de março
1888
Conservador [72][73]
2 anos e 203 dias
31 painting João Alfredo Correia de Oliveira 10 de março
1888
7 de junho
1889
[74][75]
1 ano e 89 dias
32 painting Afonso Celso de Assis Figueiredo
Visconde de Ouro Preto
7 de junho
1889
15 de novembro
1889
Liberal [76][77]
161 dias
Presidente do Conselho de Ministros
Título Nobiliárquico
Período
Duração em dias e anos
Partido Referências

Governo parlamentar no Brasil República (1961–1963)[editar | editar código-fonte]

Durou de 8 de setembro de 1961 a 24 de janeiro de 1963, portanto um ano, quatro meses e dezesseis dias exatos, quando João Goulart era o Presidente do Brasil.[78] Após 24 de janeiro de 1963, foi restabelecido o regime presidencialista, que se estende até a atualidade.[79]

     Partido Social Democrático (2)      Partido Trabalhista Brasileiro (1)
Primeiro-Ministro Período
Duração em dias e anos
Partido Referências
1 painting Tancredo Neves 8 de setembro
1961
12 de julho
1962
Partido Social Democrático
PSD
[80][81]
[82][83]
307 dias
2 painting Francisco Brochado da Rocha 12 de julho
1962
18 de setembro
1962
[84][85]
[86][87]
68 dias
3 painting Hermes Lima 18 de setembro
1962
24 de janeiro
1963
Partido Trabalhista
Brasileiro

PTB
[88][89]
[90][91]
128 dias
Primeiro-Ministro Período
Duração em dias e anos
Partido Referências

Local de nascimento[editar | editar código-fonte]

Local Primeiro-ministros Qtd.
Bahia Bahia Manuel Alves Branco, José Carlos Pereira de Almeida Torres, José da Costa Carvalho, Ângelo Moniz da Silva Ferraz, Zacarias de Góis, José Maria da Silva Paranhos, José Antônio Saraiva, Sousa Dantas, João Maurício Wanderley[nota 1], Hermes Lima 10
 Minas Gerais Honório Hermeto Carneiro Leão, Martinho Álvares da Silva Campos, Lafayette Rodrigues Pereira, Afonso Celso de Assis Figueiredo, Tancredo Neves 5
 Pernambuco Pedro de Araújo Lima, João Alfredo Correia de Oliveira 2
 Piauí Francisco José Furtado, João Lustosa da Cunha Paranaguá
 Rio de Janeiro Luís Alves de Lima e Silva, Joaquim José Rodrigues Torres
 São Paulo Francisco de Paula Sousa e Melo, José Antônio Pimenta Bueno
 Alagoas João Lins Vieira Cansanção de Sinimbu[nota 2] 1
 Rio Grande do Sul Francisco de Paula Brochado da Rocha
Portugal Portugal Antônio Paulino Limpo de Abreu

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Quando do seu nascimento, o Oeste da Bahia integrava a Capitania de Pernambuco.
  2. Quando do seu nascimento, Alagoas integrava a Capitania de Pernambuco.

Referências

  1. a b c Constituição Imperial de 1824
  2. a b «Presidente do Conselho de Ministros». MAPA - Memória da Administração Pública Brasileira. Consultado em 13 de setembro de 2019 
  3. «Decreto n.º 523, de 20 de Julho de 1847». Câmara dos Deputados. Consultado em 12 de setembro de 2013 
  4. «Decreto n.º 523, de 20 de Julho de 1847». Ministério da Agricultura. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 14 de maio de 2013 
  5. a b c «O Parlamentarismo». Multi Rio. Consultado em 16 de setembro de 2013 
  6. PEDROSO, Tabajara, História do Brasil, Saraiva e Cia., Sp, 1947.
  7. CABRAL, Oswaldo Rodrigues, Organizado por Sara Regina Poyares dos Reis, A História da Política em Santa Catarina Durante o Império, 4 Volumes. Florianópolis : Editora da UFSC, 2004.
  8. «O Senado no Império». Senado Federal. Consultado em 16 de setembro de 2019 
  9. «Manoel Alves Branco». Ministério da Fazenda. Consultado em 11 de setembro de 2013. Arquivado do original em 18 de setembro de 2013 
  10. «Manuel Alves Branco». www.brasilescola.com. Consultado em 13 de setembro de 2019 
  11. «Manuel Alves Branco». http://mapa.arquivonacional.gov.br. Consultado em 13 de setembro de 2019 
  12. BLAKE, Augusto Victorino Alves Sacramento. Diccionario Bibliographico Brazileiro. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1883. 7 v
  13. José Honório Rodrigues. «ATAS DO CONSELHO DE ESTADO PLENO - TERCEIRO CONSELHO DE ESTADO, 1842-1850 » (PDF). Consultado em 16 de setembro de 2019 
  14. «José Carlos Pereira de Almeida Torres». www.senado.gov.br. Consultado em 11 de setembro de 2013. Arquivado do original em 28 de setembro de 2013 
  15. Barão de Vasconcelos. «Archivo Nobiliarchico Brasileiro». Consultado em 13 de setembro de 2019 
  16. BLAKE, Augusto Victorino Alves Sacramento. Diccionario bibliographico brazileiro. Typographia Nacional, Rio de Janeiro, 1893.
  17. «Francisco de Paula Souza e Melo». Ministério da Fazenda. Consultado em 11 de setembro de 2013. Arquivado do original em 27 de março de 2010 
  18. «Francisco de Paula Souza e Melo». Câmara dos Deputados. Consultado em 13 de setembro de 2019 
  19. «Francisco de Paula Sousa e Melo». Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Consultado em 13 de setembro de 2019 
  20. AMARAL, Tancredo do, A História de São Paulo ensinada pela biographia dos seus vultos mais notáveis. Alves & Cia. Editores, 1895, 353 pp.
  21. a b c d «Pedro de Araújo Lima». História Brasileira. Consultado em 11 de setembro de 2013. Arquivado do original em 21 de março de 2013 
  22. a b c d «Pedro de Araújo Lima». www.e-biografias.net. Consultado em 11 de setembro de 2013 
  23. a b c d «Pedro de Araújo Lima». www2.camara.leg.br. Consultado em 16 de setembro de 2019 
  24. a b c «Pedro de Araújo Lima». http://www.fazenda.gov.br. Consultado em 16 de setembro de 2019 
  25. «José da Costa Carvalho, 1.º barão, visconde e marquês de Monte Alegre». www.dec.ufcg.edu.br. Consultado em 11 de setembro de 2013. Arquivado do original em 5 de março de 2016 
  26. «José da Costa Carvalho». Câmara dos Deputados. Consultado em 11 de setembro de 2013 
  27. a b MACEDO, Joaquim Manuel de, Anno biographico brazileiro (v.1), Typographia e litographia do imperial instituto artístico, Rio de Janeiro, 1876.
  28. «Conselheiro José da Costa Carvalho (Marquês de Monte Alegre) (1835-1836)». www.direito.usp.br. Faculdade de Direito - Universidade de São Paulo. Consultado em 16 de setembro de 2019 
  29. «Joaquim José Rodrigues Torres». Ministério da Fazenda. Consultado em 11 de setembro de 2013. Arquivado do original em 18 de setembro de 2013 
  30. Dicionário das Famílias Brasileiras, de Carlos Eduardo Barata e AH Cunha Bueno e Almanak Laemmert (1844-1889)
  31. «Honório Hermeto Carneiro Leão». Ministério da Fazenda. Consultado em 11 de setembro de 2013. Arquivado do original em 18 de setembro de 2013 
  32. «Honório Hermeto Carneiro Leão, marquês do Paraná». Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Consultado em 16 de setembro de 2019 
  33. «Duque de Caxias». Educação UOL. Consultado em 11 de setembro de 2013 
  34. «Duque de Caxias». www.e-biografias.net. Consultado em 11 de setembro de 2013 
  35. Almanak Laemmert de 1856, Rio de Janeiro, pg. 46.
  36. VASCONCELOS, José Smith de; VASCONCELOS, Rodolfo Smith de (1918). Archivo nobiliarchico brasileiro. Lausanne: Imprimerie La Concorde. pp. 26–27 
  37. «Antônio Paulino Limpo de Abreu». Ministério da Fazenda. Consultado em 11 de setembro de 2013. Arquivado do original em 18 de setembro de 2013 
  38. «Antonio Paulino Limpo de Abreu (Visconde de Abaeté)». Supremo Tribunal Federal. Consultado em 11 de setembro de 2013 
  39. «Antônio Paulino Limpo de Abreu». www2.camara.leg.br. Consultado em 11 de setembro de 2013 
  40. BLAKE, Augusto Victorino Alves Sacramento Blake. Diccionario bibliographico brazileiro. 7 vols, 1883.
  41. «Angelo Moniz da Silva Ferraz». www.fazenda.gov.br. Consultado em 11 de setembro de 2013. Arquivado do original em 27 de março de 2010 
  42. «Duque de Caxias». www.sohistoria.com.br. Consultado em 16 de setembro de 2019 
  43. «Biografia resumida de Duque de Caxias». web.cip.com.br. Consultado em 11 de setembro de 2013 
  44. a b «Zacarias de Goés e Vasconcellos». Ministério da Fazenda. Consultado em 11 de setembro de 2013. Arquivado do original em 3 de agosto de 2011 
  45. «Zacarias de Góes Vasconcellos». www.histedbr.fe.unicamp.br. Consultado em 11 de setembro de 2013 
  46. «Zacarias de Góis e Vasconcelos». www.brasilescola.com. Consultado em 11 de setembro de 2013 
  47. Cabral, Oswaldo Rodrigues: A História da Política em Santa Catarina Durante o Império. Edição em 4 volumes, organizada por Sara Regina Poyares dos Reis. Florianópolis : Editora da UFSC, 2004.
  48. «Francisco José Furtado». www.senado.gov.br. Consultado em 11 de setembro de 2013. Arquivado do original em 23 de agosto de 2014 
  49. The Encyclopedia Americana (1920) (em inglês)
  50. «Biografia de Visconde de Itaboraí - Joaquim José Rodrigues Torres». www.genealogiafreire.com.br. Consultado em 11 de setembro de 2013 
  51. «José Antônio Pimenta Bueno, marquês de São Vicente». www.dec.ufcg.edu.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 4 de março de 2016 
  52. «José Antônio Pimenta Bueno». www.senado.gov.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 23 de agosto de 2014 
  53. «José Maria da Silva Paranhos». www.fazenda.gov.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 18 de setembro de 2013 
  54. «Visconde do Rio Branco (José Maria da Silva Paranhos)». basilio.fundaj.gov.br. Consultado em 12 de setembro de 2013 
  55. «Luís Alves de Lima e Silva, Duque de Caxias - Patrono do Exército». www4.al.sp.gov.br. Consultado em 11 de setembro de 2013 
  56. «25 de Agosto (Dia do Soldado) - Duque de Caxias». www.velhosamigos.com.br. Consultado em 11 de setembro de 2013. Arquivado do original em 19 de novembro de 2012 
  57. «João Lins Vieira Cansanção de Sinimbu». www.fazenda.gov.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 18 de setembro de 2013 
  58. «João Lins Vieira Cansanção de Sinimbú». www.senado.gov.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 23 de agosto de 2014 
  59. «José Antônio Saraiva». www.fazenda.gov.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 18 de setembro de 2013 
  60. «Martinho Álvares da Silva Campos». www2.camara.leg.br. Consultado em 12 de setembro de 2013 
  61. «Martinho Álvares da Silva Campos». www.fazenda.gov.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 18 de setembro de 2013 
  62. «João Lustosa da Cunha Paranaguá». www.fazenda.gov.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 18 de setembro de 2013 
  63. «João Lustosa da Cunha, segundo marquês de Paranaguá». www.dec.ufcg.edu.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 12 de maio de 2014 
  64. «João Lustosa da Cunha Paranaguá». www.senado.gov.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 12 de maio de 2014 
  65. «Lafayette Rodrigues Pereira». www.academia.org.br. Consultado em 12 de setembro de 2013 
  66. «Lafayette Rodrigues Pereira». www.fazenda.gov.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 18 de setembro de 2013 
  67. «Manuel Pinto de Sousa Dantas». www.fazenda.gov.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 27 de março de 2010 
  68. «Manuel Pinto de Sousa Dantas». www.brasilescola.com. Consultado em 12 de setembro de 2013 
  69. «Manuel Pinto de Sousa Dantas, o Senador Dantas». www.dec.ufcg.edu.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 4 de março de 2016 
  70. «Manuel Pinto de Sousa Dantas, o Senador Dantas». www.projetomemoria.art.br. Consultado em 12 de setembro de 2013 
  71. «José Antônio Saraiva». www.dec.ufcg.edu.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 8 de maio de 2014 
  72. «João Maurício Wanderley, barão de Cotejipe». www.dec.ufcg.edu.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 18 de setembro de 2016 
  73. «João Maurício Wanderley». www.fazenda.gov.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 18 de setembro de 2013 
  74. «João Alfredo Correia de Oliveira». www.dec.ufcg.edu.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  75. «João Alfredo Corrêa de Oliveira». www.fazenda.gov.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 18 de setembro de 2013 
  76. «Afonso Celso de Assis Figueiredo». www.fazenda.gov.br. Consultado em 12 de setembro de 2013. Arquivado do original em 29 de novembro de 2011 
  77. VASCONCELOS, 1918, p. 324.
  78. «A experiência parlamentar no Brasil entre os anos de 60 e 64». www.pesquisedireito.com. Consultado em 16 de setembro de 2013 
  79. «Parlamentarismo (2): João Goulart e o plebiscito de 1963». educacao.uol.com.br. Consultado em 21 de setembro de 2013 
  80. «Tancredo de Almeida Neves». www.brasilescola.com. Consultado em 11 de setembro de 2013 
  81. «Tancredo Neves». https://cpdoc.fgv.br. Consultado em 16 de setembro de 2019 
  82. «Jango assumiu a Presidência com Tancredo Neves de primeiro-ministro». acervo o globo. Consultado em 16 de setembro de 2019 
  83. «Tancredo Neves». eBiografia. Consultado em 16 de setembro de 2019 
  84. «Brochado da Rocha». educacao.uol.com.br. Consultado em 11 de setembro de 2013 
  85. «Brochado da Rocha». cpdoc.fgv.br. Consultado em 16 de setembro de 2019 
  86. «Francisco de Paula Brochado da Rocha». www.fazenda.gov.br. Consultado em 16 de setembro de 2019 
  87. Aparecida Lopes Benites, Sonia (2002). Contando e Fazendo a História - a Citação no Discurso Jornalístico. São Paulo: Arte Ciencia. p. 157. ISBN 8574730661 
  88. «Hermes Lima». www.stf.jus.br. Consultado em 11 de setembro de 2013 
  89. «Hermes Lima». educacao.uol.com.br. Consultado em 11 de setembro de 2013 
  90. «Hermes Lima». cpdoc.fgv.br. Consultado em 11 de setembro de 2013 
  91. «Hermes Lima». www.academia.org.br. Consultado em 11 de setembro de 2013 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Amaral, Tancredo do (1895). A História de São Paulo ensinada pela biographia dos seus vultos mais notáveis. São Paulo: Alves & Cia. Editores 
  • Sonia, Aparecida Lopes Benites (2002). Rodrigo Silva Rojas, ed. Contando e Fazendo a História - a Citação no Discurso Jornalístico. São Paulo: Arte & Ciência. ISBN 85-7473-066-1 
  • BARATA, Carlos Eduardo de Almeida;
    CUNHA BUENO, Antonio Henrique Bittencourt da
    (1999). Dicionário das Famílias Brasileiras. 1. Rio de Janeiro: Cau Editora. ISBN 978-03-30-45998-3
     
  • Blake, Augusto Victorino Alves Sacramento (1893). Diccionario bibliographico brazileiro. Rio de Janeiro: Typographia Nacional 
  • Cabral, Oswaldo Rodrigues (2004). A História da Política em Santa Catarina Durante o Império. Organizado por Sara Regina Poyares dos Reis. Florianópolis: Editora da UFSC 
  • Laemmert, Eduard e Heinrich (1856). Almanak Laemmert. 1. Rio de Janeiro: Livraria Universal e a Tipografia Laemmert/Casa Laemmert & Co 
  • Macedo, Joaquim Manuel de (1876). Anno biographico brazileiro. 1. Rio de Janeiro: Typographia e litographia do Imperial Instituto Artístico 
  • Pedroso, Tabajara (1947). História do Brasil. São Paulo: Saraiva e Cia. 
  • The Encyclopedia Americana Corporation (1920). George Edwin Rines, ed. The Encyclopedia Americana (em inglês). Nova Iorque: Scholastic Library Publishing 
  • Vasconcelos, José Smith de (1918). Archivo nobiliarchico brasileiro. Lausana: La Concorde 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]